Natureza

Como tamanho e formato do crânio influenciam na longevidade de um cão

0

Todo tutor ou pai de pet deseja saber como aumentar a longevidade do cachorro. Afinal, esse é o melhor amigo do homem, e é desejado que ele viva mais, e saudável. No entanto, você sabia que as características do crânio do seu pet influenciam nisso?

Os cachorros são uma das espécies animais mais diversas em termos de características fenotípicas, que englobam desde aspectos morfológicos e físicos até comportamentais.

Entre essas características, a longevidade pode variar conforme a raça. Com isso em mente, pesquisadores analisaram dados de milhares de cães no Reino Unido, com o intuito de identificar as raças geralmente associadas a uma menor expectativa de vida.

Os resultados desse estudo foram divulgados na revista Scientific Reports, na quinta-feira (1º).

Estudo

Via Freepik

Para conduzir a pesquisa, os cientistas examinaram informações de mais de 580 mil cães britânicos, abrangendo 150 raças.

Os dados incluíam informações sobre raça, sexo, data de nascimento e data de óbito (em aproximadamente 280 mil casos, os cães já haviam falecido).

Os animais foram categorizados como pertencentes a raças puras ou mistas, seguindo as diretrizes estabelecidas pelo Kennel Club britânico.

Eles foram classificados de acordo com o tamanho (pequeno, médio ou grande) e o formato do crânio: braquicefálicos (com focinho achatado), mesocefálicos (com focinho de tamanho médio) ou dolicocefálicos (com focinho longo).

Longevidade do cachorro conforme resultados

De acordo com os cálculos realizados pelos pesquisadores, os cães de crânio longo e pequeno, conhecidos como dolicocefálicos, têm a maior expectativa de vida no Reino Unido, com uma média de 13,3 anos para machos e fêmeas.

Esta tendência aparece especialmente em raças como dachshund miniatura, pastor-de-shetland e whippet.

Por outro lado, os cães de crânio achatado e tamanho médio, como o buldogue inglês, têm uma expectativa de vida mais baixa, com 9,1 anos para machos e 9,6 anos para fêmeas.

O artigo também ressalta as médias de expectativa de vida para outras raças populares, como o labrador (13,1 anos), Jack Russell Terrier (13,3 anos) e Cavalier King Charles Spaniel (11,8 anos).

Além disso, a pesquisa revelou que raças puras tendem a viver mais do que raças mistas, com uma expectativa de vida média de 12,7 anos para as puras e 12 anos para as mistas.

Também observaram uma diferença na expectativa de vida entre fêmeas (12,7 anos) e machos (12,4 anos).

Via Freepik

Importância

Realizar estudos científicos centrados em cães é crucial para aprimorar os debates sobre a saúde e o bem-estar desses animais.

No entanto, é importante ressaltar que os resultados obtidos são aplicáveis especificamente ao contexto do Reino Unido, conforme observado pelos autores da pesquisa em uma nota explicativa.

Uma vez que as raças de cães exibem uma ampla gama de diferenças, incluindo em termos de morfologia, comportamento e expectativa de vida, é fundamental conduzir pesquisas com amostras mais diversificadas.

Outras dicas de longevidade

Claro, apesar dos estudos terem uma base de análise, outras dicas também influenciam na longevidade do cachorro.

Por exemplo, uma dieta balanceada e nutritiva, adequada para a idade, tamanho e necessidades específicas do pet permitem que ele receba todos os nutrientes.

Além disso, praticar exercício regular mantém seu cachorro ativo, além de estimular o porte e a condição física. Caminhadas, brincadeiras e atividades interativas são ótimas maneiras de contribuir com a longevidade do cachorro.

Ainda, acompanhar seu pet periodicamente e realizar exames veterinários regulares ajuda a detectar e tratar precocemente possíveis problemas de saúde, aumentando a qualidade de vida e os anos pela frente.

Todos os elementos de saúde e cuidados influenciam, tal como um peso saudável, para evitar problemas de saúde relacionados à obesidade, doenças cardíacas e articulações. Ou, ainda, manter a higiene em dia, para evitar conflitos no pelo, nos dentes e nas unhas.

Externamente, a longevidade do cachorro também se adapta ao ambiente que ele vive. Mantê-lo fora das ruas, remover objetos perigosos do alcance e promover um ambiente acolhedor é fundamental para ter um pet saudável e bem.

Por isso, apesar do formato do crânio e de outras características contribuírem, é possível ter um cão de muitos anos, com saúde e bem-estar.

 

Fonte: Revista Galileu

Imagens: Freepik, Freepik, Freepik

Estudo aponta possível causa da síndrome de Alice no País das Maravilhas

Previous article

Mudanças climáticas impactam muito além da natureza; o que devemos fazer?

Next article

Comments

Comments are closed.