Curiosidades

Robô do Google que simula humano no telefone é lançado no Brasil

0

Se alguma vez na vida você assistiu a “A.I. Inteligência Artificial”, filme lançado em 2001, dirigido por Steven Spielberg, a probabilidade de querer ver um robô, de qualquer tipo, na sua frente é bem próxima a zero. Anos atrás, não poderíamos imaginar que hoje estaríamos vivendo uma evolução tão grande. Coisas que, antes, achávamos que eram exclusivas de filmes de ficção científica, atualmente são a realidade.

Mesmo assim, os mais alarmistas defendem que a inteligência artificial e os robôs vão dominar o mundo no futuro. E sabemos, pelos filmes, que no caso de uma rebelião robô, os humanos não sairão vitoriosos. Mas, talvez, não seja para tanto e essas tecnologias possam nos ajudar.

Temos como exemplo o uso de robôs em vários campos da vida. Nesse ponto, o Google anunciou na terça-feira dessa semana a chegada do Duplex no Brasil. É uma ferramenta que imita os seres humanos para fazer ligações automáticas por telefone. Embora esse robô tenha sido lançado em 2018, ele chegou ao nosso país apenas esse ano.

No Brasil, o Duplex está sendo usado para fazer ligações para empresas e confirmar alguns dados, como por exemplo, horários de funcionamento. De acordo com o Google, aproximadamente 200 ligações diárias são feitas atualmente.

“Com o Duplex, o Google quer ajudar as empresas a se conectarem com seus clientes de forma cada vez mais rápida, simples e natural”, disse Fabio Coelho, presidente do Google Brasil.

Ferramenta

Olhar digital

A gigante da tecnologia informou que ainda está testando o robô para ele ser usado também na compra de ingressos de cinema de uma empresa com a qual o Google já fechou parceria, a ingresso.com.

Segundo a empresa, com isso, o objetivo é que dê para pesquisar o filme, escolher o horário da sessão e finalizar a compra usando comandos de voz.

Além disso, esse robô também será usado no contexto das eleições de 2022 em uma parceria feita com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com isso, as pessoas irão poder usar comandos de voz no Google Assistente para conseguirem verificar seu local de votação. No entanto, a empresa ainda não explicou como essa função irá funcionar.

Robôs

Além de ferramentas para serem usadas no telefone e por comandos de voz, quando o assunto é robô a tecnologia parece caminhar a passos largos. Como resultado, cada dia mais os robôs criados impressionam as pessoas no mundo todo.

Como por exemplo, a produção de robôs hiper-realistas. Uma dessas robôs é Sophia, robô da Hanson Robotics, empresa com sede em Hong Kong. A androide já marcou presença em diversas conferências de tecnologia ao redor do mundo e até já participou do “The Tonight Show”, um dos talk shows mais famosos dos Estados Unidos.

Sophia, para quem não sabe, é capaz de manter uma conversa com qualquer pessoa, sabe uma variedade de expressões faciais e é até mesmo capaz de cumprimentar aquelas que se aproximam com um singelo high-five.

A empresa projetou o robô em 2016 e, desde então, tem aprimorado a tecnologia. Além de saber fazer tudo o que foi citado, Sophia também é capaz de pintar incríveis obras de arte, tendo uma delas sido leiloada por 688 mil dólares.

A Hanson Robotics é uma das empresas que atualmente trabalham com a criação de robôs hiper-realistas. A Promobot, uma empresa russa, é outra que tem conquistado o setor com a produção de máquinas voltadas ao atendimento ao cliente, as quais são programadas para atuar ao lado das contrapartes humanas.

Atualmente, a Promobot possui em seu estoque cerca de 10 robôs disponíveis para a compra. Cada unidade custa cerca de US$ 42.000. Os robôs, obviamente, não são baratos. Mas os fabricantes garantem que o investimento é promissor, afinal, ao contrário dos seres humanos, as máquinas não precisam descansar, não precisam de férias e outros benefícios que as pessoas têm como trabalhadores formais.

Fonte: G1, Reuters

Imagens: YouTube, Olhar digital

Ted Kennedy, o senador que escapou da morte três vezes

Matéria anterior

Alien Negro, o homem que modificou o corpo para parecer um “alienígena”

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos