Saúde

Preguiça pode ser um sinal de alta inteligência, sugere pesquisa

0

Por muito tempo, acreditou-se que esforço era um sinal de inteligência, mas, agora, a preguiça também pode se manifestar em pessoas com maior QI.

A expressão “Eles são inteligentes, mas não se esforçam” é frequente no meio acadêmico e geralmente é vista de maneira negativa em relação a estudantes que são considerados relaxados.

No entanto, um estudodesafia essa percepção, sugerindo que a aparente falta de esforço pode, na verdade, ser um indicativo de maior inteligência.

Estudo sobre esse sinal de inteligência

Via Freepik

A pesquisa conduzida pela Universidade do Golfo da Flórida lançou uma nova perspectiva sobre a relação entre inteligência e atividade física.

Ao dividir os participantes em dois grupos – ‘pensadores’ e ‘não-pensadores’ – com base em um teste cognitivo, o estudo explorou as diferenças em seus níveis de atividade física.

Através da monitorização de seus movimentos com rastreadores de fitness, foi observado que os ‘pensadores’ eram notavelmente menos ativos durante os dias úteis, com pouca variação nos fins de semana.

Esse resultado intrigante sugere que indivíduos com QI mais elevado podem ter uma menor propensão à atividade física, optando por se envolver em tarefas mentalmente desafiadoras.

A razão por trás desse fenômeno é atribuída à capacidade dos mais inteligentes de evitar o tédio.

Eles têm a tendência de se dedicar a atividades intelectuais, que, embora sejam mentalmente envolventes, geralmente carecem do esforço físico associado a hobbies mais ativos.

Em contrapartida, aqueles classificados como ‘não-pensadores’ podem buscar atividades físicas como meio de se manterem mentalmente estimulados, combatendo o tédio.

Controvérsias

Apesar dos resultados intrigantes da pesquisa, é importante observar que o tamanho da amostra era relativamente pequeno, com apenas 60 participantes.

Essa limitação significa que generalizações amplas a partir desses achados devem ser tratadas com cautela.

No entanto, o estudo gerou um alto impacto em vários grupos, provocando uma mistura de humor e validação.

Os comentários variaram de comparações humorísticas consigo mesmo, como sendo o próximo gênio do século, a perspectivas mais críticas argumentando que a verdadeira inteligência envolve superar a preguiça para alcançar a disciplina.

Assim, embora seja crucial manter um equilíbrio saudável entre atividades mentais e físicas, este estudo proporciona uma visão refrescante.

Ele nos desafia a reconsiderar nossas preconcepções sobre sinal de inteligência e atividade, sugerindo que, por vezes, o que aparenta preguiça pode ser apenas uma expressão diferente de genialidade.

Preguiça demais é perigo

Via Freepik

Por outro lado, vale ressaltar que a persistência de comportamentos excessivamente preguiçosos pode ser um sinal de preocupação e merece uma investigação mais aprofundada.

Em alguns casos, a preguiça crônica pode estar relacionada a condições de saúde, como a síndrome de fadiga crônica, distúrbios do sono ou deficiências vitamínicas.

Muitas pessoas, especialmente crianças e adolescentes, vivenciam quadros mais graves e se manifestam como preguiça. Dessa forma, são desvalidados pelos pais, e, com esse estudo, pode existir ainda mais dificuldade no diagnóstico.

Portanto, é crucial não descartar a possibilidade de que a falta de motivação possa ser um sintoma de questões médicas subjacentes.

O mais recomendado é procurar um especialista ao notar sinais mais constantes de relaxamento, falta de energia e falta de atividade física. Além disso, vale ter alguns movimentos na rotina, especialmente que trabalhem o sistema cardiorespiratório.

Com isso, será mais simples descartar doenças que tenham a preguiça como sintoma. Ainda, valida os estudos e continua apoiando pessoas que tem esse sinal de inteligência e preferem atividades mais paradas.

A abordagem equilibrada entre a compreensão das complexidades individuais e a consideração das dimensões físicas e mentais é fundamental ao explorar os limites entre a preguiça, a saúde mental e as condições médicas.

 

Fonte: Mistérios do Mundo

imagens: Freepik, Freepik

Como cancelar um Pix enviado errado | Guia Prático

Previous article

DNA coletado no ‘lago dos esqueletos’ intriga cientistas

Next article

Comments

Comments are closed.