Saúde

Estudo aponta 3 alimentos que você deve comer todo dia para viver mais

0

Todos queremos viver mais, e, agora, a ciência aponta algumas alimentos que ajudam nesse objetivo.

Nossa expectativa de vida depende de uma variedade de fatores. Enquanto alguns, como genética, lesões e doenças, estão além de nosso controle, outros dependem de nossas escolhas de estilo de vida.

É natural esperar que certas escolhas tenham um impacto significativo, como nossa atividade física, hábito de fumar e consumo de álcool, todos os quais influenciam nossa expectativa de vida.

Além disso, a dieta desempenha um papel crucial em nossa saúde e bem-estar. Alguns alimentos são reconhecidos por reduzir o risco de doenças, enquanto outros podem aumentá-lo.

Recentemente, uma pesquisa apontou quais alimentos e bebidas nos ajudam a viver mais, reduzindo os riscos de doenças graves, como Alzheimer, câncer e problemas cardiovasculares.

O elemento de ouro

Via Freepik

O artigo, veiculado pela revista Scientific Reports, mostrou que ingerir flavonol é benéfico para várias doenças e reduz o índice de mortalidade.

Os flavonóis são um tipo de flavonoides, compostos polifenólicos biologicamente ativos comumente encontrados em diversos alimentos vegetais.

Eles são reconhecidos por oferecerem uma série de benefícios à saúde, como aumento do fluxo sanguíneo e redução da inflamação, estresse oxidativo e pressão arterial.

Além disso, descobriu-se que os flavonoides exibem efeitos antitumorais. No entanto, esta foi a primeira vez que a relação entre a ingestão de flavonol e o risco de mortalidade foi investigada detalhadamente.

Estudo

Para alcançar essas conclusões, os pesquisadores utilizaram dados do banco de dados da Pesquisa de Saúde e Nutrição (NHANES), que continha informações sobre 11.679 indivíduos com mais de 20 anos de idade.

Eles analisaram a relação entre a ingestão de flavonoides e o risco de mortalidade por todas as causas, bem como o risco de mortalidade por causas específicas, como Alzheimer, doença cardiovascular, câncer e diabetes.

Os participantes que apresentaram maior ingestão total de flavonoides geralmente eram mais jovens e tinham histórico de diabetes, hipertensão, hiperlipidemia, insuficiência cardíaca congestiva, doença coronariana, angina, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral.

Observou-se uma tendência decrescente na mortalidade por todas essas causas, assim como na doença de Alzheimer, câncer e mortalidade específica por doenças cardiovasculares, com o aumento da ingestão total de flavonoides.

Para aqueles com diabetes, doenças cardíacas e câncer, os flavonoides são ideais, pois auxiliam na regulação da glicose no organismo e é rico em polifenóis e antioxidantes.

3 alimentos com flavonoides para viver mais

Após descobrir sobre os flavonoides, vale a pena investir em alguns alimentos que ajudam a viver mais e trazem todos esses benefícios. São eles:

Chá verde

Via Freepik

O chá verde é uma bebida popular em muitas culturas ao redor do mundo, conhecida não apenas pelo seu sabor refrescante, mas também por seus potenciais benefícios para a saúde.

Ele é feito a partir das folhas da planta Camellia sinensis, as mesmas usadas para fazer chá preto, chá branco e chá oolong.

No entanto, o chá verde passa por um processo mínimo de oxidação durante o seu processamento, o que preserva muitos dos seus compostos bioativos.

Ele também é rico em antioxidantes, como catequinas e polifenóis, que ajudam a combater os radicais livres no corpo. Assim, contribui para a saúde celular e reduzindo o estresse oxidativo.

E para a estética, esse chá pode auxiliar na perda de peso e na manutenção de um peso saudável, devido aos seus efeitos sobre o metabolismo e a queima de gordura.

Para consumir essa bebida diariamente e viver mais com saúde, vale escolher seu chá preferido, preferencialmente natural, e seguir as instruções de consumo. É possível obter os benefícios tomando quente ou frio.

Alimentos com quercertina, como vinho tinto

Enquanto isso, outro flavonoide é a quercetina, encontrada em uma variedade de frutas, vegetais, folhas, grãos e bebidas, como vinho tinto.

É conhecida por suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, sendo considerada um nutriente funcional com potenciais benefícios para a saúde.

Entre os alimentos ricos em quercetina também estão cebolas, maçãs, uvas, frutas cítricas, brócolis, tomates e chás. Ela é responsável por dar a cor de algumas frutas e vegetais.

Os benefícios adicionais incluem antioxidante, combatendo os radicais livres no corpo e contribuindo para o envelhecimento saudável, além de ser anti-inflamatório e prevenir doenças cardiovasculares.

A quercetina também está disponível como um suplemento dietético, embora a sua absorção a partir de alimentos seja mais eficaz.

Via Freepik

Alimentos com kaempferol, como feijão e espinafre

Por fim, para viver mais, vale a pena consumir alimentos com kaempferol, outro flavonoide encontrado em uma variedade de alimentos, como espinafre, couve, chá verde, morangos, feijão e tomates.

Assim como a quercetina, o kaempferol exibe propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.

Estudos sugerem que o kaempferol pode ter efeitos protetores contra doenças crônicas, como doenças cardíacas, câncer e distúrbios neurodegenerativos.

Ele também demonstrou potencial na promoção da saúde óssea, na proteção contra danos causados pelos raios UV e na modulação do sistema imunológico.

 

Fonte: Metrópoles

Imagens: Freepik, Freepik, Freepik

STF baterá o martelo sobre vínculo empregatício entre Uber e motoristas

Artigo anterior

Conheça a assistente de IA que pode fazer o trabalho de 700 funcionários

Próximo artigo