Curiosidades

Moradora de SP viraliza mostrando rotina como ‘mulher de presidiário’

0

As pessoas são plurais e vivem várias realidades diferentes. Algumas delas podem parecer distantes e por isso fascinar muita gente, ainda mais se a pessoa posta sua rotina na internet. Esse é o caso dessa mulher que mostra a rotina das “cunhadas”, como são chamadas as mulheres de presidiários.

A designer de unhas Marta Carollina Ribeiro, de 24 anos, viralizou na internet mostrando sua rotina. Ela contou que chegou a ter depressão depois de ficar longe do seu namorado, Gustavo Rodrigues, que foi preso por tráfico de drogas.

Em entrevista, a mulher disse que quando ela começou a compartilhar sua rotina, os feedbacks dos internautas não eram positivos. “Era só ‘hater’ no começo. As pessoas falavam que eu tinha que morrer quando visitasse ele na cadeia. Quanto mais ódio eu lia, eu criava mais força e continuei postando. Hoje, eu tenho pessoas que realmente gostam de mim e fazem essa caminhada ser mais tranquila. Eu estava numa depressão muito grande antes de entrar nas redes sociais, era uma pessoa muito sozinha. Eu me tornei mais comunicativa, hoje eu sinto que estou acolhida”, contou.

Rotina

G1

Marta compartilha com seus seguidores momentos da sua rotina, indo desde a produção de refeições até as compras de itens essenciais para o seu namorado. Segundo a própria, o objetivo é mostrar a realidade dos familiares de pessoas que estão presas.

“Há um ano eu comecei a postar vídeos explicativos, memes, posto de tudo sobre esse universo. Quero mostrar a realidade. A gente não apoia o crime, a gente apoia a mudança e esperança no familiar”, disse ela.

A mulher mora em Osasco, na Grande São Paulo, e conta que demora aproximadamente duas horas e meia de trem até Franco da Rocha, a cidade da região metropolitana onde está o presídio. No encontro com seu namorado, além de se verem presencialmente, ela envia itens de uso básico pelos Correios.

“Eu vivo constantemente com a solidão. Mas vai passando o tempo, e a gente vai se conformando, criando forças para ajudar eles. Nós também temos o ‘jumbo’, que a gente manda via Sedex. ‘Jumbo’ são os itens básicos e necessários, que ele precisa na unidade. Vestuário, alimentação e higiene. Lá não tem janela, são uns vãos na parede e faz muito frio. Por isso, mando até lençol”, contou.

Trabalho

G1

A repercussão dos vídeos de Marta é tanta que ela já está fechando contratos publicitários para fazer em suas redes sociais. Esse dinheiro veio em boa hora, já que ela não tem ajuda do namorado e nem de seus familiares para arcar com a despesa dela e do filho.

“Eu estou fazendo ‘publi’. Estou feliz demais. Depois que eu alcancei um certo número de seguidores, comecei a rentabilizar nas redes sociais. E, agora, eu consigo fechar ‘publis’ e parcerias. Eu venho falando sobre vídeos da cadeia e também sobre beleza. Há males que vem para bem”, afirmou a mulher.

Futuro

mulher

G1

De acordo com a mulher, uma das perguntas que ela mais recebe nas redes sociais é a respeito de uma segunda chance ao namorado caso ele seja preso de novo. Nesse ponto, Marta é convicta em dizer que não continuaria o relacionamento, mesmo afirmando que ela pretende se casar com ele em agosto desse ano dentro do presídio.

“Eu não perdoaria e não continuaria com ele se ele cometer um crime novamente. Eu não tenho essa expectativa de vida para sempre. Eu quero viver os meus sonhos. Com ele preso, não consigo viver. Não consigo ter uma vida normal. Eu quero conquistar meus objetivos e ter ele ao meu lado”, concluiu Marta.

Fonte: G1

Imagens: G1 

Apartamento de 10m² que custa R$ 200 mil viraliza nas redes sociais

Artigo anterior

Justiça condena influenciador digital a pagar indenização ao ator Marcos Pitombo

Próximo artigo