Esportes

Veja a fortuna que Anderson Silva recebeu para substituir Jon Jones 48h antes do UFC 200

0

Anderson Silva, ex-campeão peso-médio do UFC e lenda do MMA, foi convocado de última hora, com apenas 48 horas de antecedência, para substituir Jon Jones e encarar Daniel Cormier no histórico UFC 200 de 2016.

Ao aceitar esse desafio após uma carreira notável na principal organização de MMA do mundo, é de se supor que o brasileiro tenha recebido uma recompensa generosa. E, de fato, foi exatamente isso o que aconteceu.

Assim, ao subir no octógono para enfrentar Daniel Cormier no UFC 200, Anderson Silva embolsou mais de US$ 4,2 milhões (equivalente a mais de R$ 20 milhões na cotação atual), mesmo tendo sido derrotado por decisão unânime dos jurados.

Vale destacar que esses valores englobam não apenas a bolsa, mas também patrocínios, participação na venda de pay-per-views e outros itens.

Via Flickr

Sobre Anderson Silva

Anderson da Silva, mais conhecido como “Spider”, é um dos lutadores mais famosos do Brasil.

Ele alcançou notoriedade ao conquistar 17 vitórias consecutivas e realizar 10 defesas consecutivas de seu título.

Spider é amplamente reconhecido como um dos maiores lutadores de MMA da história, destacando-se pelo notável nocaute com um pontapé em Vitor Belfort.

Natural de São Paulo, Anderson iniciou seu treinamento em Taekwondo aos 5 anos de idade. Tornou-se faixa preta nesse esporte aos 18 anos.

No Muay Thai, foi o segundo prajied preta formado pelo Mestre Fábio Noguchi em Curitiba. Além disso, detém a faixa preta em jiu-jitsu concedida pelos irmãos Nogueira (Minotauro e Minotouro).

O apelido “Spider” tem origem em um anúncio que o chamou de “aranha” devido a uma fantasia do Homem-Aranha que ele ganhou quando criança.

Carreira no MMA

De maneira estrita, Anderson fez sua estreia em um torneio na cidade de Campo Grande. Ele conseguiu se consagrar com duas vitórias.

Com uma série de vitórias em seu currículo, Anderson viu surgir a primeira grande chance de disputar um cinturão em um torneio amplamente reconhecido na época, o Shooto.

Em 2001, ele competiu pelo título dos pesos médios do evento contra o japonês Hayato Sakurai, conquistando a vitória por decisão unânime dos juízes. Assim, Anderson finalmente assegurava seu primeiro cinturão em um grande evento de MMA.

Em 2006, Silva ingressou no Ultimate Fighting Championship (UFC) no evento Ultimate Fight Night 5, nos Estados Unidos.

Em sua estreia em 28 de junho de 2006, obteve uma vitória sobre Chris Leben. Anderson o nocauteou em impressionantes 49 segundos do primeiro round, marcando a luta mais rápida de sua carreira.

Via Flickr

Doping

Construindo uma carreira de vitórias ao longo dos anos, Anderson Silva se viu no meio de uma polêmica.

Após a detecção de metabólitos de drostanolona e androsterona em seu exame de sangue, realizado pela Comissão Atlética de Nevada (NSAC) em 2015, ele foi flagrado no exame antidoping.

Este episódio ocorreu dias antes de sua luta contra Nick Diaz no UFC 183. O resultado do teste foi divulgado em 3 de fevereiro de 2015, sendo confirmado pelo UFC por meio de um comunicado oficial.

O segundo exame antidoping, realizado em 31 de janeiro, data de sua vitória sobre Nick Diaz no UFC 183, também apresentou resultado positivo para as substâncias proibidas.

Após solicitar três adiamentos para o julgamento de seu caso de doping, Anderson teve a audiência marcada para agosto.

Ele admitiu o uso de substâncias proibidas na luta contra Nick Diaz no UFC 183. Sua defesa alegou que isso ocorreu devido à contaminação de um dos suplementos utilizados, especificamente um medicamento para melhoria do desempenho sexual fornecido por um amigo que trouxe da Tailândia.

A Comissão Atlética de Nevada não aceitou as explicações e decidiu punir o lutador com uma suspensão de um ano a partir do dia da luta, 31 de janeiro.

Penalidades

Além disso, Anderson Silva recebeu multa de 30% da sua bolsa de US$ 600 mil e perdeu o bônus de US$ 200 mil pela vitória, resultando em uma multa de aproximadamente R$ 1,3 milhão.

Ele também foi responsável por custos legais e de investigação. Para retornar às lutas, o brasileiro precisou apresentar diversos testes negativos.

No entanto, considerado réu primário, o ex-campeão dos médios recebeu a pena máxima de acordo com a antiga lei, que consiste em um ano de suspensão a partir da data do confronto.

Após o fim da penalidade, ele retornou para os tatames, mas agora se aventurando no boxe. Mesmo assim, continua sendo referência no meio e faturando alto com suas participações.

 

Fonte: Tatame, Wikipedia

Imagens: Flickr, Flickr

Brasileira expulsa de casa na Coreia do Sul conheceu marido em app e compartilhava dia a dia do relacionamento à distância

Previous article

Por que garrafas de champanhe estão sendo levadas para o fundo do mar?

Next article

Comments

Comments are closed.