Curiosidades

Esse míssil dos EUA muda de forma

0

Ter um poder bélico significativo nos dias atuais chega a ser uma questão de proteção e precaução. E quando pensamos em armamento de guerra alguns países vêm à mente, como por exemplo, os Estados Unidos. Isso não é à toa, visto que eles sempre estão com algum projeto de míssil ou arma nova para ser testada.

Tanto é verdade que, por conta da guerra da Ucrânia e dos vários objetos voadores que foram usados, seja para observar o inimigo ou para lançar explosivos, os EUA pensaram em uma nova arma para ser usada em um possível conflito. Eles pensaram em um míssil chamado Mutant que, assim como seu nome indica, ele consegue se transformar em pleno ar.

Seu nome na realidade é um acrônimo para Missile Utility Transformation via Articulated Nose Technology, que traduzido fica “Transformação de Mísseis por meio da Tecnologia de Nariz Articulado”.

Quem fez o anúncio desse míssil foi o Laboratório de Pesquisa da Força Aérea (AFRL), que é o principal centro de pesquisa e desenvolvimento científico da Força Aérea dos EUA.

Míssil

Junto com o anúncio, alguns detalhes sobre ele também foram revelados, como por exemplo, sua articulação é feita através de um sistema de acionamento de controle de articulação (ACAS). Esse sistema é composto por uma estrutura feita de casca de alta deformação que tem um sistema interno com acionamento eletromagnético.

Além disso, esse sistema é uma tecnologia para mísseis que são lançados tanto do ar como da superfície. E por conta do seu design, o míssil pode girar e mudar sua direção quando já está no ar.

Essas novas funções têm o objetivo de aumentar a eficácia dessa arma, já que com isso ela irá ter um alcance maior e também uma maior agilidade e capacidade de manobra.

Até o momento, esse míssil ainda está em sua fase inicial. No entanto, o Laboratório de Pesquisa da Força Aérea disse que eles já estão com os testes programados para acontecer até o fim de 2024.

O próprio site do AFRL informou que o laboratório quer aumentar de forma significativa tanto o alcance como a letalidade dos mísseis contra seus alvos que são manobráveis.

“A abordagem do programa MUTANT é uma forma de transformação ativa envolvendo giro de alta taxa do corpo anterior do míssil, referido como articulação”, informou o laboratório.

Inovação

Quando o assunto é poder bélico, os EUA não brincam em serviço. Tanto é que, no fim do ano passado o país fez o primeiro teste bem sucedido de um míssil hipersônico. O teste aconteceu depois de anos de desenvolvimento bem problemático e muitas dúvidas a respeito do comprometimento político com esse projeto. No entanto, o míssil hipersônico finamente foi testado de maneira completa.

De acordo com a Força Aérea americana, o voo do chamado AGM-183A ARRW (Arma de Resposta Rápida Lançada do Ar, na sigla em inglês) aconteceu em dezembro de 2022 e teve sucesso.

Dando esse passo, os norte-americanos tentam ganhar um espaço nessa corrida de armas, já que está atrás da Rússia e da China, que também são seus adversários principais nesse ponto.

A maioria dos mísseis balísticos, que são o tipo que levam as armas nucleares, chegam a grandes velocidades já perto de atingir seu alvo e seguem uma trajetória previsível. Os novos mísseis hipersônicos têm a vantagem de poder serem manobrados.

“Após a separação do ARRW da aeronave, ele atingiu velocidades hipersônicas superiores a cinco vezes a velocidade do som, completou sua trajetória de voo e detonou na área do alvo final. As indicações mostram que todos os objetivos foram alcançados”, relatou o comunicado.

Fonte: Olhar digital, Folha de São Paulo

Imagens: YouTube

Coisas do cotidiano que vão sair de moda nos próximos 20 anos e ninguém notou

Artigo anterior

Conheça alguns fatos macabros que arruinarão sua infância

Próximo artigo