Notícias

Ring-girl ganha mais dinheiro com OnlyFans que lutadores

0

Uma das ring-girls mais conhecidas do UFC, Brittney Palmer, tem uma renda que supera a dos lutadores que participam do evento principal do UFc 274, como Charles do Bronx e o estadunidense Justin Gaethje. Isso porque, além de ser modelo e artista plástica, ela ganha uma quantia considerável na plataforma OnlyFans.

De acordo com o jornal britânico The Sun, a modelo de 34 anos tem um patrimônio líquido avaliado em 4 milhões de libras, que se converte para cerca de R$ 25,2 milhões. Enquanto isso, Charles possui patrimônio de 2 milhões de libras (R$ 12,6 milhões) e Gaethje, 3 milhões de libras, cerca de R$ 18,9 mil.

Ainda de acordo com o veículo, as ring-girls recebem US$ 5 mil, cerca de R$ 26 mil, por evento do UFC. Porém, o patrimônio de Brittney Palmer deve aumentar de forma expressiva com a sua abertura de conta na plataforma de conteúdo adulto para assinantes, OnlyFans.

Além disso, a modelo é artista plástica e cobra mais de 20 mil libras, R$ 126 mil, por cada um de seus quadros. Entre os retratos feitos por ela, temos Jimy Hendrix, Bob Marley e David Bowie.

Assim sendo, a modelo entrou no universo UFC há 11 anos e foi capa da revista Playboy em 2011. Com isso, ela se tornou um dos rostos mais conhecidos do esporte. Ela também recebeu o título de Ring-Girl do ano três vezes, em 2012, 2013 e 2020.

Brittney Palmer

Brittney Palmer nasceu em 24 de junho de 1987 em San Diego, na Califórnia. Ela ingressou no entretenimento ao dançar no show histórico Jubilee, no Bally’s, e no X Burlesque, no Flaming Hotel. Porém, depois de um acidente de carro que deixou a modelo de cama, ela decidiu se expressar criativamente por meio da arte.

Com a intenção de melhorar suas habilidades, ela se mudou para Los Angeles e começou a trabalhar com diferentes meios, como tinta aerossol e à óleo, na Universidade de Califórnia. Sendo assim, seu trabalho já apareceu em várias exposições em Los Angeles, Miami, Nova York, Hong Kong e Milão.

OnlyFans

Reprodução

Com a popularização das redes sociais, a plataforma OnlyFans inovou na forma que as pessoas consomem conteúdo exclusivo para assinantes. Criada em 2011, a ideia inicial era uma plataforma para influencers que queriam monetizar seus conteúdos. Porém, o conceito só ganhou adeptos com a pandemia do Covid-19.

Em troca do investimento do fã, os artistas disponibilizam conteúdos exclusivos direto na plataforma, sendo foto, texto, vídeo ou outro. Além disso, a estrutura se mescla com uma rede social tradicional, em que você pesquisa um perfil e aperta o botão de seguir. Mas, nesse caso, você receberá apenas o conteúdo gratuito.

Logo, para ter acesso aos demais conteúdos, é necessário um investimento estipulado pelo criador do conteúdo, podendo pagar a assinatura mensal ou o conteúdo avulso. Assim, atualmente, a rede social recebe materiais do mundo todo, com mais de 12 milhões de usuários.

Enquanto alguns criadores disponibilizam dicas e conteúdos de bastidores, outros usam o OnlyFans para monetizar conteúdo adulto por valores que, somados, enchem seus bolsos.

Por exemplo, a conta gem101 está entre as mais bem pagas. “Entre as contas mais populares com assinantes listados, o gem101 é o que mais ganha, com uma renda anual estimada em US $ 29,4 milhões, ganhando US $ 2,49 milhões a cada mês”, afirmou um comunicado do site MrQ que calculou os ganhos. “Isso vem de uma taxa de assinatura de US $ 29 por mês e 102.800 assinantes na conta.”

“Embora estudar assuntos difíceis na universidade possa ganhar uma quantia decente, já que os médicos no auge de sua carreira ganham uma média de pouco mais de US$ 109.000 por ano (cerca de US$ 9.152 por mês), top models como gem101 ganham 22 vezes mais em apenas um mês”, escreveram os autores do relatório. “Isso é quase 270 vezes mais por ano.”

Fonte: Yahoo

Peixe vampiro preocupa banhistas de rios da Amazônia

Artigo anterior

Menino de 11 anos pesca peixe de 40 kg e bate recorde mundial

Próximo artigo