Entretenimento

Essa ilha paradisíaca premia visitantes que cuidam do local

ilha de palau
0

O mundo é cheio de lugares que parecem ser cenários de contos de fadas ou verdadeiros paraísos na terra. Esse é o caso da ilha conhecida como república de Palau. O país, que possui mais de 300 ilhas no Pacífico ocidental foi o primeiro a adotar uma constituição contra energia nuclear no mundo, em 1979, e também implementou o Compromisso de Palau, em dezembro de 2017.

Esse Compromisso de Palau exige que visitantes internacionais assinem um carimbo em seus passaportes sob a promessa aos filhos de Palau que eles “andarão com cuidado” e “preservarão e protegerão” as ilhas.

Sendo assim, com a reabertura das ilhas ao turismo após dois anos de isolamento por conta da pandemia do Covid-19, a ilha criou um novo programa. Ol’au Palau oferece uma iniciativa pioneira no universo da “gamificação”, que é o uso de mecânicas e características presentes em jogos para provocar comportamentos, no turismo responsável. Assim, irão oferecer aos viajantes experiências exclusivas baseadas na forma que cada um trata o meio ambiente e a cultura da ilha.

O programa será administrado por meio de um aplicativo de celular. Terá pontos visitantes que tratam o país com educação e consciência, preferindo escolhas sustentáveis. Por exemplo, o uso de protetor solar seguro para recifes, visita a locais culturalmente importantes (como o Museu Nacional de Belau e Bai, o mais antigo da Micronésia) e comer alimentos locais sustentáveis.

Pontos desbloqueiam experiências em ilha paradisíaca

ilha de palau

Getty Images

Por meio desses pontos, o turista poderá desbloquear experiências reservadas apenas aos moradores locais, como fazer caminhadas especiais na ilha, nadar em uma caverna secreta, compartilhar uma refeição com moradores locais e anciãos ou pescar em um lugar isolado.

Além disso, o programa promete novas experiências que não são acessíveis ao turista comum, que não se inscreve na iniciativa sustentável. Por exemplo, a cerimônia do primeiro nascimento, que é um evento cultural importante para os moradores.

Dessa forma, o Compromisso Palau surgiu ainda em 2015, quando o turismo na ilha atingia 150 mil pessoas por ano, o que é sete vezes mais que a própria população do país. Vale destacar que a maior parte não compreendia a fragilidade do ecossistema. Além disso, não entendiam que as suas ações poderiam impactar o meio ambiente e os moradores.

Embora a cultura local seja conhecida por valorizar a hospitalidade e tratar visitantes com respeito, por conta dos problemas, os moradores reclamavam que alguns visitantes estavam poluindo a ilha.

Ol’au

Para lutar contra essa devastação e ainda manter um fluxo de pessoas, Palau precisava encontrar uma maneira de educar os visitantes que queriam conhecer a ilha. Isso segundo a moradora Laura Clarke, que cofundou o Palau Legacy Project em 2020 com sua amiga Jennifer Koskelin-Gibbons.

Clarke possui experiência em marketing e publicidade. Já Koskelin-Gibbons trabalha na área de preservação, Logo, a junção de ambas foi perfeita para criar o Ol’au Palau. Ol’au, no idioma local, significa convidar alguém para adentrar em seu espaço.

“Essa é uma maneira informal de chamar a atenção de alguém que conhecemos, como um amigo ou membro da família”, explica Koskelin-Gibbons. “É usado para chamarmos alguém para um churrasco, ou se estivermos em uma praia e você estiver vindo em seu barco. Assim, posso chamá-lo para convidá-lo a se juntar à nossa família.”

Covid-19

Como Palau depende em grande parte do turismo para que a economia gire, a ilha foi fortemente afetada pela Covid-19 e as quarentenas subsequentes. Apenas em abril deste ano que o país reabriu suas fronteiras para turistas internacionais, desde que a vacinação seja completa.

Sendo assim, agora, os moradores querem mostrar a beleza de seu lar, com as belas praias e os locais de mergulho ricos em vida selvagem. “Este ano foi bom. Os corais estão florescendo e os recifes estão lindos”, disse Scott Arni. Ele é capitão do Palau Aggressor II, que lidera expedições de mergulho em Palau há 10 anos.

“O mergulho foi incrível com muitos tubarões e grandes encontros com arraias manta no canal Alemão. (Um canal escavado dentro da barreira de recifes de Palau no sudoeste).”

Fonte: BBC

Saiba como era esconderijo onde viveu Anne Frank

Matéria anterior

O futuro da humanidade pode depender da África

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos