Entretenimento

Essa igreja adquiriu o direito de músicas da Rihanna, Beyoncé e outros artistas

0
Essa igreja adquiriu o direito de músicas da Rihanna, Beyoncé e outros artistas
People pray inside St James's Church at Piccadilly in central London on July 23, 2009.

Nos últimos três anos, a Igreja da Inglaterra, que é acionista da empresa britânica Hipgnosis, realizou algumas aquisições um tanto quanto inesperadas. Com isso, a igreja adquiriu o direito de músicas da Rihanna, Beyoncé e outros artistas. Entre os maiores sucessos estão as músicas ‘Single Ladies’, da cantora Beyoncé, ‘Umbrella’, da Rihanna, e ‘SexyBack’ de Justin Timberlake. Mas, afinal, por que a igreja adquiriu o direito de tantas músicas de sucesso?

Até o momento, foram investidos mais de US$ 1 bilhão, ou seja, mais de R$ 5,1 bilhões em músicas, que também incluem artistas como Mark Ronson, Chic, Barry Manilow e Blondie. Em sua última aquisição, temos um catálogo de canções do produtor musical e compositor LA Reid. Isso significa grandes sucessos como ‘End Of The Road’, do grupo Boyz II, ‘I’m Your Baby Tonight’, de Whitney Houston e ‘Don’t Be Cruel’, de Bobby Brown.

Qual o motivo por trás da compra bilionária?

De acordo com Merck Mercuriadis, fundador da Hipgnosis, a compra das músicas é “mais valiosa do que ouro ou petróleo”. Por isso, tanto empenho nas aquisições. Por exemplo, quando alguma das músicas adquiridas pela empresa toca em uma rádio, filme ou programação de televisão, a Hipgnosis recebe uma quantia em dinheiro. Além disso, o investimento volta para seus investidores, como a Igreja da Inglaterra e as gestoras de fundos Aviva, Investec e Axa.

Para Mercuriadis, canções de sucesso são um investimento estável porque elas não são afetadas por fatores externos. “Essas músicas excelentes e de sucesso são muito previsíveis e confiáveis ​​como fontes de renda”, afirma o fundador da Hipgnosis. “Se você pegar uma música como ‘Sweet Dreams’ ou ‘Livin’ On A Prayer’, estamos falando sobre três ou quatro décadas de renda segura”, completa.

De forma resumida, estejam felizes ou tristes, as pessoas irão ouvir músicas. Portanto, sempre é um bom momento para investir no setor musical. “Quando as pessoas estão felizes, elas vivem com uma trilha sonora de canções”, afirma Mercuriadis. “Mas também em tempos menos bons, como com os tipos de desafios que experimentamos nos últimos seis meses devido à pandemia, as músicas são reconfortantes e ajudam a aliviar”, continua. “Então música é sempre consumida e sempre gera renda”, completa.

As ações da Hipgnosis resistiram à turbulência da pandemia

Para se ter uma ideia, enquanto outros mercados foram extremamente abalados por conta pandemia, a Hipgnosis estava preparada. Dessa forma, as ações da empresa resistiram à turbulência da pandemia. Em dados, podemos encontrar um resultado disso no número de usuários do Spotify, que, ao invés de diminuir, aumentou 22%.

Também vale lembrar que, para chegar onde chegou, a carreira de Mercuriadis não se iniciou hoje. Desde 1986, o empresário vem liderando as carreiras de artistas como Elton John, Iron Maiden, Guns N ‘Roses, Destiny’s Child e Beyoncé. Para Kanye West, Mercuriadis é “uma das pessoas mais poderosas e conhecedoras da indústria musical”.

De volta à importância das músicas, Mercuriadis nos lembra que o número de ouvintes de uma música não é medido apenas pelas vendas de discos. Mas, para além disso, existe a aparição de músicas em outras mídias. Por exemplo, no caso das músicas do filme Toy Story 4, que vendeu 43 milhões de ingressos, todos adoram e ouviram as músicas. No entanto, poucos pagaram por elas. “Essas ótimas músicas são a energia que faz o mundo girar”, afirma Mercuriadis.

Conheça a vila japonesa que afirma ser o local onde Jesus foi sepultado

Matéria anterior

Essas foram as lives mais assistidas do mundo em 2020

Próxima matéria

Você pode gostar