CuriosidadesEntretenimento

Tatuagem pode levar à prisão na Coréia do Sul

0

Na Coreia só Sul, é ilegal injetar tinta na pele, mesmo com a moda das tatuagens crescendo. Isso leva às operações de revista contínuas, altas multas e até mesmo prisão, assim como uma vida de trabalho clandestina.

“Como é ilegal, não podemos colocar um cartaz na porta”, comenta Kim Ki-bok, um dos tatuadores mais famosos em Seul, capital da Coreia do Sul, na entrada de seu estúdio. O local é camuflado como um apartamento residencial em um prédio antigo do bairro de Hongdae, berço da arte e das novas tendências no país.

Mesmo que esses trabalhadores sejam vistos como desempregados, quatro tatuadores trabalham todos os dias há dez meses, nesse local. No entanto, é um olho na pele do cliente e outro em uma possível invasão policial.

Kim é um entre os aproximadamente 20 mil tatuadores que há na Coreia do Sul, de acordo com dados do governo, e tatua pelo menos três pessoas por dia.

“Tive sorte e nunca me revistaram”, disse à Agência Efe, em 2015. No entanto, ele reconhece que muitos dos seus colegas receberam multas pesadas e alguns até mesmo foram presos.

As leias coreanas 

Foto: Reprodução

De acordo com as leis sul-coreanas, as tatuagens são procedimentos médicos que só podem ser feitos por médicos titulados em clínicas e hospitais. Por causa disso, muitos tatuadores agem de forma clandestina.

“Cada vez mais cidadãos se tatuam e 99% fazem em estúdios ilegais, por isso que surgiram problemas, como denúncias por causa de más práticas, produto da desregulação”, disse no Parlamento o deputado Kim Chon-jin, no final do ano 2014, quando apresentou uma proposta para legalizar esse processo.

No entanto, a Assembleia Nacional não parece ter como prioridade a legalização, com isso, o debate cresce entre os populares. Para o tatuador Kim Ki-bok, a legalização permitiria que ele trabalhasse sem medo.

Kim é membro da associação “Tattooist”, que age como um sindicato para essa categoria. Além disso, o tatuador acredita que a legalização acontecerá devido à maior aceitação social da tatuagem.

“As tatuagens na Coreia do Sul tradicionalmente eram vinculadas à imagem de gângsters e badboys”, explica o tatuador Kim, mas hoje “muito mais gente, e especialmente os jovens, as veem como algo atraente e da moda”, acrescenta.

Como o BTS pode ajudar a legalizar a tatuagem na Coreia do Sul

Foto: Hype My

A deputada sul-coreana Ryu Ho Jung, do Partido da Justiça da Coreia do Sul, chamou atenção, em 2021, ao publicar fotos do Jungkook, do BTS, para anunciar o projeto de lei “Tattoo Up Act” em suas redes sociais. A proposta objetiva tornar a tatuagem legal e regulamentada no país 

Vale lembrar que o governo sul-coreano afirma que as tatuagens destroem a moral, provocam desconforto e provocam efeitos ruins nos jovens, não sendo boas de ver na televisão. Por causa disso, os artistas tatuados costumam cobrir os desenhos com bandagem e maquiagem.

A deputada usou seu Instagram para publicar um longo texto que começa com a frase “Tire as bandagens do BTS!”.

“Você já viu curativos no corpo da sua celebridade favorita? Essa visão horrível, que costuma acontecer em nossas transmissões coreanas, é criada pelas regras para esconder tatuagens.”

Para Ryu Ho Jung, a decisão do governo prejudica os artistas e o público. “O ‘sistema’ não está acompanhando as mudanças do mundo, que agora respeitam a individualidade e a criatividade dos indivíduos livres. Belas pinturas e palavras maravilhosas de tatuagens que são comuns ao nosso redor são ilegais na Coreia. A Coreia tem mais de 3 milhões de pessoas com tatuagens, e elas foram consideradas arte em todo o mundo. Até mesmo os tatuadores locais são reverenciados como artistas de destaque no cenário mundial, mas a Coreia os ignora.”

Ela acrescentou falando sobre o direito dos tatuadores, que não são amparados pelas leis atuais. Ela também afirma que o trabalho, por ser ilegal, não é tributado, o que prejudica o governo.

Além disso, a lei definirá requisitos para poder ter a licença de tatuador, com isso só profissionais habilidosos atuariam. Isso garantirá a higiene e a segurança dos procedimentos.

Assim, a foto do Jungkook foi utilizada por ele ser um dos artistas sul-coreano mais famoso internacionalmente, mas o cantor não está envolvido na lei.

Fonte: Terra, Observatório de Música

Histórias inacreditáveis de quem desceu as Cataratas do Niágara

Previous article

A triste história de Omayra Sánchez

Next article

Comments

Comments are closed.