10 dos países mais homofóbicos e intolerantes do mundo

POR Pietro Bottura    EM Mundo Afora      14/11/14 às 17h01

Se você acha que o Brasil é homofóbico e intolerante, com discursos como o de Marco Feliciano, está corretíssimo. Mas poderia, infelizmente, ser pior. Existem alguns (vários) países onde a homossexualidade não é apenas malvista, mas também considerada crime e punida de forma desumana, com apedrejamentos, chibatadas e prisão perpétua. Provando que por mais avançado que o mundo seja, ainda há infinitamente muito a se melhorar, confira aqui alguns dos países mais homofóbicos e intolerantes do mundo:

Uganda

uganda

Tanto atos de expressão por homens quanto mulheres homossexuais pode render penas de prisão perpétua, tortura e até mesmo morte, sendo que 96% do país não aceita a cultura gay no local e acha que deve ser "combatida".

Somália

somalia-photo-al-j

A Sharia é aplicada aos gays, ou seja, a morte por apedrejamento, apenas na parte Sul do país. Já no resto, pode gerar prisão de 3 anos.

São Cristóvão e Neves

saint

Até 10 anos de trabalho forçado, além do preconceito agressivo sobre gays, que são associados com doenças como o HIV.

Qatar

qatar

Até 7 anos de detenção, chibatadas e morte. Se forem muçulmanos, aplica-se a Sharia.

Ilha Nauru

nauru

A pena pode render de 7 até 14 anos de trabalhos forçados para homens que fizerem sexo anal, e até 3 anos de trabalho forçado para quem cometer outros tipos de relação, como beijos ou sexo oral.

Iêmen

muslim-flickr-anemoneprojec

Se forem homens casados, podem ser punidos com a morte. Já para solteiros, a pena pode ser chibatas ou detenção de um ano. Já para mulheres, pode ser condenadas a 3 anos de prisão se o ato for consensual, e 7 anos caso seja forçado.

Mauritânia

image_4

Um dos países mais homofóbicos, podem condenar qualquer expressão homossexual com apedrejamento, e mulheres podem escapar da pena, mas serem presas de três meses a dois anos e pagar uma multa de aproximadamente R$500,00.

Nigéria

gay_protest3

Para homens, chicotadas e pena de morte. Em casos leves, podem "apenas" ser presos, a mesma punição para as mulheres, em sentenças que podem durar até 14 anos.

Sudão

anti-lgbt-laws-africa-1_77083_990x742

Não apenas o sexo gay, mas também o anal (mesmo que hetero) são considerados "sodomia", explicado, de acordo com o código penal 148 do país, como "inserir o pênis ou algo equivalente no ânus de uma mulher ou homem". A pena são 100 chibatadas e prisão por 5 anos. Caso o "criminoso" seja reincidente, poderá ficar preso para sempre. Ah, a punição vai tanto para quem enfiou quanto para quem foi enfiado.

Tanzânia

2591341524_d5363b53c1_o

Prisão de 30 anos à perpétua para homens, e de até 5 anos para mulheres.

 

É, mesmo que você não seja gay, deve ter entendido que o crime aqui não é a homossexualidade, e sim a homofobia. A liberdade pessoal é um mandamento nessa era capitalista, que prega a democracia, e ver exemplos como esses nos mostra para onde o Brasil pode caminhar se pessoas intolerantes e cheias de ódio, como alguns políticos brasileiros, conseguirem o poder sobre a lei.

Enquanto isso, exemplos de aceitação também podem ser vistos. Confira nossas matérias sobre homens e mulheres transexuais famosos.

Pietro Bottura
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+