Notícias

Jacaré gigante é retirado de lago com pá carregadeira

0

Um jacaré gigante foi capturado num lago de Luzimangues, distrito de Porto Nacional, apresentando um comprimento de mais de 4 metros. Então, ele foi amarrado com cordas e içado por uma pá carregadeira para depois ser colocado em uma caçamba e transportado para outro local.

Esse caso foi registrado no sábado (23), às margens da Mineradora Potti. Segundo o Corpo de Bombeiros, funcionários acionaram a entidade e, antes da sua chegada, já capturaram o animal, que ainda estava vivo. Assim sendo, circula pelas redes sociais um vídeo do animal lutando contra a captura.

Ainda de acordo com os bombeiros, logo depois da captura, os funcionários colocaram o animal em uma caçamba da subprefeitura de Porto Nacional e o levaram para os mangues do lago, onde não há visitantes. Sendo assim, a Polícia Militar informou que foi até o lago após receber as informações sobre tentativas de ataque do jacaré.

Quando viram o animal, perceberam que ele estava com lesões antigas, sem as patas dianteiras e provavelmente cego de um olho. Por essa razão, um biólogo comentou as condições em que o animal foi resgatado.

Resposta da Mineiradora

Segundo o representante da mineradora, o jacaré-açu foi visto pela manhã. Quando um funcionário subiu na balsa, o animal estava presente no lago e com a boca aberta. Além disso, o representante informou que os funcionários imobilizaram o animal usando cordas e acionaram o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar. A área recebe diversos visitantes, principalmente no período seco, quando as temperaturas aumentam.

“Nós imobilizamos o animal porque ele estava muito agressivo e o local é usado por banhistas. Quando a polícia chegou, o animal estava no chão. Eles pediram apoio para içar e colocar o jacaré na caçamba. O animal não sofreu maus tratos nenhum, não teve lesões, estava vivo, pelo vídeo dá para ver ele muito agressivo, foi resgatado sem machucado”, disse.

Ele também disse que os militares pediram apoio porque não havia uma viatura capaz de transportar um animal tão grande. Já a Prefeitura de Porto Nacional disse que a secretaria de desenvolvimento apenas deu o suporte solicitado pela mineradora e Corpo de Bombeiros Militar para transportar o animal até um local adequado.

A captura do jacaré

jacaré

Divulgação

Segundo o biólogo Aluísio Vasconcelos, é necessário levar em conta as circunstâncias em que o animal foi encontrado e o que era disponível naquele momento.

“Quando a gente vai fazer o manejo de jacarés, no caso esse é um jacaré-açu, geralmente a gente venda os olhos, amarra a boca e aí ele fica imóvel. Com várias pessoas, se amarra as patas dianteiras e traseiras. Só depois a gente consegue manusear o animal sem sofrer algum acidente ou deixá-lo estressado”, explicou.

Portanto, na visão do biólogo, considerando o tamanho do animal e o fato deles terem o transportado rapidamente com a ajuda de equipamentos, ele provavelmente não passou por maus-tratos.

“Não vou dizer que foi errado. Poderiam ter feito esse manejo correto, mas pelo vídeo deu para ver que foi algo rápido. Agora não podia ter deixado aquele monte de gente olhando. Quanto mais gente se tem próxima do animal, mais estresse ele sofre”, argumentou.

Machucados

Nas imagens e segundo informações das testemunhas, o jacaré apresenta ter as patas dianteiras amputadas. Assim, o biólogo afirmou que seja possível que ele tenha sofrido ataque de piranhas.

“As piranhas podem comer as patinhas ou possivelmente quando ele está predando outro animal, elas aproveitam”. Apesar do ferimento, o animal consegue se adaptar, segundo o biólogo.

Dessa forma, o especialista também acredita que os funcionários da mineradora conseguiram amarrá-lo por ele não ter os membros dianteiros, o que resulta em menos mobilidade. “Pata predada reduz a movimentação dele, e isso é uma sorte que eles tiveram. Se ele tivesse com as patas inteiras, talvez não tivessem conseguido pegar esse jacaré”, explicou.

Fonte: G1

Para bater recorde, estadunidense empurra amendoim montanha acima com o nariz

Artigo anterior

Ex-empregada doméstica retoma estudos interrompidos na 4ª série e se forma como advogada

Próximo artigo