5 momentos em que Simpsons foi longe demais

POR Lucas Franco    EM Entretenimento      21/09/15 às 18h53

Já é bastante comum as pessoas se referirem aos Simpsons como uma série "que costumava ser boa, mas já não é tanto assim". Dado o tempo que esteve no ar, não dá nem para culpar os roteiristas do programa, que tem a constante tarefa de trazer novas e interessantes linhas de enredo para uma comédia que já deve ter esgotado todas suas histórias viáveis.

De vez em quando, a fim de aumentar a audiência, o programa joga toda sua integridade pela janela, em uma tentativa desesperada de chocar o público. Estes "momentos de loucura" tendem a se tornar maneiras preguiçosas para os roteiristas angariarem atenção, mas acabam rendendo - o que influência os responsáveis a irem cada vez além.

Alguns destes momentos você confere a seguir. Comente se ficou faltando algum!

A Morte de Maude Flanders (2000)

Maude

A morte prematura (e muito desnecessária) de Maude Flanders serviu como uma espécie de divisor de águas para Os Simpsons, uma vez que inaugurou uma nova era para o show, em que más decisões são tomadas para chamar a atenção e, por consequência, aumentar a audiência"Alone Again, Natura-Diddily", exibido pela primeira vez em 2000, é um episódio marcante pela chocante morte da personagem, que era esposa de Ned e vizinha dos Simpsons.

Mike Scully, responsável pelo enredo na época, chegou a admitir, algum tempo depois, que a decisão de matar Maude foi tomada em uma tentativa de aumentar a audiência (além de aproveitar a saída da dubladora) - um dos primeiros sinais que a série em breve começaria a comprometer sua integridade. O problema foi a forma cínica e cruel que Maude deixou Springfield: como parte de uma piada. Isto para não mencionar o fato de que Ned começou a namorar no mesmo episódio. Suspiro.

Homer é estuprado por um panda (2000)

Panda

É irônico que um episódio dos Simpsons, que se tornou famoso por plagiar a si mesmo, recebeu o título de Homer vs Dignity. Conhecido pelas cenas recicladas (pelo menos quatro), a parte mais insana e ridiculamente maluca destes 22 minutos de televisão é a cena em que Homer Simpson, fantasiado como um panda, é arrastado até uma caverna por um panda verdadeiro e é agredido sexualmente por ele. Sério mesmo. É uma vergonha pensar que os roteiristas se esforçaram tanto para bolar uma cena em que a) Homer se veste de panda e b) é estuprado por outro.

Vovô Simpson pensa em suicídio (2006)

Suicidio

Os Simpsons tem mergulhado alguns de seus personagens mais icônicos em episódios sombrios, mas será que um episódio em que o Vovô Simpson cogita a ideia de suicídio foi realmente necessário? "Não", todos nós dizemos. "De jeito nenhum!". Por isso, "Million Dollar Abie", de 2006, no qual Abe Simpson, velho e sozinho, quase cometeu suicídio, se tornou um dos momentos mais sem noção de toda a série.

O episódio não foi tão bom, e a premissa principal deixou um gosto amargo na boca dos espectadores. Não que a série não consiga lidar com grandes temas de vez em quando, mas algo assim não soou verdadeiro, e apenas comprometeu um personagem icônico sem motivo algum. O ponto positivo foi o trocadilho com o nome diePOD.

Lisa fica viciada por fumaça de cigarro (2008)

Lisa

Você percebe que as coisas não estão indo bem no departamento criativo quando uma popular série de TV cria um enredo em que uma personagem melhora suas habilidades de dança quando inala fumaça de cigarro como fumante passiva. Sério, é exatamente isto que acontece no episódio de 2008 "Smoke on the Daughter". Como diabos um roteiro destes foi aprovado e se tornou um episódio de verdade?

Além de não fazer sentido, a ideia de ingerir fumaça dos outros nem mesmo é engraçada; é quase como se os roteiristas tivessem jogado as palavras Lisa, Balé e fumaça de cigarro em um gerador aleatório de tramas.

O crossover com Futurama (2014)

Futurama

Os Simpsons tem abraçado seu quinhão de tramas bizarras, mas consegue se superar em alguns momentos. Um exemplo recente é o episódio crossover com Futurama, que aparentemente aceita o fato de que ambas as séries são definidas num mesmo mundo. Sério mesmo? Apesar de terem sido criados pelo mesmo cara, estes universos são, obviamente, muito diferentes. E então, do nada, somos forçados a aceitar a ideia de que os personagens coexistem? Como assim? Este é o melhor exemplo do show levar as coisas longe demais para chamar atenção - ainda que tenha funcionado. Pelo menos o episódio foi excelente.

Lista adaptada do What Culture

Lucas Franco
O cara que gosta do Batman! @heymac14

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+