Curiosidades

Um asteroide gigante vai passar ”raspando” na Terra esse mês

0

O universo sempre foi um tema de grande interesse para nós. A totalidade do espaço ainda não foi entendida, mas existem coisas que os cientistas já conseguiram descobrir, entender em algum nível, e descrever. Além dos planetas que conhecemos e dos astros, que vemos constantemente nos céus, nosso sistema solar está repleto de outros corpos.

Um exemplo disso são os asteroides. Eles são corpos rochosos e metálicos que têm uma órbita definida ao redor do sol. Eles fazem parte dos corpos menores do sistema solar e, normalmente, têm algumas centenas de quilômetros. Vários deles já passaram perto do nosso planeta e alguns até já nos atingiram, como o do tempo dos dinossauros.

Ultimamente, vários asteroides grandes passaram perto do nosso planeta e viraram notícia. E os que irão passar também acabam virando notícia e às vezes até motivo de preocupação.

Como por exemplo esse asteroide que é tão largo quanto a Ponte Rio-Niterói e tem um quilômetro de diâmetro. Ele deve passar bem próximo do nosso planeta no dia 21 de março.

Passar raspando

A NASA classificou esse asteroide como potencialmente perigoso. No entanto, o risco de colisão com a Terra é praticamente inexistente. Essa rocha espacial foi batizada de 231937 (2001 FO32), e irá ser o maior e mais rápido asteroide que irá passar pela Terra em 2021.

E qual motivo dele ser considerado perigoso se não existe nenhum risco de colisão? De acordo com o Centro Para Estudos de Objetos próximos à Terra, da NASA, para um asteroide ser classificado como perigoso é preciso que a órbita dele cruze com a da Terra em uma distância menor que 7,5 quilômetros. Além disso, o asteroide precisa ter um diâmetro maior que 140 metros.

E esse asteroide “vizinho” do nosso planeta superou todos esses números. E se tudo acontecer como o previsto pelos pesquisadores, o asteroide vai passar a uma distância mínima de dois milhões de quilômetros da Terra.

Quem detectou o asteroide 231937 (2001 FO32) foram os telescópios de um programa do MIT Lincoln Laboratory, que são financiados pela Força Aérea dos EUA e pela NASA. O asteroide foi detectado no dia 23 de março de 2001.

Desde sua detecção a atividade do asteroide tem sido monitorada pelos astrônomos. Eles usaram as informações de monitoramento para calcular a órbita do asteroide e conseguir determinar a distância que ele passaria da Terra. Ele deve passar “raspando” na Terra a quase 124 mil quilômetros por hora.

Asteroides perigosos

Mesmo com esse asteroide perigoso, é preciso ressaltar que nenhum objeto espacial como esse tem a potência ou proximidade necessária para colidir com nosso planeta, pelo menos nos próximos 100 anos. O risco maior está no asteroide chamado (410777) 2009 FD. Ele tem uma chance de 0,2% de colidir com a Terra em 2185.

Antes desse asteroide, o chamado 99942 Apophis, que está no terceiro lugar na lista da NASA de “objetos próximos da Terra” (NEOs) que são potencialmente perigosos, tem a chance de uma em 150 mil de colidir com a Terra. Essa colisão aconteceria em 2068. A largura desse asteroide é a mesma que três campos de futebol.

As chances dessa colisão acontecer são mínimas. No entanto, se ele cair na Terra , o impacto será 3.800 vezes mais poderoso que a bomba de Hiroshima. E ele liberará o equivalente a 1.150 megatons de TNT. Por conta de todo esse poder esse asteroide foi apelidado de “asteroide do juízo final”.

Contudo, asteroides passando raspando pelo nosso planeta não são uma coisa rara. Muitos desses corpos celestes já passaram entre a Terra e a lua com uma certa frequência. Os fragmentos deles acabam entrando na atmosfera terrestre quase que diariamente. Mas eles entram na forma de meteoros. E aqueles que conseguem tocar o solo da Terra são chamados de meteoritos.

Por que nunca devemos lavar um frango cru?

Matéria anterior

Arte egípcia de 4.600 anos atrás revela um ganso extinto

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.