Curiosidades

Homem utiliza simples objetos para criar robôs incríveis

0

Conhecido como Brooklyn Transformer, Peter Kokis tornou-se uma celebridade em Nova York por criar um arsenal de impressionantes exoesqueletos de robôs. Todas as estruturas elaboradas por Kokis são compostas por objetos que são extremamente comuns e, acredite ou não, muitos utilizamos em nosso dia a dia.

Kokis, que é ex-piloto da Força Aérea Americana, criou o exoesqueleto do primeiro robô após levar a sério uma brincadeira da ex-namorada. Durante uma simples conversa, a ex-companheira afirmou que Kokis era um rapaz extremamente meticuloso, rígido e que precisa começar a se soltar e que o melhor caminho seria fazer algo estranho.

Os incríveis robôs do Brooklyn Transformer

Sem pensar duas vezes, Kokis decidiu seguir o conselho da ex-namorada. Usando a experiência que havia obtido na época em que trabalhava como piloto, Kokis decidiu juntar objetos comuns e uteis para dar vida ao primeiro robô.

O primeiro exoesqueleto do Brooklyn Transformer ganhou o nome de Squid Boy. Desde então, Kokis tornou-se um exemplo claro de como a prática leva a perfeição. O americano já criou uma série de modelos.

A maioria dos robôs que surgem de suas mãos talentosas foram inspirados em grandes produções cinematográficas, como, por exemplo, o clássico Transformers, The Terminator (O Exterminador do Futuro) e Alien, o Oitavo Passageiro.

Para ampliar a gama de peças que suas criações geralmente necessitam para ganhar forma e seguir alimentando a criatividade, Brooklyn Transformer passou a compor seus últimos exoesqueletos com materiais 100% reciclados.

Nada escapa das habilidosas mãos de Kokis. O artista já utilizou latas de sopa, suportes para ovos, suportes de papel higiênico e até raladores. “Hoje vejo o quão minha experiência como piloto é essencial na construção dos meus robôs”, disse Kokis em entrevista ao Pix11.

“É por conta dessa experiência que eu consigo modular as peças para fazer com que os exoesqueletos ganhem forma”.

Trabalho árduo

Atualmente, a coleção de Kokis é formada por nove exoesqueletos. Todos, sem nenhuma exceção, são extremamente pesados. Como o Brooklyn Transformer trabalha exibindo suas criações nas ruas do Brooklyn, o maior desafio é ‘vestir’ suas criações durante o verão.

Para que o corpo se acostume com o calor extremo, Kokis, todos os dias, usa alguma de suas armaduras em casa. Alex e Aaron Craig, que fizeram um documentário sobre o trabalho de Kokis, disse que o interior da casa do Brooklyn Transformer era mais quente que qualquer parte de Nova York.

“Era um forno, literalmente”, disseram os irmãos Craig ao The Atlantic. “Ficamos encharcados de suor durante as filmagens. Ele fecha todas as janelas e não liga o ar condicionado. Estávamos morrendo, mas ele parecia perfeitamente confortável. Ele faz isso para o corpo suportar o calor que o interior dos exoesqueletos dos robôs provoca”.

Para tornar-se um artista, Kokis teve de abdicar de muitas paixões, inclusive da ex-companheira. “Não há ninguém no mundo que faça o que eu faço e muito menos do jeito que eu faço”, disse Kokis ao News12 Brooklyn.

“Sou eu quem projeta, sou eu quem constrói. É preciso ser realmente criativo para colocar todas as peças juntas, para criar toda essa harmonia. O trabalho é árduo e nem todo mundo tem disposição”.

La Pascualita, a história da Noiva Cadáver Real

Matéria anterior

5 coisas para saber sobre organização financeira de forma fácil e rápida

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar