Estudo diz que fotossíntese poderia acontecer nas nuvens de Vênus
Tempo de leitura:3 Minutos, 37 Segundos

Estudo diz que fotossíntese poderia acontecer nas nuvens de Vênus

As pessoas são fascinadas com o espaço e as coisas que têm nele. Desde que o homem foi à lua, as expedições e explorações do espaço sempre pairaram a humanidade. Os humanos sonham em ir para Marte, praticamente desde quando o planeta foi descoberto. Mas outro planeta também chama aa tenção.

Vênus é o segundo planeta do sistema solar. E recebeu esse nome em homenagem a deusa romana do amor e da beleza Vênus, conhecida também como Afrodite. O planeta Vênus, tem cerca de 4,5 bilhões de anos e é considerado o corpo celeste mais brilhante no céu. Isso, depois do sol e da lua, claro.

Ele pode ser  um planeta infernal e tóxico. Contudo, a suposta detecção de gás fosfina na atmosfera do planeta levantou a questão de que ele poderia ser de origem biológica.

Nuvens de Vênus

E justamente por Vênus ser um planeta inóspito para a vida como se conhece, essa detecção foi bem interessante. Agora, os cientistas determinaram que o planeta poderia, de fato, ser habitável em suas nuvens, bem acima de sua superfície escaldante.

Mais especificamente, o nível de irradiação solar em determinadas altitudes é comparável com a irradiação solar na Terra. Isso significa que os micróbios fotossintetizantes  aerotransportados poderiam sobreviver nessa alturas. Além disso, a camada espessa de nuvem daria alguma proteção conta a radiação ultravioleta prejudicial. E é possível que a acidez das nuvens seja menor do que se prevê e dentro dos parâmetros aceitáveis para a vida.

“Juntas, essas considerações fotofísicas e químicas apóiam um potencial de fototrofia nas nuvens de Vênus”, escreveram os pesquisadores.

Entretanto, quando o quesito é habitabilidade, é bem improvável que Vênus seja. Até porque, as condições na superfície são realmente bem infernais. Visto que o planeta está envolto em uma atmosfera espessa composta quase que inteiramente de dióxido de carbono. Além disso, esse dióxido gira 60 vezes mais rápido do que o próprio planeta, o que produz ventos totalmente insanos.

A inospitalidade de Vênus não para por aí. O céu do planeta é cheio de nuvens espessas de ácido sulfúrico, e sua pressão atmosférica a zero de altitude é quase 100 vezes maior que a do nosso planeta. E como se tudo isso não fosse o bastante, Vênus é extremamente quente, com uma temperatura média de superfície d  471° Celsius.

Possibilidade

Justamente por tudo isso que, quando os astrônomos anunciaram ano passado que tinham detectado fosfina na atmosfera de Vênus toda a polêmica surgiu. Porque uma das explicações para isso pode ser a presença de microrganismos.

Na Terra, se encontra a fosfina em contextos bem limitados. Um deles é preciso um ecossistema anaeróbico ou com um baixo teor de oxigênio. Ela é encontrada em pântanos e lama, lugares onde os micróbios anaeróbicos se desenvolvem. Também é encontrada nos intestinos e gases intestinais. E de alguma forma, esses microorganismos anaeróbicos produzem fosfina.

A origem biológica não é a única explicação. Uma possibilidade também é a origem vulcânica. Contudo, para avaliar a possibilidade de uma origem biológica em primeiro lugar, uma análise de habitabilidade de Vênus não faltaria.

Estudo

Por isso, o bioquímico Rakesh Mogul da California State Polytechnic University, Pomona, e uma equipe de cientistas começou a fazer uma. Eles revisaram os dados sobre o planeta e determinaram que as assinaturas que indicam o ácido sulfúrico também podem ser causadas por formas neutralizadas do ácido.

E se esse for o caso, poderia então haver mais atividade de água de forma significativa  e com isso menos acidez nas nuvens de Vênus do que se estimava anteriormente.

Mas isso não quer dizer que esse seja o caso. O estudo tem o objetivo de estabelecer que isso simplesmente é possível. Tendo isso como possibilidade, caminhos são abertos para as pesquisas futuras.

Nosso estudo fornece suporte tangível para o potencial de fototrofia e / ou quimiotrofia por microorganismos nas nuvens de Vênus. Os níveis de acidez e atividade da água estão potencialmente dentro de uma faixa aceitável para o crescimento microbiano na Terra, enquanto a iluminação constante com UV limitado sugere que as nuvens de Vênus podem ser hospitaleiras para a vida. Acreditamos que as nuvens de Vênus seriam um grande alvo para habitabilidade ou vida missões de detecção, como as atualmente planejadas para Marte e Europa”, concluiu Mogul.

Fonte: https://www.sciencealert.com/new-study-deems-life-supporting-photosynthesis-possible-in-the-clouds-of-venus