Ciência e TecnologiaCuriosidades

Descubra o que acontece quando você estala seus dedos!

0

Você tem o hábito de estalar os dedos? Um gesto tão comum e difundido no comportamento, em geral, parece ter uma explicação simples. Estudos com imagens de ressonância revelam que isso ocorre pelo colapso de bolhas de ar que se formam em um fluido que existe entre os ossos, chamado de Líquido sinovial. Mas máquinas de ultrassom recentes, 100 vezes mais potentes, revelam uma hipótese do que acontece nesse hábito comum em atividades cotidianas de trabalho.

O estudo guiado pelo radiologista Dr. Robert D. Boutin, da Universidade da Califórnia, recrutou 40 pessoas saudáveis, sendo que 30 estalavam os dedos habitualmente e 10 não. Alguns ‘estaladores de dedo’ chegam a estalar de 20 a 40 vezes os dedos por dia, provocando lesões a longo prazo. O estudo afirma ainda que o barulho causado pelo estalo não parte das bolhas de ar que se formam e sim da explosão dessas bolhas, mas ainda não tem provas conclusivas, apenas a hipótese guiada pelas imagens geradas na máquina de ultrassom de última geração.

Confira algumas imagens do que acontece quando seus dedos estalam:

1. Bolhas que se formam no líquido sinovial

Synovial-fluid-cavitation

2. Lesões originadas pelo estalo nos dedos

cracking_

Até hoje não foi descoberto por quê o barulho acontece; pela formação ou pela explosão das bolhas. Mas as imagens de máquinas de ressonância revelaram que explosões de luz acontecem quando os dedos estalam, e a imagem do flash brilhante acontece depois do barulho (crack) do estalo, levantando a hipótese de que o barulho acontece pela explosão das bolhas de ar no líquido sinovial, e não pela formação delas. O estudo do Dr. Robert D. Boutin continua sem provas conclusivas sobre a explicação científica mas, de fato, os estalos lesionam os dedos. E você, tem mania de estalar os dedos? Com que frequência? Deixe seu comentário na página.

A história desse cachorrinho vai fazer você chorar

Matéria anterior

9 hábitos bizarros de figuras poderosas na humanidade

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos

Você também pode gostar