A lua sempre foi um elemento de extrema importância para os seres viventes na Terra. Ela inspira os poetas, movimenta as marés, toca o coração dos românticos e ainda por cima acorda o lobisomem. Tudo bem, acho que me empolguei demais. A verdade é que a lua é uma das coisas mais belas que podemos ver ao olhar para o alto, porém, que ainda guarda perguntas e mistérios. Por isso, nunca desistimos de estudá-la e observá-la.

A China, que também mostra interesse pelo satélite natural, deu play em mais uma missão espacial e jogou no espaço a sonda chinesa Chang'e-4. Ela entrou em órbita lunar, e tem como objetivo desvendar um pouco mais sobre o lado escuro da lua. Desde que tinha saído da Terra, ela havia demorado cinco dias para alcançar a órbita lunar.

O lado escuro da lua

Publicidade
continue a leitura

A sonda chinesa Chang'e-4 tem condições de se tornar, se nada der errado, a primeira sonda espacial a estudar o lado escuro da lua. Se você não sabe ainda, o lado escuro da lua é aquele que não é voltado para a Terra. A intenção é que a sonda consiga analisar o terreno, para poder estudar a composição do satélite natural. Para que os astronautas da missão consigam conversar com a Terra, através de sinais por meio de um satélite de retransmissão lançado ao espaço no início deste ano.

Apesar de já ter entrado em órbita lunar, ela ainda irá demorar alguns dias para conseguir pousar no solo lunar. As autoridades da China ainda não anunciaram uma data e local oficial para o desembarque da sonda por lá. Ainda assim, espera-se que seja no início de janeiro de 2019, provavelmente, na grande cratera lunar de Von Kármán.

Publicidade
continue a leitura

Futuro

A China já está planejando a próxima missão após esse estudo no lado escuro da lua. Ela se chamará Change-5, que deverá ser a primeira a trazer as amostras do lado oculto da Lua para a Terra.

Publicidade
continue a leitura

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta aqui com a gente e compartilha nas suas redes sociais.

Publicado em: 14/12/18 17h24