Curiosidades

Artefato romano é descoberto sendo usado como decoração em jardim

0

Quase dois milênios depois de ter sido forjada, uma histórica placa de pedra – que, na verdade, é um antigo artefato romano – foi encontrada em um jardim de uma casa na vila de Whiteparish, no sul da Inglaterra. O objeto, que estava à vista de todos que passavam pelo local, foi utilizado como decoração.

A laje permaneceu na residência por mais de duas décadas. De acordo com uma reportagem, publicada pelo portal Live Science, os especialistas estimam que a placa de pedra foi produzida durante o século II d.C.. Os pesquisadores acreditam que o artefato foi, provavelmente, feito na Grécia ou na Ásia Menor – atual Turquia -, regiões que estiveram sob controle dos romanos por volta de 100 d.C..

Artefato

Conforme dito no início da matéria, o artefato esteve sob o domínio da proprietária da residência na qual foi encontrada por mais de duas décadas. A dona da casa só percebeu que a placa de pedra poderia ser um artefato histórico quando estava realizando uma sessão de jardinagem. Enquanto organizava o jardim, a proprietária percebeu que em sua superfície havia sido esculpido um desenho de uma coroa de louros – um clássico símbolo romano.

Por ter notado a presença da imagem, a proprietária contactou um arqueólogo local para examinar o objeto. Após analisar a placa de pedra, o arqueólogo descobriu inúmeros outros elementos. De acordo com o Greek City Times, o arqueólogo conseguiu decifrar boa parte das inscrições presentes no artefato, no entanto alguns dizeres permanecem sem tradução.

A placa de pedra, hoje, está sendo leiloada pela casa de leilões Woolley & Wallis, com sede em Salisbury. A Woolley & Wallis afirma que a relíquia romana chegou à Inglaterra há 300 anos, provavelmente pelas mãos de um rico aristocrata que a comprou durante uma viagem à Europa continental.

Embora nunca saberemos o valor que o aristocrata teve que desembolsar para adquirir o objeto, a casa de leilões estabeleceu um lance mínimo de 15.000 libras, ou cerca de US$ 20.000, para aqueles que desejam comprar o artefato.

“Artefatos típicos como este chegavam frequentemente à Inglaterra no final do século 18 e 19, quando aristocratas ricos viajavam pela Europa para aprender sobre arte e cultura”, disse Will Hobbs, especialista em antiguidades que trabalha na Woolley & Wallis.

Na residência

De acordo com Hobbs, o artefato, antes de ter sido encontrado em um jardim, deve ter pertencido a Cowesfield House ou Broxmore House, antigas casas de campo.

Ambas foram demolidas durante a Segunda Guerra Mundial. A demolição foi ordenada pelo Exército Britânico. Boa parte dos entulhos das mansões foram utilizados para a construção de outras pequenas estruturas na área, como, por exemplo, a casa da mulher que utilizava a placa de pedra como decoração em seu jardim.

De todas as formas, as verdadeiras origens do artefato permanecem sendo um mistério. Além disso, até o momento, não foi divulgado se alguém comprou o artefato que estava em leilão. No site da Woolley & Wallis, a placa de pedra não está disponível, ou seja, o leilão, provavelmente, deve ter sido realizado de forma presencial. Em contrapartida, diversos artefatos históricos podem ser encontrados na página da Woolley & Wallis. Caso queira conferir, basta clicar aqui.

10 nomes provisórios de improváveis de novelas

Matéria anterior

Conheça Pee Wee Gaskins, o homem que cometeu 90 assassinatos

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.