icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


Sapo brasileiro é o primeiro anfíbio descoberto que vive com 2 companheiras leais

POR Bruno Dias EM Mundo Animal 18/08/20 às 16h16

capa do post Sapo brasileiro é o primeiro anfíbio descoberto que vive com 2 companheiras leais

O nosso mundo é um imenso berço de diversidade. Não apenas entre os seres humanos, que são totalmente diferentes uns dos outros, mas também na fauna e na flora. Há vários tipos de plantas e, acredite, ainda não conhecemos todas as que existem. Assim são os animais. Embora conheçamos diversas espécies espalhadas pelo mundo, ainda não chegamos na metade das milhões estimadas. Por esse motivo, estamos sempre nos surpreendendo com novos estilos de animais e seus comportamentos.

Esse é o caso dessa espécie de sapo da floresta tropical brasileira. Ele foi o primeiro anfíbio a viver em um "harém". Isso porque o macho dessa espécie acasala com duas fêmeas que continuam leais a ele.

A poliginia é o sistema de acasalamento mais comum entre os animais. E segundo o zoólogo da Universidade Estadual de Campinas, Fábio de Sá, já foi encontrada em peixes, répteis, mamíferos, aves e até em alguns invertebrados.

Ele foi o primeiro autor do novo artigo que mostra que a poliginia também está presente em todos os tetrápodes, ou animais quadrúpedes. Os sistemas de acasalamento animal existem em um continuum entre a poligamia e a monogamia.

Comportamento

A poliginia geralmente acontece quando os machos são forçados a competir entre si pelas fêmeas e por recursos ambientais como água e comida. De Sá e sua equipe decidiram investigar se o Thoropa taophora, uma espécie de sapo encontrada na Mata Atlântica, que é conhecida por ser polígamo em áreas de abundância e também pode ser poligênio em algumas certas circunstâncias.

Essas  rãs costumam ficar em rochas que tem uma coloração marrom-avermelhada porque conseguem se misturar mais com elas. Os machos da espécie tem espinhos longos presos em seus polegares que eles usam para combate.

Os pesquisadores viram os sapos em afloramentos rochosos na orla da floresta tropical onde tem poucos criadores de água doce e eles estão mais expostos ao sol. E com certeza esse ambiente tem poucos recursos e teve um impacto no comportamento dos animais.

Sapo

Os machos patrulhavam seus locais de procriação e emitiam gritos agressivos para afastar os intrusos. Eles ficavam perto dos seus ovos e girinos para protegê-los. E quando outros machos ignoram esses avisos eles os atacavam com chutes e usaram seus espinhos para agarrar e arremessar seus oponentes.

A equipe descobriu que os machos cruzavam com apenas duas fêmeas, sendo uma dominante. As fêmeas dominantes induzem o acasalamento respondendo os chamados dos machos com suas próprias vocalizações. Elas também se aproximam dos machos e se posicionam sob eles.

Enquanto isso acontece, as fêmeas secundárias ficam de lado sem se mexer. E às vezes, as fêmeas desencadeavam o acasalamento canibalizando alguns ovos de macho.

Vantagens

A equipe confirmou estudando o material genético e descobriu que os girinos eram todos meio-irmãos do mesmo pais e uma das mães, por mais que as fêmeas dominantes predominassem. E a presença de girinos mais velhos dos mesmo pais confirmavam que as relações de acasalamento eram de longo prazo.

Esse tipo de relação parece ter vantagem para os dois sexos. Os machos tem que evitar que outros machos usem seus criadouros. E é vantajoso diversificar o tipo genético tendo vários parceiros.

"A vantagem para a fêmea é que é melhor ter um macho de boa qualidade e um criadouro de boa qualidade compartilhando-o com outra fêmea, em vez de ficar exposta e não encontrar outra rã ou encontrar uma rã de qualidade inferior", explicou De Sá.


Próxima Matéria
avatar Bruno Dias
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest