Notícias

Caso Flordelis: entenda mais sobre a acusação

0

Na última segunda-feira (07/11) foi iniciado o julgamento da ex-deputada federal Flordelis no Tribunal do Júri de Niterói. A pastora e mais quatro acusados responderam pela morte do pastor Anderson do Carmo, marido dela, executado a tiros em junho de 2019.

O caso que chocou todo o país conta com o envolvimento de pelo menos 11 pessoas, de acordo com a Justiça. Entre os acusados estão seis dos 52 filhos adotivos do casal Flordelis e Anderson, além de três filhos biológicos e uma neta. Quatro deles já foram julgados e dois respondem pela morte do pastor.

Além de Flordelis, também foram julgados na última semana Simone dos Santos Rodrigues, Marzy Teixeira, André Luiz de Oliveira e Rayane dos Santos.

Anderson do Carmo morreu na noite de 16 de junho de 2019. O pastor foi assassinado, com mais de 30 tiros, na garagem da residência que vivia com a família, em Pendotiba, Niterói.

A polícia afirma que ficou evidenciado a intenção de matar Anderson sem que ele pudesse reagir.

Flordelis responde por homicídio

Foto: Na Telinha

Denunciada como a mandante da execução, a ex-deputada responde por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

De acordo com a Polícia Civil e com o Ministério Público, existem indícios de que Flordelis colocou veneno na comida de Anderson do Carmo e mandou comprar a arma do crime.

Flordelis foi presa no dia 13 de agosto, após a juíza Nearis dos Santos Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, determinar a prisão preventiva. 48 horas antes, a pastora teve o mandato de deputada federal cassado no plenário da Câmara dos Deputados.

Filhos condenados

Foto: Brunno Dantas/ Reprodução TJ-RJ

Em novembro do ano passado, dois dos filhos da ex-deputada federal Flordelis foram condenados por envolvimento no crime.

Conforme informações publicadas pelo G1, Flávio dos Santos Rodrigues, acusado de atirar em Anderson, foi condenado a 33 anos e dois meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, porte ilegal de arma, uso de documento ilegal e associação criminosa armada.

O irmão, Lucas Cézar dos Santos Souza, apontado por comprar a arma do crime, foi condenado a sete anos e meio de detenção por homicídio triplamente qualificado. A pena foi diminuída após ele colaborar com as investigações.

Cinco meses depois da condenação dos primeiros envolvidos no crime, a Justiça voltou a julgar a participação dos filhos. Na época, Carlos Ubiraci Francisco da Silva, filho afetivo de Flordelis que respondia por homicídio triplamente qualificado, foi absolvido pela morte do pastor Anderson do Carmo. No entanto, ele foi condenado por associação criminosa.

Adriano dos Santos Rodrigues (filho biológico de Flordelis), Marcos Siqueira Costa (ex-policial militar) e Andrea Santos Maia (mulher de Marcos Siqueira) foram condenados por uso de documento falso e associação criminosa.

O documento falso foi uma carta forjada para inocentar Flordelis. De acordo com as investigações, Marcos teria ajudado a esposa com a mensagem falsa em que Lucas teria revelado que Mizael, outro filho adotivo de Flordelis, teria oferecido a ele um emprego e um carro se ele desse um “susto” em Anderson.

Adriano pegou quatro anos e seis meses de reclusão em regime semiaberto, já Andrea acabou sendo condenada a três meses e dez dias de prisão em regime inicialmente semiaberto. Carlos Ubiraci pegou dois anos, dois meses e 20 dias de reclusão em regime inicialmente semiaberto. Enquanto isso, Marcos Siqueira teve pena de cinco anos e 20 dias de prisão em regime inicialmente fechado.

Outros réus do caso Flordelis

Simone dos Santos (Foto: Brunno Dantas/ Reprodução TJ-RJ)

Também é réu no caso Flordelis André Luiz de Oliveira, filho adotivo de Flordelis. Ele responde por uso de documento falso e associação criminosa armada.

De acordo com a Justiça, André recebeu de Flordelis uma mensagem, em outubro de 2018, em que ela pedia ajuda para desenvolver um plano para matar Anderson do Carmo. 

Em outra conversa, em dezembro de 2018, Flordelis conversou com André Luiz, que escreveu: “Mãe, eu estou com a senhora. Não dá pra eu fazer muita coisa, mas estou com a senhora”.

Além dele, Marzy Teixeira da Silva, filha adotiva de Flordelis, é acusada por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio e associação criminosa armada. Ela teria recebido R$ 5 mil de Simone dos Santos Rodrigues para pagar a morte do pastor Anderson do Carmo. De acordo com a investigação, Marzy fez buscas por matador na internet.

Rayane dos Santos Oliveira, neta biológica de Flordelis e filha de Simone, responde por homicídio triplamente qualificado e associação criminosa armada. O Ministério Público aponta que Flordelis pediu para a neta procurar pessoas para matar Anderson.

Simone dos Santos Rodrigues, filha biológica de Flordelis, é acusada por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio e associação criminosa armada. Em depoimento, ela confessou ter pagado R$ 5 mil pela morte do pastor Anderson do Carmo. Ela alegou que o motivo seriam constantes investidas sexuais do pastor.

Envenenamento

Foto: Reprodução/ Veja

Durante as investigações realizadas pelo Ministério Público do Rio de Janeiro e pela Polícia Civil, agentes e procuradores descobriram que o plano para matar Anderson começou em maio de 2018. Na época, Flordelis teria tentado assassinar o pastor por envenenamento, usando doses de arsênico e cianeto.

“O envenenamento foi feito de forma gradual, sucessiva. O arsênico era posto na comida do pastor de forma dissimulada. Até 2019, ele teve várias passagens na emergência de hospitais de Niterói, com diarreia, vômitos, sudorese, e se tratando como se fossem outras coisas”, explicou o promotor Sérgio Luiz.

Fonte: G1

Estudo pode ter resolvido o mistério do Dyatlov Pass

Previous article

Dicas para não ser enganado na Black Friday

Next article

Comments

Comments are closed.