O que acontece se uma bomba nuclear for jogada dentro de um vulcão?

POR A redação    EM Mistérios & Horror      31/08/15 às 19h41

Para quem tem apenas uma ideia superficial do que seja um vulcão, ele é uma estrutura geológica criada quando o magma, gases e partículas quentes "escapam" para a superfície. Eles tem altas quantidades de poeira, gases e aerossóis na atmosfera, interferindo no clima. São frequentemente considerados os causadores da poluição natural.

Já uma bomba nuclear, conhecida também como bomba atômica, é uma arma com alto poder de destruição em função da grande quantidade de energia que libera. Esta energia liberada pela bomba é originada pela reação nuclear.

Além de energia, essas bombas liberam, ao explodirem, grande quantidade de radiação e calor. Estes tipos de bombas carregam ogivas nucleares e podem ser lançadas através de mísseis ou jogadas por aviões. Elas são tão poderosas que podem chegar a destruir uma cidade, arrasando construções, matando e ferindo milhares de pessoas.

Você já parou para pensar se uma arma com tamanho poder de destruição for jogada dentro de um vulcão? O que acontece quando você combina uma das criações mais destruidoras do homem com uma criação devastadora da natureza?

h

Você deve ter imaginado que uma imensa explosão aconteceria, não é verdade? Mas a verdade é que não aconteceria nada. Isso mesmo! Isso porque, é praticamente impossível deixar uma bomba nuclear cair em um caldeirão borbulhante de magma. A bomba iria derreter sem começar uma reação nuclear.

Uma bomba nuclear é feita de explosivos e um núcleo radioativo. Para acontecer uma explosão devastadora, todos os explosivos precisam detonar sob um sincronismo para criar energia suficiente para inciar uma reação nuclear. Uma vez que uma reação em cadeia começa, não há como pará-lo.

Afim de iniciar esta reação, e criar uma explosão catastrófica, a bomba teria que ser detonada ACIMA da boca do vulcão, ou magicamente transportada para o centro da câmara de magma. E se uma dessas duas opções acontecer? É simples, a bomba, por conta própia, iria produzir uma bola de fogo que iria incinerar tudo nas proximidades. O perigo seria tanto que a explosão no ar seria capaz de derrubar todos os edifícios de concreto próximos.

w

Alguns casos envolvendo bombas nucleares podem ser lembrados, como por exemplo, a bomba Tsar - a maior bomba já testada pela Rússia. A bomba RDS-220, de maior potência já detonada na Terra, foi testada em outubro de 1961 na ilha de Nova Zembla, localizada no Oceano Ártico com o objetivo de diminuir seu poder de destruição. O explosivo passou por uma redução de sua forma inicial. A bomba era tão grande que sua utilização em guerras se tornava inviável, sendo que sua criação se deu para propagar o poder nuclear da URSS durante a Guerra Fria.

Outro exemplo é a Fat Man, uma bomba atômica que foi lançada sobre Nagasaki, no Japão, pelos Estados Unidos, em 9 de agosto de 1945. Foi a segunda das duas bombas atômicas usadas em guerras. Como o terreno de Nagasaki é montanhoso, parte da carga energética da explosão foi contida. Sendo assim, cerca de 40 mil pessoas foram mortas e mais 25 mil ficaram feridas. Milhares morreram nos anos posteriores ao ataque devido a radiação e doenças causadas pela radiação.

Uma bomba atômica dentro ou fora de um vulcão, de fato, é um perigo para toda a humanidade.

Fonte: IFLSCIENCE

A redação
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+