Curiosidades

Do Safra ao Itaú: quem são as bilionárias brasileiras na lista da Forbes

0

A quantidade de mulheres bilionárias no mundo aumentou de 2022 para 2023, conforme revelado por um recente estudo da Forbes.

Atualmente, 337 das 2.640 pessoas mais ricas são mulheres, em comparação com 237 no ano anterior.

Dentre elas, seis são brasileiras, e uma delas conquistou um lugar no seleto grupo das 100 mais ricas globalmente. Confira abaixo:

Lista de mulheres bilionárias brasileiras

6. Vera Rechulski Santo Domingo

Detentora de um patrimônio líquido de US$ 1 bilhão (R$ 5 bilhões), Vera Rechulski Santo Domingo comanda 11% da holding da família Santo Domingo, com sede em Luxemburgo.

Atualmente, ela ocupa a posição 2540 no ranking global, e apresentou uma subida na lista.

Ela é viúva de Julio Mario Santo Domingo Jr., cujo pai foi o empresário colombiano da indústria cervejeira, Julio Mario Santo Domingo.

Dessa forma, se tornou herdeira da fortuna, de modo que entrou para a lista de mulheres bilionárias.

5. Neide Helena de Moraes

Com aproximadamente US$ 1,2 bilhão (R$ 6 bilhões), Neide é neta de José Ermírio de Moraes, o fundador do Grupo Votorantim.

Ela ocupa a posição 2259 no ranking global, mas apresentou queda, o que significa que sua fortuna decaiu entre 2022 e 2023.

Ela herdou uma participação de 8% na empresa da família após o falecimento de seu pai, José Ermírio de Moraes Filho, em 2001.

Via Suno

4. Anne Werninghaus

Na posição 2020 do ranking global, Anne Werninghaus possui um patrimônio líquido estimado em US$ 1,4 bilhão (R$ 7 bilhões).

A empreendedora catarinense Anne Marie se destaca como a principal acionista individual da WEG, segundo informações do portal de notícias UOL.

A WEG é a maior fabricante de motores elétricos da América Latina, co-fundada pelo avô de Anne, Geraldo Werninghaus. Além disso, Anne é a fundadora da VestesBr, uma empresa de moda B2B lançada em 2011.

Nesse caso, ela também participa das atividades da família e contribuiu com uma parte do seu esforço para obter a fortuna.

3. Lucia Maggi e família

Ocupando a posição 2019 no ranking global, com uma queda entre as mulheres bilionárias do Brasil, Lúcia Maggi é conhecida pela parceria com seu marido, André Maggi.

Isso gerou um patrimônio líquido de US$ 1,4 bilhão (R$ 7 bilhões). Juntos, eles fundaram em 1977 uma empresa inicialmente conhecida como Sementes Maggi, focada no cultivo e comércio de soja.

Originada em São Miguel do Iguaçu (PR), a empresa expandiu seus investimentos para outras commodities, transformando-se no atual Grupo Amaggi, uma das principais produtoras de soja no Brasil.

Ainda, também ramificou seus serviços para a culinária, vendendo uma série de produtos em todo o Brasil.

2. Ana Lucia de Mattos Barretto Villela

Descendente direta do fundador do banco Itaú, Ana Lucia de Mattos Barretto Villela é uma das acionistas individuais da instituição, com um patrimônio líquido avaliado em US$ 1,5 bilhão (R$ 7,6 bilhões).

Ela ocupa a posição 1905 do ranking global, mas também registrou queda no seu lugar na lista de mulheres bilionárias.

Membro do conselho de administração do grupo desde 2018, Ana Lucia tornou-se acionista aos oito anos de idade, após a trágica morte de seus pais em um acidente de avião em 1982.

1. Vicky Safra e família

Via Globo

Por fim, ocupando a posição 100 no ranking global, temos Vicky Safra, a mulher mais rica do Brasil.

Ela é a viúva do banqueiro Joseph Safra, falecido em dezembro de 2020. Seu patrimônio líquido é de US$ 16,6 bilhões (R$ 84 bilhões).

A Forbes destaca um impressionante aumento de 134% na fortuna de Vicky de 2022 para 2023, resultado da integração do patrimônio dos filhos Jacob, David, Alberto e Esther.

Dessa forma, é possível perceber que a maioria das mulheres bilionárias da lista são herdeiras ou integrantes de famílias com várias posses.

Embora isso não retire seu esforço e atividades que realizam, é interessante pontuar como a presença feminina entre as pessoas mais ricas do mundo se atrela às famílias.

 

Fonte: UOL

Imagens: Globo, Suno

Como é a Argolândia, continente perdido e achado após 155 milhões de anos

Artigo anterior

O mundo está ficando sem tartarugas-verdes marinhas machos

Próximo artigo