Notícias

Morre aos 93 anos estilista britânica que popularizou a minissaia

0

A família de Mary Quant divulgou, nesta quinta-feira, 13, que a estilista britânica faleceu aos 93 anos em sua residência em Surrey, localizada ao sul de Londres. Segundo o comunicado, ela faleceu pacificamente.

Sua família a reconheceu como uma inovadora notável e uma das estilistas mais renomadas do século 20 internacionalmente.

Para muitas mulheres que cresceram usando seus designs, eles representavam liberdade, empoderamento e uma recusa aos padrões estéticos impostos por seus pais.

Quem foi Mary Quant?

Via Globo

Mary Quant foi uma estilista britânica que nasceu em Londres em 11 de fevereiro de 1930 e faleceu em 13 de abril de 2023.

Ela é famosa por ter popularizado a minissaia nos anos 60, transformando-a em um ícone da moda mundial.

Além disso, Quant é uma das principais influências na moda feminina da década de 60, tendo ajudado a definir o estilo da época.

Quant estudou na Goldsmiths, Universidade de Londres, e começou sua carreira em 1955, trabalhando como assistente de um estilista.

Em 1957, ela abriu sua primeira loja, chamada Bazaar, em King’s Road, em Chelsea. A loja tornou-se rapidamente um sucesso, e sua linha de roupas jovens e acessíveis fez dela uma das estilistas mais populares da época.

Em 1965, Mary Quant recebeu condecoração da Ordem do Império Britânico por seus serviços à moda, tornando-se uma das primeiras estilistas a receber a honraria.

Posteriormente, nos anos 70, ela expandiu sua marca para incluir acessórios e produtos de beleza, lançando sua própria linha de maquiagem.

Além disso, Quant continuou a trabalhar na indústria da moda ao longo de sua vida, tendo recebido diversas premiações e homenagens pelo seu trabalho.

Criações

Via Globo

Mary Quant criou um estilo de moda que ficou conhecido por suas roupas coloridas, confortáveis e ousadas que rompiam com os padrões estéticos da época.

Sua intenção era oferecer uma alternativa ao guarda-roupa rígido e formal das mulheres da década de 50, que visava mais as demandas masculinas.

Além disso, suas peças de vestuário eram direcionadas para um público jovem, que buscava a liberdade e o empoderamento.

A marca registrada de Quant eram as saias curtas, que ficaram conhecidas como minissaias.

Foi ela quem popularizou a peça e a tornou um ícone da moda dos anos 60, sendo adotada pelas mulheres em todo o mundo.

Suas roupas eram desenhadas com o conforto em mente, sendo peças que não restringiam os movimentos e permitiam às mulheres se sentirem livres e poderosas.

Quant também usou sua posição como estilista para promover a igualdade de gênero.

Isso porque ela acreditava que a moda poderia ser uma ferramenta para empoderar as mulheres e incentivar a autoexpressão.

Afinal, suas roupas refletiam essa visão e inspiravam muitas mulheres a se vestirem de forma mais autêntica e a expressarem a sua individualidade.

Por fim, ao longo de sua carreira, Mary Quant deixou um legado duradouro na indústria da moda, tornando-se uma das estilistas mais influentes do século XX.

Via Globo

Homenagens

Por meio de uma postagem no Twitter, Alexandra Shulman, ex-editora-chefe da Vogue britânica, prestou homenagem a Mary Quant, referindo-se a ela como uma líder na moda e no empreendedorismo feminino.

O Victoria & Albert Museum também se pronunciou sobre a morte de Quant, destacando a sua contribuição inestimável para a moda e ressaltando a sua visão pioneira que forneceu um novo modelo para as mulheres jovens. Eles concluíram afirmando que a moda atual deve muito a Mary Quant.

Além disso, diversos profissionais do ramo também prestaram suas homenagens para a estilista. Seu legado marcou gerações de mulheres e lançamentos de roupas, inclusive para as camadas mais populares.

Hoje, peças políticas e com peso social existem pela influência de Quant em uma época conservadora, onde ela desafiou o mercado e se consagrou como uma das maiores criadoras de todos os tempos.

 

Fonte: CNN Brasil

Imagens: Globo, Globo, Globo

Se a Terra se transformasse em um buraco negro o que aconteceria?

Artigo anterior

Miniórgãos feitos em laboratório podem substituir animais nos testes

Próximo artigo