A história dessa menina que possui 12 personalidades diferentes vai explodir sua mente, confira

POR Jesus Galvão    EM Experiências      12/07/18 às 19h35

Saúde mental é algo muito importante, e pouco a pouco tem recebido atenção necessária pela mídia para se falar sobre o assunto. Muitas pessoas sofrem sozinhas por aí de muitas mazelas que afetam sua qualidade de vida e que muitas vezes levam à consequências lastimáveis.

Lauren Stott, tem 23 anos e sofre de Transtorno Dissociativo de Identidade (TDI), condição em que a personalidade de uma pessoa é fragmentada em mais de uma ou até mesmo várias personalidades. No entanto, sem o conhecimento do paciente. O TDI pode ser desencadeado por um trauma. Ele até mesmo já foi referido como uma forma extrema de estresse pós-traumático.

O transtorno

Lauren é moradora de Acworth, na Georgia (EUA) e, segundo os médicos, pode ter sofrido algum trauma que resultou na fragmentação de sua personalidade. Quase como um mecanismo de defesa. Stott foi diagnosticada com o transtorno em agosto de 2017, quando procurou ajuda psiquiátrica após uma tentativa de suicídio em 2016.

Desde então, Lauren tem frequentado terapia onde é estimulada a lidar com suas 12 personalidades diferentes. Ela é ex-aluna da Universidade de Kennesaw e mantem doze diários. Os cadernos a ajudam a lidar com todas suas personalidades. Além de se curar de memórias dolorosas de seu passado.

Recentemente, uma de suas personalidades teria revelado a seu terapeuta sobre um abuso sexual que Lauren sofreu aos 17 anos de idade. E o fato foi considerado um grande avanço dentro da terapia, uma vez que ela pode começar a tratar essas memórias reprimidas e melhorar sua qualidade de vida.

Stott tambem é engajada em causas sociais. Ela é atualmente voluntária em um abrigo de animais. "As memórias e personalidades - elas são todas partes de mim, mas minha personalidade está fragmentada em doze diferentes psiques. Na terapia, me condicionei a pensar em todos como se houvesse doze carteiras em uma sala de aula, quatro em fila, com um líder no topo", afirmou Lauren.

Lauren ainda conta que se sente frustrada quando as pessoas são céticas sobre seu diagnostico. Ou quando ainda acreditam que ela possa ser uma pessoa agressiva devido a sua condição. "A forma como TDI é apresentado na televisão e no cinema torna difícil para as pessoas que convivem com ele. Nos shows, as pessoas são sempre assassinos ou vilões violentos e as coisas não são bem assim. Uma das piores coisas da vida com essa condição é que as pessoas olham para mim como 'isso não é verdade", disse Stott.

Segundo Dr. David Spiegel, da Universidade de Stanford, a condição é muito confundida com a esquizofrenia. Ele ainda explica. "As pessoas com esquizofrenia têm uma percepção distorcida do mundo baseada em alucinações e delírios. No TDI, todas as partes fragmentadas são suas, mas essas pessoas têm dificuldade em integrar suas memórias, senso de identidade e aspectos da consciência como um todo".

Lauren tem lidado com a situação através da terapia e de medicações. Contudo, ela afirma que seu maior apoio emocional é seu cãozinho da raça Shepard Alemão, o Sargento Tibbs. Stott também está noiva e já planeja seu casamento com o músico Alex.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Via   Lad Bible  
Imagens Instagram
Jesus Galvão
Goiano, Canceriano e Publicitário.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+