Entretenimento

Em funeral, marido de russa encontra bonecas no lugar dos corpos dos filhos

0

Recentemente, uma russa tornou-se foco de um escândalo midiático após mentir para o marido que estava grávida de gêmeos e dizer que os bebês haviam falecido. De acordo com uma publicação do portal de notícias Metro, a mentira só foi revelada, quando o marido da russa, durante o sepultamento dos filhos, encontrou bonecos de plástico no lugar dos corpos dos filhos.

O caso

Laura Daudov, segundo com a publicação do portal, informou ao marido que estava grávida após realizar um teste de gravidez. A russa, que não esperava filho algum, mentiu para o marido para descobrir qual seria a reação do cônjuge se descobrisse que seria pai. Vendo a alegria que isso lhe trouxe, Daudov não teve coragem de contar a verdade.

“Eu vi como meu marido ficou feliz quando eu disse a ele que eu estava grávida. Não queria aborrecê-lo e, portanto, decidi mentir para ele e para nossos parentes, fingindo estar grávida”, revelou a russa ao tentar justificar a mentira.

“Eu não tinha um plano, é claro. Tudo aconteceu de forma muito rápida. A mentira foi tão envolvente que, às vezes, eu sentia como se minha barriga estivesse crescendo, como se realmente estivesse grávida. Para sustentar a mentira, em janeiro, fui dar uma olhada em berços especiais para bebês. É difícil de explicar… por um lado eu sabia que não estava grávida, mas não conseguia parar de fingir”.

Daudov, para sustentar a falsa gravidez, chegou a alugar um apartamento próximo a um Hospital Maternidade para se hospedar e receber a família depois do parto. A russa disse ao marido que daria à luz no dia 3 de fevereiro, mas poucos dias antes, Daudov informou ao marido que os bebês morreram por conta de uma hemorragia cerebral.

“No mesmo dia que informei sobre a morte dos bebês, meu marido me disse que tínhamos que enterrá-los no Daguestão, cemitério onde parte da família dele se encontra. Organizamos um funeral, e como eu havia mentido, decidi enrolar bonecas em mortalhas, para simular os corpos”, revelou a russa.

Foi exatamente aí que a verdade veio à tona. O primo de Daudov, curioso para ver o rosto dos bebês, desembrulhou os corpos das mortalhas e, por fim, acabou se deparando com as bonecas. “Mano, eles não são pessoas e a gente aqui, fazendo um funeral”, exclamou o primo.

Funeral como piada

O caso acima, para muitos, não é nada cômico. Mas há quem decida fazer da morte uma piada, sem envolver mentiras, prejudicar os membros da família e de forma inteligente. E sim, já sabemos que esse não é um momento típico para tal, mas é exatamente por isso que estamos colocando em pauta o seguinte acontecimento: em 2019, em meio a um funeral, na Irlanda, começa-se a ouvir a voz do falecido, o qual pedia para o deixarem sair do caixão.

“Olá? Olá? Deixem-me sair”, ouvia-se seguido de sons de batidas vindos da madeira do caixão. Os familiares, espantados, não conseguiram conter as gargalhadas. “Mas onde raio estou eu? Deixem-me sair! Está escuro como breu. Eu estou a ouvir o padre? É o Shay, estou nas quatro tábuas. Raios, estou morto!”, continuava.

O momento, que deveria ser assustador, como se verificou, não foi. De acordo com o portal de notícias Notícias ao Minuto, Shay Bradley, foi, em vida, um sujeito extremamente bem humorado e, como os familiares sabiam disso, entenderam, na hora, que o mesmo havia gravado o áudio de antemão e, certamente, com a ajuda de algum familiar.

Bradley foi enterrado em Kilmanagh, Leinster, na Irlanda.

Rio na Sérvia é tomado pelo lixo todos os invernos

Matéria anterior

Microsoft patenteou uma inteligência artificial capaz de imitar seus familiares mortos

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos