Físicos fizeram nova descoberta sobre buracos negros acidentalmente
Tempo de leitura:3 Minutos, 11 Segundos

Físicos fizeram nova descoberta sobre buracos negros acidentalmente

O universo sempre foi um tema de grande interesse para nós. Sua imensidão e todo o desconhecido que o circunda atiçam a curiosidade de todos os cientistas e até mesmo de pessoas que são intrigadas para saber o que tem nesse universo além de nós. A totalidade do espaço ainda não foi entendida, mas existem coisas que os estudiosos já conseguiram descobrir, entender, em algum nível, e descrever.

Como por exemplo, os buracos negros. Eles estão entre os aspectos mais curiosos de todo o universo. Trata-se de coisas completamente invisíveis. A força gravitacional é tão imensa que nada escapa desses buracos, incluindo a radiação eletromagnética, como raios-X, infravermelho, luz e ondas de rádio.

As primeiras detecções diretas que confirmaram a existência dos buracos negros foram feitas nesse século. Então, claro que os pesquisadores ainda não sabem tudo ao seu respeito. E nem chegarão a saber um dia.

Descoberta

Isso ficou claro com uma nova descoberta realizada. Uma dupla de físicos descobriu que os buracos negros fazem uma pressão sobre o espaço ao seu redor. Eles tiveram essa percepção enquanto faziam equações para correções de gravidade quântica para a entropia de um buraco negro.

Esse fato é impressionante e vai de encontro com a previsão feita por Stephen Hawking de que os buracos negros emitem radiação. Por conta disso, eles não têm apenas temperatura, mas também encolhem de forma lenta com o passar do tempo na falta de acúmulo.

“Nossa descoberta de que os buracos negros de Schwarzschild possuem uma pressão e também uma temperatura é ainda mais emocionante, visto que foi uma surpresa total. Se você considerar os buracos negros apenas dentro da relatividade geral, pode-se mostrar que eles têm uma singularidade em seus centros onde as leis da física como os conhecemos devem ser quebradas. Espera-se que, quando a teoria quântica de campos for incorporada à relatividade geral, possamos encontrar uma nova descrição dos buracos negros”, disse o físico e astrônomo Xavier Calmet, da Universidade de Sussex, no Reino Unido.

Pesquisa

Quando Calmet e seu colega da Universidade de Sussex, o físico e astrônomo Folkert Kuipers, encontraram essa evidência, estavam fazendo cálculos usando a teoria quântica de campos para tentar sondar o horizonte de eventos de um buraco negro.

Mais específico, os pesquisadores estavam tentando entender as flutuações no horizonte de eventos de um buraco negro que corrigem sua entropia. Ela é uma medida de progressão da ordem para a desordem.

A medida que os profissionais foram fazendo seus cálculos, continuaram encontrando uma figura adicional que apareceu nas suas equações. No entanto, demorou um pouco para que reconhecessem o que era aquilo que estava aparecendo e eles estavam olhando.

“O momento em que percebemos que o resultado misterioso em nossas equações estava nos dizendo que o buraco negro que estávamos estudando tinha uma pressão, depois de meses lutando com ela, foi estimulante”, disse Kuipers.

Buraco negro

Ainda não está claro o que causa essa pressão. E segundo os cálculos dos pesquisadores, ela é muito pequena. Além disso, ela é negativa para um buraco negro com a massa do sol.

Tudo isso quer dizer que o buraco negro estaria encolhendo e não em expansão. Isso está de acordo com a previsão de Hawking. Mas nesse caso, é impossível determinar como a pressão negativa está relacionada com a radiação de Hawking. Ou até se os dois fenômenos estão relacionados.

Mesmo assim, essa descoberta pode ter implicações interessantes nas tentativas de enquadrar a relatividade geral com a mecânica quântica.

“Nosso trabalho é um passo nessa direção, e embora a pressão exercida pelo buraco negro que estávamos estudando seja minúscula, o fato de estar presente abre múltiplas possibilidades novas, abrangendo o estudo da astrofísica, partícula física e física quântica”, concluiu Calmet.

Fonte: https://www.sciencealert.com/physicists-just-accidentally-made-a-new-discovery-about-black-holes