Entretenimento

BBB: participantes do reality conquistam na internet o valor do prêmio

0

As últimas edições do Big Brother Brasil (BBB) foram marcadas pelos vários participantes que se tornaram influenciadores digitais. Essa profissão é a forma que muitos deles encontram para faturar o valor do grande prêmio, mesmo sem serem campeões. 

Primeiramente, toda exposição 24 horas por dia na TV aberta e em reality de grande alcance gera muita visibilidade para os participantes. Com isso, aumentam seus engajamentos nas redes sociais.

De acordo com Jr. César, CEO da Brasileira Digital, em entrevista ao EXTRA,  agência que atende influenciadores, atualmente, o mercado publicitário pede muito mais engajamento, com isso, revela-se a representatividade e a importância que o influenciador tem em suas campanhas. Por isso, é avaliada a interação entre os influenciadores e os fãs antes de iniciar o contrato.

Os influenciadores do BBB 21

Viih Tube

Nove dos 10 integrantes pipocas do BBB 21 se tornaram influenciadores, assim como os camarotes. A principal plataforma de trabalho é o Instagram. De acordo com informações do EXTRA, entre dois e quatro milhões de seguidores o satisfatório é apresentar de 3% a 4% de engajamento. Já para acima dos 15 milhões, o ideal é entre 5% e 6%, e a excelência fica com aqueles que atingem 9%.

De acordo com Jr. César, que agencia a ex-BBB Viih Tube, a ex-participante chega a ter 12% de visualizações em seus stories. Por isso, ela recebeu o título de top creator, o que gerou R$ 1,5 milhão em trabalhos em menos de um mês.

Camilla de Lucas, que também já era influenciadora digital, revelou em junho que conseguiu o valor do prêmio no mesmo prazo que Viih. Já o pipoca Arthur Picoli demorou um pouco mais para se manifestar, mas em setembro contou já ter faturado o R$ 1,5 milhão.

A atriz Carla Diaz contou ao EXTRA, em outubro, que também havia faturado o valor do prêmio. Já Gil do Vigor contou para a Forbes que em menos de seis meses depois da sua saída do programa já tinha faturado R$ 15 milhões.

Como é o alcance dos ex-BBB nas redes sociais?

Reprodução

Após saírem do BBB, os influenciadores costumam ter bons números de engajamento, no entanto, uma queda é considerada natural depois de três meses do fim do reality. Além disso, é possível manter a média se fizerem criação de conteúdo orgânico e real, uma forma de matar a saudade de quem acompanhava os participantes 24 horas por dia.

De acordo com Fabrizio Galardi, sócio-diretor da Stage Digital, as redes sociais do participante agem como um dia seguinte ao programa. Por isso, quando as pessoas saem do programa o engajamento aumenta.

O especialista ainda explica que para as marcas patrocinadoras do BBB faz sentido continuar falando dos participantes da edição. Já para as marcas não anunciantes, o caminho para se beneficiar desse sucesso é tentar entrar no assunto através desses novos influenciadores.

No entanto, Fabrício destaca que as marcas usam o comportamento que o influenciador teve na casa como fator determinante para fechar a parceria. Isso porque as marcas costumam buscar nomes que tenham valores parecidos com o seu.

Qual o valor cobrado para publicidade?

Reprodução/Instagram

De acordo com os especialistas, se tudo for praticado de forma correta e o engajamento for satisfatório, é possível que todo ex-BBB lucre, ao fim do ano, R$ 1,5 milhão, o valor do prêmio do reality.

De acordo com o EXTRA, um influenciador com dois a quatro milhões de seguidores pode cobrar entre R$ 8 mil a R$ 15 mil por uma publicidade em foto no feed. Já os influenciadores acima de 15 milhões de seguidores podem cobrar entre R$ 25 mil a R$ 30 mil por foto. Além disso, para a rede social ser não ser considerada uma vitrine, devem ser publicadas apenas 3 ou 4 publicidades por semana.

“A credibilidade, o carisma, a desenvoltura para atender às necessidades de uma marca ao fazer uma ‘publi’ vão influenciar nesse sucesso”, afirma Thalita Lopez, CMO da Influu, que trabalha com influenciadores e marcas.

A especialista acrescenta que é importante possuir uma equipe que saiba lidar com esse mercado. “O ex-BBB tinha outra profissão antes de entrar no programa. Então, ele não vai ter conhecimento para fazer isso tudo ao sair do reality show. É preciso jogo de cintura para fazer R$ 1,5 milhão. E também para não perder o filtro e aceitar fazer qualquer trabalho, inclusive com marcas que não têm credibilidade e que podem comprometer a imagem do influenciador no futuro.”

Outras possibilidades de ganhar dinheiro após o reality

Reprodução/Instagram

Contudo, as formas de ganhar dinheiro depois do BBB não são apenas publicidade. Um exemplo é Gil do Vigor, que começou a dar dicas econômicas no quadro Tá lascado, no Mais Você. Além disso, João Luiz Pedrosa assumiu os programas Entrevista, no Canal Futura, e Trace Trends, no Multishow. Já Camilla de Lucas participou da apresentação do The Masked Singer Brasil. Arthru Picoli entrou para os treinos do time rubonegro por meio do Pratique Flamengo, na TV do clube. Os quatro também são embaixadores de marcas, assim como a campeã da edição, Juliette Freire.

Outra forma de ganhar é por meio de lançamentos de produtos. Thais Braz assinou uma coleção de moda praia, Arthur Picoli lançou camisetas com frases que disse durante o reality e Carla Diaz foi o nome de duas coleções de óculos.

Fabrizio explica que, para os camarotes, o BBB é uma oportunidade de “furar a bolha.”

“Traz visibilidade e abre portas. Para a Carla, que era “só” uma atriz, apareceu a oportunidade de fazer essa coleção, por exemplo. O programa muda muito a rota de todos.”

Fonte: EXTRA

A polêmica mudança de aparência de Michael Jackson ao longo dos anos

Matéria anterior

O médico que cuidou de 6 mil vítimas da bomba de Hiroshima

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos