Um detalhe intrigante de Jurassic World que parece inexplicável

POR Eduardo Coelho    EM Ciência e Tecnologia      28/08/15 às 12h58

Essa é mais uma daquelas pautas que vai te fazer refletir à respeito de detalhes de grandes produções cinematográficas. E quer melhor exemplo que uma produção que foi sucesso de crítica, publico do que a franquia Jurassic Park? Mas hoje falaremos especificamente de Jurassic World, que lançado em 2015, já é nada menos que a 3ª bilheteria de todos os tempos nos cinemas.

Jurassic World por si só, tem muitos "easter eggs" escondidos, que ainda iremos apresentar a vocês no decorrer dos próximos dias. Na matéria de hoje iremos convidá-los a refletir a respeito de um fato extremamente bizarro que acontece logo no início do longa e que quase ninguém repara, devido a série de atrativos visuais e no enredo ao decorrer do filme.

Confira conosco e reflita se faz sentido:

Logo no início de Jurassic World, há a explicação de como realizar a recriação dos dinossauros, inclusive, contando que o ato milagroso de dar a vida a seres que viveram a milhões de anos, só é possibilitado graças as pedras de âmbar que possuíam o mosquito, que na verdade era macho, que ao longo dos anos, realizou a função de fossilizá-lo.

JP-Amber

Mas o que nos intriga é o fato de qual seria a probabilidade de êxito de um mosquitinho conseguir desferir um golpe com sua cavidade bucal, que atingisse alguma camada da pele de um ser como esse? Olhem bem se existiria essa viabilidade:

jw-e1433988727522

Pensem só? Graças aos mosquitos fossilizados, respectivamente do sangue dos dinossauros, que eles absorveram pré-historicamente e que permaneceram intactos graças a fossilização, que foi possibilitada a retirada do DNA dos répteis para as clonagens serem efetivadas.

Revejam vocês a explicação relacionada ao DNA utilizado do mosquito e note o modo com o qual dão ênfase nessa teoria 'furada' de que algum mosquito dessas proporções conseguiria penetrar a cútis de um dinossauro e obter parte de seu sangue:


Mas com que diabos um mosquitinho conseguiria sugar sangue de um monstro devorador de tudo, até mesmo de 'pobres tubarões brancos'?

Apenas um detalhe: O Indominus Rex também está incluso no dilema, pois foi criado em laboratório por intermédio de um trabalho com o material genético híbrido, utilizando partes dos DNAs das espécies: Canotaurus, Rugops, Majungasaurus e o Giganotosaurus, obtidos pelo mesmo mecanismo do âmbar 'fossilizador'.

Fica no ar esse detalhe que é realmente bizarro e que pouco se comentou à respeito da viabilidade desse acontecimento. Obviamente que todo autor, diretor e roteirista, possui a licença poética para fazer o que quiser em suas respectivas obras de ficção, mas esse é um detalhe esporádico em um filme de bilheteria espetacular.

E você, caro leitor da Fatos Desconhecidos? Achou algum outro detalhe dentro de Jurassic World que merece ser compartilhado devido a sua excentricidade?

Eduardo Coelho
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+