Animals

Texas é atingido por “chuva” de peixes

0

Na última semana de 2021, um fato intrigante aconteceu na cidade de Texarkana, no estado do Texas, nos Estados Unidos. Uma “chuva de peixes” tomou conta do município e despertou curiosidade em pessoas de todos os cantos do mundo. 

Por meio de uma publicação no Facebook, a prefeitura da cidade confirmou o ocorrido. Esse foi um bom indício de que a chuva dos animais não se tratou de um delírio coletivo! No post, a prefeitura de Texarkana informou que o fenômeno “é incomum, mas acontece”, e foi registrado em “vários locais” da cidade. 

chuva

JC UOL

Acredita-se que ele ocorra quando uma tromba d’água passa sobre um rio ou lago e suga pequenos animais, como peixes, sapos e crustáceos, que podem ser arremessados a grandes distâncias. Esse fenômeno é conhecido como “chuva animal” e acontece, normalmente, com animais aquáticos. 

A chuva animal

A chuva animal é um fenômeno natural e apesar de estranho, pode ser explicado. Os primeiros relatos históricos dos quais se tem conhecimento são de 1568, da cidade de Bargen, na Noruega. Mas não se tratou de uma chuva de peixes, mas sim de ratos.

Já no ano de 1877, na cidade norte-americana de Marphis, houve uma chuva de cobras que mediam entre 30 e 50 centímetros. Também nos Estados Unidos, em 1953, uma grande quantidade de rãs caíram do céu sobre Leicester, em Massachusetts. Em 1978 choveu caranguejos na Nova Gales do Sul, na Austrália.

Mas não para por aí. Em julho de 2006 em Schenectady, uma cidade do estado de Nova York, aconteceu uma chuva de pássaros. A chuva ocorreu em frente a um hospital e o trecho de acesso a ele teve que ser interditado por conta da quantidade de animais. Em 2007, mais uma chuva de rãs foi registrada, dessa vez em El Rebolledo, na província de Alicante, na Espanha.

Os animais que costumam cair do céu são principalmente os peixes, rãs e outras espécies aquáticas. No entanto, como observado acima, o fenômeno também pode ocorrer com outros animais. Uma das explicações mais aceitas é a dos ventos violentos em tornados ou tempestades, que conseguem “levantar” animais pequenos do solo. Posteriormente, com o enfraquecimento destes ventos, os animais caem, ocorrendo assim a “chuva animal”. 

A força dos ventos

Em alguns casos, podem cair “pedaços de carne”, ou seja, a força dos ventos é tamanha que destroça os animais antes que caiam novamente no solo. Em outras situações, quando os ventos levam esses bichos a altitudes elevadas, eles podem cair congelados ou ainda pior, em cubos de gelo. Como os ventos necessários para a ocorrência da chuva animal são muito violentos, dificilmente eles retornam à superfície com vida. 

Dependendo da força dos ventos envolvidos na tempestade, uma grande quantidade de animais presentes em uma área relativamente extensa podem ser “recolhidos”. Após o enfraquecimento das massas de ar, eles podem cair de maneira concentrada sobre pontos localizados. 

Para se ter ideia, alguns tornados e trombas d’água poderiam “secar” boa parte de um pequeno lago. Com isso, a água e a fauna presente ali cairiam mais adiante na forma de chuva animal. É aí que surgem notícias de pessoas intrigadas com o fenômeno, embora seja algo natural.

Jogar videogame traz benefícios à saúde?

Matéria anterior

Durkha: O queijo mais duro do mundo

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos