Mundo Afora

O ‘nude’ que ajudou a desvendar maior roubo doméstico do Reino Unido

0

Em janeiro de 2020, o detetive policial Thomas Grimshaw entrou em um hotel barato em uma rua no sudeste de Londres com um palpite de que a visita ao local poderia ajudá-lo a solucionar o caso do maior roubo doméstico da história legal do Reino Unido.

Grimshaw questionou a recepcionista sobre os hóspedes que haviam ficado no local em meados de dezembro. Ela comentou sobre um grupo de pessoas, inclusive entregou o número de um homem que havia enviado mensagens inapropriadas para sua colega, incluindo uma foto de seu pênis.

Com isso, o detetive encontrou o número de telefone que ajudou a polícia a identificar o primeiro suspeito.

O caso do maior roubo do Reino Unido

Foto: MET POLICE

Faltavam menos de duas semanas para o Natal de 2019 quando Tamara Ecclestone, seu marido Jay Rutland e a filha Sophia viajaram para a Lapônia. A filha do ex-chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, compartilhou uma foto no Instagram antes da decolagem.

Naquela noite, uma gangue de ladrões havia invadido sua casa no Kensington Palace Gardens e fugido com mais de 25 milhões de libras (R$ 165 milhões, em valores atuais) em dinheiro e joias.


Um dos seguranças da residência abordou três intrusos desmascarados logo após as 23h. Eles estavam no closet de Ecclestone. 

Dois telefones descartáveis ​​e uma chave de fenda foram encontrados em um dos quartos da mansão. Também havia imagens capturadas pelas câmeras de segurança dos ladrões passeando pelo jardim dos fundos da casa de Ecclestone e em seguida fugindo do local.

As câmeras flagraram as três figuras entrando em um táxi em uma rua próxima. Por isso, os detetives começaram a rastrear todos os táxis que operavam em um raio de cerca de 2 km da casa naquela noite. 

Durante a investigação, eles rastrearam o motorista, chamado Jimmy, que apenas se lembrava de ter deixado os homens próximo da fronteira entre Londres e o Condado de Kent e de uma ponte com arco.

Isso ajudou a reduzir a busca ao subúrbio de St. Mary Cray e iniciar uma varredura das câmeras da área. Uma das imagens encontradas mostrava figuras caminhando em uma pequena viela, próxima ao hotel chamado TLK Apartments, local em que o detetive Thomas Grimshaw foi informado sobre o “nude”.

Suspeito inicial

Foto: MET POLICE

Jugoslav Jovanovic, um italiano de 23 anos foi o suspeito inicial. De acordo com a investigação, o homem entrou no Reino Unido em 30 de novembro. Ele fez registro no hotel no mesmo dia.

Uma verificação nos sistemas da polícia revelou que foi registrado outro roubo a celebridades, dessa vez no dia 1º de dezembro. Foram roubadas joias no valor de 60 mil libras (R$ 396 mil) pertencentes ao técnico de futebol Frank Lampard e sua esposa, Christine.

As imagens capturadas pelas câmeras da casa mostravam um homem de aparência semelhante à vista nos documentos de Jovanovic. Após isso, a polícia investigou quantos roubos de luxo ocorreram em Londres entre 1 e 18 de dezembro.

Logo eles descobriram que mais de 1 milhão de libras (R$ 6,6 milhões) em itens foram roubados da casa do falecido proprietário do time Leicester City FC, Vichai Srivaddhanaprabha. Novamente, ao analisar as câmeras, os detetives viram um rosto familiar, o de Jovanovic.

Investigação dos roubos

Foto: MET POLICE

O caso foi dividido pelos policiais em duas partes. Primeiro eles investigaram quatro homens que acreditavam ser os ladrões que realizaram os ataques nas casas. Depois eles desejavam identificar outros quatro que teriam sido o “elenco de apoio” dos assaltantes. De acordo com a polícia, seu trabalho envolveu reservar Ubers, hotéis, voos e conduzir veículos.

Jovanovic entrou no Reino Unido em 30 de novembro com Daniel Vukovic, um croata de 39 anos. Eles deixaram o país em 18 de dezembro, Jovanovic para Milão, Vukovic para Belgrado. Ele estava com uma mulher chamada Maria Mester.

Mester tem um filho, Emil Bogdan Savastru, os dois foram acusados ​​de fazer parte do “elenco de apoio” junto com outros dois homens, os romenos Alexandru Stan e Sorin Marcovici.

A investigação encontrou imagens de Jovanovic e Vukovic comprando café. Câmeras capturaram imagens deles em uma cafeteria na estação London Victoria.

Já as imagens das câmeras da estação deram outra pista. Jovanovic foi visto apertando a mão de um quinto homem e atravessando o saguão com ele. Depois, a polícia descobriu que esse homem era Emil Bogdan Savastru.

Com a ajuda da Europol, polícia especial europeia, foi possível identificar os dois últimos suspeitos: os italianos Alessandro Donati e Alessandro Maltese. 

Prisão

Foto: MET POLICE

A primeira pessoa a ser presa foi Savastru. A polícia observou seus movimentos e sabia que ele havia reservado uma passagem só de ida para Tóquio em 30 de janeiro de 2020. Ele foi preso no aeroporto de Heathrow, na capital britânica.

Em novembro de 2020, Marcovici, Stan, Savastru e Mester foram a julgamento no Tribunal da Coroa de Isleworth acusados ​​de conspiração para roubar.

A defesa de Mester alegou que ela era acompanhante de luxo internacional. Ela afirmou que em dezembro de 2019, ele pediu que ela o acompanhasse a Londres e pagou milhares de euros por isso.

Mester disse que não tinha ideia de que Vukovic nem os homens com quem ele estava estavam realizando roubos.

Depois de ser absolvida, ela afirmou que a polícia não foi capaz de provar seu envolvimento e de seu filho nos roubos.

Já Savastru disse aos jurados durante o julgamento que havia sido apresentado a dois dos suspeitos em dezembro de 2019, mas não sabia de seus supostos negócios criminais

Stan afirmou ao tribunal que um amigo o pediu para ajudar alguns italianos que eram novos em Londres e precisavam de ajuda com um carro para se locomover. Após isso, ele encontrou os estrangeiros e trocou números de telefones.

Sobre o dia 1º de dezembro, ele disse que recebeu um telefonema pedindo seu endereço. Jovanovic e Vukovic foram à sua casa, mas ele insiste que não sabia o que eles estavam fazendo.

Stan afirma que um deles estava com um corte e afirmava que não queria que suas esposas soubessem que eles haviam brigado, então, ele lhes deu uma muda de roupas e reservou um Uber.

Marcovici afirmou que ele era um inocente envolvido em um esquema do qual não tinha conhecimento. Ele ainda declarou que aceitou levar o pedido de Mester para levar os amigos de Vukovic para o oeste de Londres, mas que tinha sido informado que eles estavam indo para um canteiro de obras para pegar algumas ferramentas. Marcovici disse ainda que parou de dirigir para os homens após um desentendimento sobre seu pagamento. 

Em janeiro de 2021, os quatro foram considerados inocentes de conspiração para roubar.

Condenações

Foto: MET POLICE

Mester e seu filho ainda foram julgados por outros crimes. Mester foi condenada por não entregar seu telefone à polícia. Já Savastru foi condenado por uma acusação não relacionada de posse de cédulas de dinheiro falsas.

Donati e Maltese foram presos em Milão e extraditados em 2020. Jovanovic foi preso na costa italiana de Santa Marinella, nos arredores de Roma, no mesmo ano. Após lutar contra a extradição, ele foi deportado para o Reino Unido em abril de 2021.

Todos os três se declararam culpados de conspiração para roubar e foram presos em novembro de 2021. No entanto, um dos suspeitos ainda está foragido.

Documentos judiciais, acessados pela BBC, sugerem que seu nome verdadeiro é Alfredo Lindley — um peruano nascido em Miraflores, um subúrbio de Lima, em 1981.

Fonte: BBC

Fã de ‘Stranger Things’ leva mais de 12 horas para se transformar em vilão

Matéria anterior

Restaurante chinês escondia pegadas de dinossauros

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos