Fatos Nerd

Atividade Paranormal teve o maior lucro da história

0

“Atividade Paranormal” é um daqueles filmes de terror que marcam a história do cinema e inovam um gênero inteiro. Nesse filme, acompanhamos a vida de Katie, interpretada por Katie Featherston, que ouve ruídos estranhos, sussurros e sente sensações desde criança.

Já adulta, ela mora com seu namorado, Micah, interpretado por Micah Sloat, que, sendo cético em relação aos depoimentos da namorada, resolve colocar câmeras na casa. Assim, o casal poderia observar os acontecimentos da casa e acabar com qualquer medo de que algo errado esteja acontecendo. No entanto, as câmeras não esclarecem o mistério e sim mostram os horrores que o casal enfrenta por conta das presenças malignas na casa.

Gostando ou não do filme, e de toda a saga, “Atividade Paranormal” é um fenômeno. Vale destacar que isso não se dá por conta da qualidade do filme, mas sim pelo sucesso obtido por uma produção cujo orçamento foi de apenas US$ 11 mil.

Atividade Paranormal

Reprodução

Críticos podem não gostar, mas o filme fez sucesso entre os espectadores e criou a base para a forma que filmes de terror são feitos em tempos de internet. Para saber mais sobre esse fenômeno, veja a lista de fatos que compilamos sobre “Atividade Paranormal”.

Maior lucro da história

“Atividade Paranormal” não teve uma produção cara. Muito pelo contrário. Com isso, considerando o sucesso obtido, o longa de Oren Peli se tornou o filme mais lucrativo da história.

Feito com o orçamento de menos de 15 mil dólares, o que é baixo não só para Hollywood, como para outros países, o filme de terror rendeu US$ 193 milhões nas bilheterias mundiais.

Dessa forma, o lucro fica ainda mais chocante se baseando no retorno sobre o investimento, em que a porcentagem é de 645.000%.

Câmera simples

Por conta do baixo orçamento, é de se esperar que “Atividade Paranormal” não contasse com equipamentos sofisticados. Portanto, o roteirista e diretor Oren Peli usou uma câmera de vídeo doméstica para gravar o filme.

A ideia era que a casa mal-assombrada parecesse o mais realista possível, principalmente no caso das filmagens de dia. Porém, diferente de “A Bruxa de Blair”, que usou bastante movimentos de câmera, Peli apostou em várias cenas com a câmera fixa em um tripé.

“Quando o público vê um filme regular e fica ciente dos movimentos da câmera, eles sabem que uma equipe está por trás. Ao remover tudo isso, o público pensa que está vendo algo com um grau mais alto de realidade. A suspensão da descrença torna-se mais fácil e você tem um público mais envolvido na história e nos personagens”, disse ele.

Terror fora da tela

Todo bom filme de terror tem histórias assustadores da produção, incluindo “Atividade Paranormal”. Conta-se que Steven Spielberg acreditava que sua cópia em DVD do filme era amaldiçoada.

Tudo teria começado quando o cineasta levou à sua empresa, Dreamworks, a ideia de apoiar o projeto de Peli para levá-lo aos cinemas. Então, como de costume, ele levou o DVD para sua casa e, enquanto via o filme, a porta de seu quarto fechou e se trancou sozinha.

Para abri-la, foi necessário chamar um chaveiro e, assustado, o cineasta colocou a cópia do filme em um saco de lixo. Será que foi isso que o fez apoiar o longa?

Inspiração real

Peli não criou a ideia do zero, já que ele passou por momentos assustadores em sua própria casa. Isso porque, após perceber atividades suspeitas em sua casa, ele decidiu instalar câmeras de segurança, e foi assim que a ideia nasceu.

“Achei que daria um ótimo filme e que muitas pessoas poderiam se identificar com a questão do que acontece quando você está mais vulnerável. Isso explode o medo mais primitivo: se algo está se escondendo em sua casa, não há muito que você possa fazer a respeito”, revelou.

Final diferente

Em 2007, depois que “Atividade Paranormal” foi comprado pela Dreamworks, o estúdio pensou em fazer uma final diferente, agora com um orçamento bem maior.

Então, para bater o martelo sobre seguir ou não com a ideia, fizeram uma exibição teste. O problema é que boa parte do público desistiu do filme por causa de medo. Essa reação fez com que o estúdio ficasse com a obra original de Peli.

Filmagem caseira

“Atividade Paranormal” foi o primeiro filme de Peli. Pode parece loucura, mas o homem era novato na cena e apenas confiou em sua ideia. Com isso, o filme não tinha roteiro e exigiu um trabalho intenso para ser finalizado.

“Eles não sabiam de nada em que estavam se metendo, apenas que seria algo a respeito de uma casa mal-assombrada. Tudo foi espontâneo”, afirmou.

Além disso, o longa foi gravado na casa do diretor, em San Diego, sendo finalizado em apenas uma semana. Para isso, o diretor assumiu a maior parte da produção, sendo responsável por filmar, editar e colocar os efeitos visuais. Quando se tem tanto talento, tudo é possível.

Fonte: Cineclick

Site “Garrafa no Mar” soma R$ 640 mil em pagamentos de boletos alheios em dois anos

Matéria anterior

Deolane faz homenagem a MC Kevin

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos

Fatos Desconhecidos Nós gostaríamos de enviar notificações dos últimos conteúdos e atualizações que fazemos.
Dismiss
Allow Notifications