Notícias

Pai bloqueia 4G dos filhos e deixa a cidade inteira sem internet

0

Até onde você iria para impedir que seus filhos tivessem acesso à internet? Um pai da cidade de Messanges, na França, deixou os moradores do município inteiro sem internet porque bloqueou o acesso dos filhos ao serviço. A história é inusitada, mas deixou os vizinhos “de cabelo em pé”. 

Após o início do isolamento imposto pela Covid-19, os moradores de Messanges passaram a ficar sem acesso à internet entre meia-noite e três da manhã, todos os dias. O motivo, ninguém imaginava: o corte no serviço era causado por um pai, que usou um bloqueador de sinal para evitar que os filhos acessassem a internet durante a madrugada.

internet

ANFR

No último dia 8, o problema foi reportado à Agência Nacional Francesa de Frequências (ANFR), que é o órgão público responsável pela gestão do espectro de radiofrequência na França. A queixa foi apresentada por uma operadora de telefonia móvel que, assim como os moradores, estava intrigada com a falta de acesso à internet na região. 

A primeira ação dos moradores ao perceber a falha no acesso à internet foi procurar a operadora de telefonia, já que acreditavam se tratar de algum problema no serviço da empresa. A operadora, como não tinha meios de solucionar o problema, e em razão das constantes queixas, decidiu acionar a ANFR. 

A agência, por sua vez, enviou um técnico ao município para investigar o problema. Ele aguardava próximo à antena de celular da operadora quando o relógio marcou meia-noite. Nesse momento, os seus equipamentos passaram a indicar uma alteração no sinal cujos gráficos não deixavam dúvidas: havia um bloqueador por ali.

Pixabay

Faltava descobrir quem estava ativando o bloqueio e o porquê. Usando um localizador de rádio no teto do seu veículo e um receptor portátil de sinal, o técnico chegou a uma casa que ficava a cerca de uma hora dali. Os equipamentos mostravam que o bloqueio tinha origem naquela residência. Por conta das boas práticas, o técnico aguardou que o dia amanhecesse para tocar a campainha da casa.

Ao retornar à residência, o técnico foi recebido pelo morador,  que admitiu que usava um bloqueador de sinal comprado pela internet. Segundo ele, seus filhos adolescentes estavam viciados em jogos virtuais, principalmente por causa do confinamento imposto pela Covid-19, e que a ideia era evitar que eles ficassem online durante as madrugadas.

Ainda segundo o pai, responsável pelo bloqueio da internet de toda a vizinhança, ele descobriu a possibilidade de cortar o serviço com um bloqueador através de um fórum na própria internet. No entanto, o homem acreditava que o bloqueador interromperia o sinal apenas de sua casa, não de todos os moradores de Messanges.

Além de ter deixado muita gente sem acesso à internet, o francês (que não teve o nome divulgado) infringiu a lei, já que bloqueadores de sinal são ilegais na França. Por conta disso, ele teve que pagar uma taxa de 450 euros (cerca de R$ 2.600) pelo ocorrido e ainda irá enfrentar um processo judicial que pode resultar em até seis meses de prisão e multa de 30 mil euros (R$ 175 mil).

Para além das consequências judiciais, o pai teve o equipamento apreendido. Em nota, a ANFR afirmou que a ideia do francês foi “uma solução radical, mas sobretudo ilegal e desproporcional. Porque o equipamento não impactou apenas a casa, mas toda a telefonia e internet móvel na área ao redor”.

Ainda segundo a agência nacional francesa, “ao querer banir a internet em sua casa, ele aplicou a mesma sentença a toda a vizinhança”. Para o pai, a medida era somente uma forma de controlar o acesso dos filhos à internet mas, para os vizinhos, a interrupção do serviço causou muita “dor de cabeça”.

Fonte: G1

Primeira modelo com Síndrome de Down a desfilar pela Victoria’s Secret

Artigo anterior

Como é a alimentação das pessoas que vivem mais do que 100 anos

Próximo artigo