Curiosidades

Gigantes e ‘voadoras’: cientistas fazem alerta para invasão de aranhas de 20 cm

0

Aranhas, normalmente, não são um dos animais mais queridos das pessoas. Existem aqueles que são tão traumatizados com o animal que a palavra medo é bastante simplória para descrever o que sentem. Mesmo assim, é inegável que esses animais são essenciais para o ecossistema.

Mesmo com sua importância, quase ninguém quer estar presente em uma invasão de aranhas gigantes e voadoras. Por mais que isso pareça uma trama de um filme de ficção, cientistas temem que esse tipo de aracnídeo se torne uma endemia nos Estados Unidos e como consequência acabe colocando o ecossistema do país em risco.

De acordo com o R7, a aranha Joro, Trichonephila clavata, é uma espécie exótica que tem 20 centímetros e é bem comum no Japão, China, Coreias e Taiwan. Esse animal é conhecido por ser venenoso e andar através do balonismo, que nada mais é do que produzir fios de teia e “voar” com as correntes de vento.

Invasão

Correio braziliense

Por mais que a aparência dessas aranhas seja ameaçadora, o risco que elas representam está mais ligado ao impacto imprevisto no ecossistema local. Isso porque essa espécie pode não ter predadores, o que lhe dá melhores e mais fáceis condições para se reproduzir de maneira desenfreada.

Segundo os ecologistas da Universidade Rutgers, essa aranha pode se tornar comum em Nova York e Nova Jersey em apenas alguns anos. Uma previsão parecida foi feita pelos cientistas da Universidade Clemson, afirmando que essas aranhas podem se reproduzir de forma fácil nas selvas da Carolina do Sul. “Elas vieram para ficar”, disse um dos cientistas participantes do estudo.

Claro que essas aranhas podem causar medo nas pessoas, contudo, elas não são uma ameaça nem para os humanos e nem para os animais de estimação. Isso porque elas são consideradas uma espécie tímida quando animais maiores estão presentes.

“A maioria das pessoas pensa que ‘invasivo’ e ‘agressivo’ são sinônimos. […] Mas [esses animais] são tão bons em conviver com humanos que provavelmente não irão embora tão cedo”, disse Amitesh Anerao, coautor do estudo.

Aranhas

Ypê

Por mais que as aranhas Joro e algumas outras espécies não sejam uma ameaça para os humanos, as pessoas não gostam de ter esses animais dentro de suas casas.

Muitas pessoas sofrem com aranhas dentro de casa e tentam as mais variadas coisas para eliminá-las de uma vez por todas. E o que muitos podem não saber é que existe uma maneira bem simples e baseada em plantas, mas que realmente funciona.

Porém, antes de dizer qual é o método, é preciso entender o que esse animal é. Muitas pessoas acreditam que as aranhas são insetos, mas na realidade elas são da classe Arachnida e têm uma diversidade imensa de mais de 45 mil espécies. Dessas, a maioria tem veneno, mas somente algumas são perigosas para os humanos.

Independentemente de ela ser venenosa ou não, ninguém quer ter uma ou várias aranhas em casa. E mesmo que os inseticidas e venenos sejam a primeira escolha da maior parte das pessoas para tentar tirá-las de dentro de casa, a planta de menta é uma solução eficaz que a maioria nem considera ou sabe

Isso acontece porque as aranhas odeiam o cheiro de menta. Então, ter algumas espalhadas pela casa pode deixá-las bem longe. E se não tiver como ter planta em casa? O óleo essencial com esse aroma também funciona. Nesse caso, a pessoa pode mergulhar uma bola de algodão no óleo e deixá-la perto dos lugares onde as aranhas são vistas na casa.

A menta não é a única planta que funciona para se livrar desses animais. A árvore do chá também é uma excelente forma de espantar as aranhas. Da mesma forma que a menta, é possível usar o óleo da árvore do chá misturado na água para se ter um spray repelente.

Lembrando que o objetivo desses métodos é deixar a casa livre das aranhas, mas não matá-las. Até porque, elas são importantes na manutenção do ambiente doméstico, já que fazem um trabalho ótimo deixando a casa livre de insetos, como por exemplo, pulgas e mosquitos.

Fonte: ND mais, Mistérios do mundo

Imagens: Correio braziliense, Ypê

“A Cratera de Darvaza” ou “Porta do Inferno”: onde fica e como foi criada essa chama infinita?

Artigo anterior

Starlink da SpaceX: O dispositivo Wi-Fi de 3ª geração que melhora a conectividade global

Próximo artigo