Saúde

Qual exercício fazer? Conheça os 4 principais e os seus benefícios

0

Se você está começando a praticar atividades físicas, é comum ter dúvidas sobre qual exercício fazer, pensando mais em treinos de força, como musculação, ou aeróbicos, como corrida.

No entanto, exercícios de equilíbrio e alongamento são igualmente importantes para uma saúde equilibrada.

Estudos destacam a importância da atividade física para um envelhecimento saudável, reduzindo problemas cardiovasculares, metabólicos e riscos de câncer, além de beneficiar a saúde mental. Por isso, vale a pena diversificar os exercícios na sua rotina!

Só que vale a pena ter em mente a diferença entre elas. Atividade física é qualquer movimento que aumente o gasto calórico, enquanto exercício físico é uma atividade orientada com objetivos definidos.

Nesse caso, desenvolver capacidades motoras como força, resistência, equilíbrio e flexibilidade é essencial, assim como treinar velocidade, agilidade e coordenação.

Por isso, veja como integrar as principais modalidades e ter uma vida ativa de verdade:

4 modalidades de atividades físicas para fazer

1. Exercícios aeróbicos

Via Freepik

Exercícios aeróbicos, como andar de bicicleta, correr, nadar e dançar, aceleram a respiração e aumentam a frequência cardíaca, beneficiando diversas funções do corpo.

Eles fortalecem o coração e os pulmões, melhorando a oxigenação dos tecidos e a eficiência muscular.

Esses exercícios também relaxam os vasos sanguíneos, reduzem a pressão arterial, queimam gordura, controlam os níveis de açúcar no sangue, diminuem a inflamação e melhoram o humor, prevenindo doenças cardiovasculares, como infarto e AVC, e diabetes tipo 2. Por isso, vale a pena considerar essas atividades físicas no início das suas práticas.

Um teste simples te ajuda a avaliar seu condicionamento aeróbico para começar. Observe a resposta ao subir escadas: se ficar muito ofegante, é indicativo de necessidade de melhora do condicionamento.

A OMS recomenda pelo menos 150 minutos semanais de atividades aeróbicas de intensidade moderada a alta, podendo ser realizadas em sessões longas ou em intervalos de alta intensidade, conhecidos como HIITs.

2. Exercícios de força

Os exercícios de força não se limitam apenas à musculação, como muitos pensam. Segundo especialistas, qualquer atividade que uma pessoa realiza requer aplicação de força, desde caminhar ou correr até levantar objetos.

Ele destaca que a musculação é apenas uma forma de gerar estresse nos músculos, aumentando sua capacidade de contrair e gerar tensão. Exercícios como pilates e treinos funcionais também envolvem força, assim como atividades como correr na subida, remar ou nadar.

É crucial entender que o treinamento de força é fundamental, especialmente com o envelhecimento, quando ocorre perda de massa muscular e força. Isso impacta nas tarefas cotidianas, tornando-as mais difíceis.

O treino de força, seja na musculação ou em outras modalidades, ajuda no aumento da massa muscular e, mais importante ainda, no ganho de força, garantindo que a pessoa mantenha sua funcionalidade ao longo da vida adulta e na velhice.

Via Freepik

3. Exercícios de alongamento

Atividades físicas para alongamento, flexibilidade e mobilidade são essenciais para manter e melhorar a capacidade de movimento do corpo.

A flexibilidade se refere à amplitude máxima de movimento das articulações, algo frequentemente subestimado por pessoas mais jovens, mas vital, pois o envelhecimento naturalmente reduz essa capacidade.

Além disso, o encurtamento dos músculos e tendões, junto com a perda de massa muscular, contribui para essa diminuição.

O alongamento é uma estratégia de treinamento eficaz para ampliar essa amplitude de movimento muscular.

Por outro lado, a mobilidade é a habilidade de mover as articulações livremente durante o movimento, e músculos encurtados podem aumentar o risco de lesões, câimbras e quedas, além de causar desconforto muscular e articular.

O endurecimento da musculatura também pode dificultar a realização de atividades diárias simples, como se abaixar para amarrar os sapatos ou levantar os braços para estender roupas no varal.

Para trabalhar a mobilidade e a flexibilidade, existem diversas opções de exercícios, incluindo yoga, alongamento, ginástica natural (que utiliza o peso corporal) e outras práticas similares.

Via Freepik

4. Exercícios de equilíbrio

Por fim, atividades para aprimorar o equilíbrio são essenciais para sustentar o centro de massa do corpo e exigem força muscular para ajustar a postura de forma rápida diante das diversas mudanças ambientais.

Manter o equilíbrio não só proporciona uma sensação de estabilidade, mas também é crucial para prevenir quedas, especialmente em pessoas mais velhas. Situações como pisar em um buraco exigem uma resposta rápida e eficaz do equilíbrio.

O equilíbrio é considerado uma das capacidades físicas mais importantes para a vida cotidiana, pois está diretamente relacionado à realização de atividades básicas. Não se limita apenas a ficar de pé em uma perna, mas está presente em cada passo que damos.

Para os idosos, a perda de força muscular muitas vezes resulta em dificuldades para manter o equilíbrio durante atividades simples, como caminhar ou subir escadas.

Diversas modalidades de exercícios podem ser empregadas para treinar o equilíbrio, incluindo yoga, pilates, musculação com pesos livres e outras formas de atividades físicas que desafiem a estabilidade corporal.

 

Fonte: UOL

Imagens: Freepik, Freepik, Freepik

Ele inventou um chatbot que permite ‘conversar com mortos’

Artigo anterior

Por que esquecemos boa parte dos sonhos e como lembrar deles?

Próximo artigo