Curiosidades

Por que tomamos vacinas no braço?

0

Estamos vivendo a pandemia do coronavírus há meses. Por ser um vírus mortal, as autoridades de todo o mundo estão se mobilizando com a situação e tentando conter o surto. A propagação desse novo tipo de coronavírus, tanto pela Ásia, como em outros continentes, deixou o planeta em estado de alerta.

Na urgência de tentar conter o mais rápido possível a pandemia de coronavírus, laboratórios do mundo inteiro estão se mobilizando em busca de uma vacina eficaz contra a COVID-19. Felizmente, todo esse esforço valeu a pena. Tanto que, vários países já estão imunizando suas populações.

Milhões de pessoas já arregaçaram as mangas para receberem a vacina contra a COVID-19. Mas o que muita gente não sabe é o porque  tomamos as vacinas no braço.

Vacina

Na realidade existe uma ciência por trás desse motivo. É importante notar que a maioria, mas não todas as vacinas, são aplicadas no músculo. Isso é conhecido como injeção intramuscular.

Alguns imunizantes, como por exemplo o contra o rotavírus, são dados via oral. Já outros são administrados logo abaixo da pele ou por via subcutânea, como por exemplo a vacina contra o sarampo, caxumba e rubéola.

Mas por quê o músculo é tão importante? E a localização, importa? E dentre eles, por quê o músculo do braço chamado deltoide na parte superior do ombro?

Motivo

O músculo é um excelente local para a aplicação da vacina porque o tecido muscular tem células imunológicas importantes. E essas células imunes reconhecem o antígeno, que é um pedaço minúsculo de um vírus ou bactéria introduzido pela vacina, que estimula uma resposta imune.

No caso do medicamento contra o novo coronavírus, ele não introduz um antígeno, mas sim um esquema para a produção de antígenos. As células do tecido muscular captam esses antígenos e os apresentam aos gânglios linfáticos.

E injetar o imunizante no tecido muscular mantém a vacina localizada. Isso permite que as células imunológicas consigam soar o alarme para outras células imunológicas e então começam a agir.

Depois que a vacina é reconhecida pelas células imunes no músculo, elas carregam o antígeno para os vasos linfáticos. Então, esses vasos transportam as células imunes que carregam o antígeno para os nódulos linfáticos.

Músculo

Esses gânglios linfáticos são componentes essenciais do sistema imunológico. Eles têm mais células imunológicas que reconhecem os antígenos nas vacinas e começam o processo imunológico da criação de anticorpos.

Os aglomerados de nódulos linfáticos estão localizados nas áreas próximas as que são injetados os imunizantes. Por exemplo, várias vacinas são introduzidas no deltoide porque ele está perto dos gânglios linfáticos localizados abaixo da axila. E quando as vacinas são dadas nas coxas, os vasos linfáticos não precisam viajar muito para chegar aos aglomerados de nódulos linfáticos na virilha.

Além disso, o tecido muscular tende a manter as reações da vacina localizadas. Já que a injeção de uma vacina no músculo deltoide pode resultar em uma inflamação local ou uma dor localizada. Por isso elas são dadas, normalmente, no braço.

6 motivos que mostram que batatas são boas para nós

Matéria anterior

Esse experimento de física pode destruir a galáxia, alerta astrônomo

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos