Curiosidades

Esse homem tomou viagra em dose dupla e ficou cego de um olho

0

O viagra é nada mais do que citrato de sildenafila ou, simplesmente, sildenafil, que é um fármaco vendido sob o nome de viagra. O remédio foi pioneiro no tratamento de disfunção eréctil masculina, sendo sintetizado originalmente pelo Laboratório Farmacêutico Pfizer.

Claro que ele pode ajudar várias pessoas, mas em alguns casos ele traz consequências drásticas. Um exemplo disso foi o caso desse homem de 32 anos no Irã. De acordo com o publicado pelos pesquisadores da Universidade de Ciências Médicas de Teerã, o homem era saudável, mas acabou perdendo a visão de um do olhos depois que tomou uma dose em dobro de viagra.

Esse caso é extremamente raro, tanto que na literatura médica existem menos de 10 casos parecidos. Na visão dos pesquisadores que descreveram o caso, é importante ficar atento ao uso do viagra, ainda mais entre as pessoas mais novas. Até porque, “a sildenafila pode estar associada a acidentes vasculares retinianos graves em indivíduos jovens saudáveis”, ressaltaram.

Dose em dobro de viagra

Canaltech

Segundo os pesquisadores, no caso do homem do Irã, ele teria ingerido 100 miligramas de viagra. Essa quantidade é o dobro da dose padrão no tratamento da disfunção erétil.

Depois de ter tomado essa dose maior, o homem começou a ter problemas de visão. Então ele foi para o hospital, mas quando chegou lá os danos já eram muito graves e os médicos os classificaram como irreversíveis.

O que o iraniano teve foi um coágulo nas artérias e veias que são responsáveis por levar sangue até o olho direito. Isso fez com que a retina se deslocasse e um edema macular fosse formado. Tudo isso junto teve como consequência a cegueira em um dos olhos. E até esse momento, o paciente não tinha nenhum histórico de problemas de coagulação.

Efeitos na visão e outros problemas

Canaltech

Conforme explicou o Conselho Federal de Medicina (CFF), supostos efeitos adversos, mesmo que raros, do viagra na visão já foram rastreados. Entretanto, “a conexão precisa entre o medicamento e esses problemas ainda não está completamente esclarecida”, disse o estudo do CFF.

Para que essa causa e efeito seja comprovada, ainda mais em homens jovens, é preciso mais pesquisas e testes com o viagra para que se busque entender os mecanismos que agem nessa perda de visão e na cegueira. Somente assim será possível estabelecer a raridade dessa complicação.

Mesmo sem esse dado do quão raro a cegueira por conta do viagra é, o caso serve como um alerta para o uso de medicamentos que melhoram a atividade sexual sem o acompanhamento médico próprio.

Até porque, além da visão existem outras complicações conhecidas para a saúde cardiovascular relacionadas com o uso das substâncias sildenafila e tadalafila que são vistas no viagra e em remédios parecidos.

“O Viagra pode interagir com outros medicamentos que afetam o coração, como nitratos e bloqueadores dos canais de cálcio, aumentando o risco de efeitos colaterais graves. Pessoas que sofrem de condições cardíacas graves, como insuficiência cardíaca descompensada ou angina instável, também devem abster-se de utilizar o Viagra”, concluiu Jardel Inácio, farmacêutico e conselheiro federal de Farmácia pelo Amazonas.

Como funciona

ESPN Brasil

Embora a maioria das pessoas saiba para que o viagra é usado, muitas pessoas não sabem como ele de fato funciona. O remédio surgiu há 15 anos, nos Estados Unidos e mudou a qualidade de vida de muitas pessoas.

Mas como ele age? O corpo humano é uma verdadeira máquina, cheia de mistérios e partes que, por mais que pareçam pequenas, têm uma importância gigante. No caso do viagra, que age na ereção masculina, é preciso entender primeiramente sobre a anatomia do pênis.

O pênis tem duas funções básicas, eliminar urina e liberar esperma e líquido seminal através da ejaculação. Quando o órgão funciona de forma normal, o processo da ejaculação é feito em três passos. Primeiro, o homem precisa estar estimulado sexualmente, dessa forma, o pênis responde ficando ereto, e depois que o órgão é estimulado, acontece a ejaculação.

Entretanto, em alguns casos, a ereção não acontece. Por sua vez, isso faz com que a ejaculação seja muito difícil ou até mesmo impossível. É justamente nesses momentos em que o viagra é indicado.

Para que o pênis fique ereto é preciso que ele receba pressão. É como se ele fosse um balão vazio que, de repente, começa a ser enchido com ar. No caso do pênis, ao invés de ar, a pressão que vai até ele para deixá-lo ereto é a pressão do sangue.

Ele tem duas cavidades cilíndricas bastante importantes conhecidas como corpos cavernosos, que ficam posicionadas paralelamente ao corpo esponjoso. Esses cilindros são constantemente inundados por sangue enviado diretamente de artérias. As veias deles levam o sangue para outras regiões do pênis.

São esses cilindros que ficam estiados quando recebem uma quantidade de sangue suficiente e então o pênis fica ereto. Se as artérias ligadas ao pênis não ficarem abertas o suficiente para exercer a pressão sobre os corpos cavernosos e as veias é bem difícil, ou impossível, que o pênis fique ereto. Se isso acontece sempre, é o que se chama de disfunção erétil.

Antes do viagra existir, na década de 1980, o tratamento popular para esse problema era a injeção de fentolamina, uma substância capaz de fazer com que as artérias se abram e o sangue jorre para o órgão. Contudo, o problema era que essas injeções faziam efeito na hora, mesmo que o homem não estivesse sexualmente excitado.

O viagra funciona do mesmo jeito, mas de uma maneira mais simples. O que difere o comprimido da antiga injeção é que, por mais que o homem tome o medicamento, ele terá ereção apenas quando ficar excitado. Isso acontece graças à capacidade de enviar as mensagens corretas e exatas aos neurotransmissores responsáveis pela movimentação muscular das artérias.

No momento em que o homem está excitado, seu cérebro consegue mandar mensagens para o pênis. Assim, ele produz substâncias responsáveis por pedir mais sangue às artérias. Sem o remédio, as artérias receberiam a mensagem e simplesmente não lhe responderiam. É nessa comunicação que o viagra faz o seu efeito.

Ele age fazendo com que a artéria responda às mensagens que recebe. Quando isso acontece, o pênis é irrigado com muito mais sangue e a ereção acontece.

Mesmo com o viagra, homens mais velhos ainda podem apresentar problemas de ereção. Isso acontece porque as artérias não conseguem se dilatar muito, mesmo quando o cérebro manda a ordem para que isso aconteça. Nesses casos, deve-se procurar ajuda médica.

Fonte: Canaltech, How stuff works

Imagens: Canaltech, ESPN Brasil

Cientistas criaram o maior mapa do cérebro humano do mundo

Artigo anterior

China descobre mineral que pode revolucionar as baterias

Próximo artigo