O que levar em consideração na hora de escolher o nome do seu filho?
Tempo de leitura:4 Minutos, 21 Segundos

O que levar em consideração na hora de escolher o nome do seu filho?

Se tornar pai ou mãe de uma criança é uma coisas que mexe com o psicológico e com o emocional de qualquer pessoa. Várias pessoas sonham com esse momento e até tem tudo planejado na cabeça para a criança que ainda nem chegou. Desde a cor do quarto até seu nome. Por outro lado, algumas pessoas preferem escolher o nome da criança depois que ela nasce, para que eles vejam  o rosto do bebê primeiro.

O que leva os pais a colocarem os nomes nos seu filhos é estritamente pessoal. Afinal, não podemos saber o que se passa na cabeça de cada pessoa. E é evidente que todos somos, um tanto quanto, diferentes. No entanto, na maioria dos casos, a escolha do nome vem de algumas referências, vontades pessoais, acordos entre os pais, sugestões de amigos ou familiares, entre outras possibilidades.

Claro que por ser uma coisa tão particular não existe certo ou errado, e muito menos regras a serem seguidas. Mas isso não impede de que existam algumas dicas para ajudar os futuros pais a baterem o martelo em um nome e evitar arrependimentos.

Mostramos aqui algumas dessas dicas dadas pela psicóloga Airam Chaves, pós-graduada em psiquiatria e saúde mental da infância e adolescência, e Ingrid B. Yokoyama, psicóloga da Vibe Saúde.

1 – Pesquisar os diferentes significados e possíveis apelidos

De acordo com Ingrid, é através do nome que a criança irá ser apresentada para o mundo pela primeira vez. Até porque, ele é um dos fatores que, de certa forma, fazem cada um uma pessoa única. Além dele também ser parte fundamental da criação da identidade da pessoa.

Justamente por isso, antes de se decidir em um nome, os pais devem considerar tudo o que o nome representa. Pesquisar a respeito do significado dos nomes que mais agradam os pais e fazer uma lista com as ideias principais e suas interpretações. Inclusive, é bom pesquisar os possíveis apelidos, “brincadeiras”, e relações que o nome possa instigar.

“Questione: faz sentido atribuir este nome ao novo integrante da família?”, ressaltou Ingrid.

“É importante que os pais tenham conhecimento sobre o significado do nome escolhido para o bebê, pois isso poderá influenciar na personalidade daquele ser que está por vir”, pontuou Airam.

2 – Considerar sugestões, mas saber que pode frustrar alguém

Se os pais ainda não tiverem uma ideia em mente sobre o nome, levar em consideração sugestões de pessoas queridas é uma boa ideia. Contudo, é bom evitar nomear o bebê apenas para agradar alguém que os pais gostem.

Conforme sugere Airam, os pais tem que entender, respeitar e aceitar a sugestão do outro somente se ela se encaixar nos motivos principais da escolha do nome da criança. Ela também pontua que está tudo bem em não acatar a sugestão das pessoas queridas. E os pais não devem se cobrar ou culpar por conta disso.

3 – Se prepare para o julgamento

Mesmo depois do nome escolhido os pais tem que lidar com um aspecto bem negativo: os possíveis julgamentos. Até porque, várias pessoas não tem noção e se acham no direito de julgar ou até mesmo desqualificar a escolha do nome pelos pais.

“É necessário que você tenha certeza sobre a escolha do nome, já que as opiniões de terceiros até podem te influenciar, mas isso tem muito mais a ver com a sua própria autenticidade sobre suas decisões. Para contornar situações desagradáveis, procure ser gentil e firme no que você já havia definido, agradeça pelas sugestões e mostre autonomia”, disse Airam.

“Levando em consideração que muitas vezes as sugestões indesejadas não se limitam somente à escolha do nome da criança, é interessante pensar sobre de que maneira os envolvidos têm lidado, no geral, com essas intromissões”, continuou Ingrid.

4 – Mantenha as opções em aberto no caso de dúvidas

A chegada do bebê, como pontua Airam, é um momento que vai além do esperado pela família. Ele vai além dos desejos e surpresas de todos. Justamente por conta disso que ela diz que a escolha do nome é uma coisa que concretiza o desejo do inconsciente. Por isso, ela tem que ser feita com bastante zelo e cuidado.

Por conta disso, fazer uma lista de opções e ranqueá-las até o nascimento do bebê pode ser uma solução para os pais que ainda não sentiram confiança em definir um nome.

“Também é importante pensar que nada é totalmente previsível. E, se percalços surgirem no decorrer do caminho em relação a isso, alguns aspectos podem ser revistos, conversados e remanejados”, ressaltou Ingrid.

5 – Optar pelo que for melhor para os pais

A última coisa a se levar em consideração é respeitar as necessidades e limites dos pais. Outro ponto é, se conta ou não o nome do bebê também fica a critério dos futuros pais.

“Logo, ter em mente o seu desejo, a forma como quer desenvolver determinadas atividades, realizar certas escolhas e reconhecer quem você gostaria que participasse deste processo são algumas das maneiras de já conseguir demarcar os próprios limites, fazendo esta ‘seleção’”, concluiu Ingrid.

Fonte: https://www.msn.com/pt-br/estilo-de-vida/familia/5-aspectos-para-levar-em-considera%c3%a7%c3%a3o-na-hora-de-escolher-o-nome-do-beb%c3%aa/ar-AAP5RTw?li=AAggXC1