Curiosidades

Quem é a ‘rainha das criptomoedas’ na lista dos mais procurados do FBI

0

Quando pensamos em criminosos, provavelmente a última coisa que vem à mente é uma mulher na faixa dos 40 anos. Mas como muitos dizem, o crime não tem rosto, e a mulher conhecida como rainha das criptomoedas é a prova disso.

A mulher é procurada por seu suposto papel em um golpe de criptomoeda conhecido como OneCoin. As criptomoedas são uma forma de dinheiro que cresce cada vez mais. E mesmo que virtual, elas chamam atenção tanto de pessoas bem intencionadas como também daqueles que veem nelas uma possibilidade de golpe.

As autoridades acusam essa rainha das criptomoedas de usar o esquema para fraudar suas vítimas em mais de quatro bilhões de dólares, equivalente a 20 bilhões de reais.

A búlgara Ruja Ignatova está desaparecida desde 2017, quando as autoridades dos EUA expediram um mandado de prisão contra ela.

Em 2014, os criadores da criptomoeda One Coin começaram a oferecer comissão para seus compradores que conseguissem vender a moeda para mais pessoas. No entanto, de acordo com os agentes do FBI, a criptomoeda não tinha nenhum valor, e também nunca usou a tecnologia blockchain, comum a outras criptomoedas.

Rainha

BBC


Por conta disso, os promotores federais dizem que a OneConin era um esquema de pirâmide disfarçado de criptomoeda. “Ela fez seu esquema no tempo certo, beneficiando-se da especulação frenética dos primeiros dias da criptomoeda”, disse Damian Williams, principal promotor federal de Manhattan.

Como a rainha das criptomoedas deu o golpe em várias pessoas, o FBI a colocou na sua lista dos 10 mais procurados. Ela é a única mulher da lista. Eles fazem isso quando acreditam que a população pode ajudar a localizá-los.

Além de colocar a mulher em sua lista dos mais procurados, o FBI publicou um anúncio na última quinta-feira oferecendo uma recompensa de 100 mil dólares, mais de meio milhão de reais, por qualquer informação que consiga levar à prisão da rainha das criptomoedas.

Em 2019, a mulher foi indiciada por oito crimes, incluindo fraude eletrônica e fraude de valores mobiliários.

Procurada

BBC

Segundo o jornalista da BBC Jamie Bartlett, que fez um podcast sobre a história de Ignatova e da OneCoin, o anúncio do FBI publicado na quinta-feira aumenta as chances de a rainha das criptomoedas ser pega.

“Esta é provavelmente a maior novidade no caso desde que Ruja desapareceu em outubro de 2017”, disse ele.

O jornalista investiga esse caso há anos e conta que uma das razões pelas quais é tão difícil rastrear a rainha das criptomoedas é que ela conseguiu sumir do mapa com, pelo menos, 500 milhões de dólares, que são 2,6 bilhões de reais.

“Também acreditamos que ela tem documentos de identidade falsos de alta qualidade e mudou sua aparência”, pontuou ele.

Além disso, Bartlett também não descarta a possibilidade de que ela já não esteja mais viva.

A última vez que a rainha das criptomoedas foi vista ela estava embarcando em um voo da Bulgária para a Grécia em 2017. Desde então ela está desaparecida.

Uma das vitimas do esquema da OneCoin, a escocesa Jen McAdam, disse à BBC em 2019 que ela, seus amigos e seus familiares perderam mais de 250 mil euros, 1,3 milhão de reais. Segundo ela, tudo começou com uma mensagem de um amigo dela a respeito de uma oportunidade de investimento imperdível.

Na época, Jen McAdam entrou em um link e assistiu uma palestra da OneCoin. Em uma hora, ela ouviu, de forma atenta, as pessoas falando entusiasmadas sobre essa nova e atraente criptomoeda, e sobre como isso poderia gerar uma fortuna.

Infelizmente, nada disso era verdade. E de acordo com a escocesa, ela levou meses para perceber que tudo não passava de uma farsa.

Fonte: BBC

Imagens: BBC

Cão surdo é abandonado e ganha tutor deficiente auditivo

Matéria anterior

Cachorro é resgatado por policial em tubulação de esgoto

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos