Curiosidades

Um turista caiu em um vulcão ativo no Havaí

0

Você alguma vez já esteve cara a cara com a morte? Muitas pessoas enfrentam isso pelo menos uma vez na vida. Alguns casos são chamados até de “renascimento”, visto que são situações extremas que acabam relativamente bem. Assim como podemos ver em diversos programas da Discovery Channel e outros programas mostrando o dia a dia de grandes aventureiros, pessoas longe das câmeras também sofrem ataques selvagens, quedas de aviões e até sobrevivem à catástrofes naturais. Há relatos de sobreviventes da bomba de Hiroshima, picada de cobras mortais e vítimas de furacões. No entanto, um caso recente chamou a atenção do mundo. Um turista caiu em um vulcão ativo no Havaí.

O caso tem chocado diversas pessoas e, por sorte, o mesmo sobreviveu à queda para contar sua história. Na última semana, um dos visitantes do Parque Nacional dos Vulcões do Havaí caiu 20 metros na cratera do vulcão Kilauea. Isso quer dizer que o homem caiu em um dos vulcões mais ativos de todo o mundo. Após ser levado para o hospital de helicóptero, sobreviveu aos traumas e pode relatar melhor para o mundo. De acordo com os relatos, o paciente se encontra em uma condição estável, embora o passar do tempo vá dizer melhor quais lesões o terrível incidente lhe deixou.

Segundo um comunicado do National Park Service, era dia 1 de maio, por volta das 18:30 quando o homem, ainda não identificado, de 32 anos, caiu. Ele tropeçou e perdeu o equilíbrio após subir em uma grade de metal instalada a fim de garantir a segurança. Essa grade fica no Steaming Bluff. Duas horas e meia depois, por volta das 21h, ele foi encontrado por socorristas. Eles o encontraram vivo, mas gravemente ferido e estava em uma estreita borda de penhasco.

Imagem do vulcão

A equipe logo executou um resgate utilizando cordas antes de levá-lo ao Hilo Medical, onde recebeu atendimento médico urgente. O Kilauea pode ser o vulcão mais jovem ao sudeste do Havaí. É ainda um dos “vulcões mais ativos do mundo e pode estar no topo da lista”, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos. O vulcão entrou em ação no final do século 19 e início do século 20. O mesmo voltou à atividade em 1983. Por sorte, não entrou em erupção na última semana.

A história do turista é uma boa lição para nunca chegar perto e ultrapassar a barra de segurança. Se há barras de segurança, é porque há riscos de acidentes como este. O perigo não vale a sedutora vista que o mesmo pode oferecer. Diversas pessoas já morreram tentando tais proezas. O caso mais recente de fatalidade assim foi neste mesmo parque em 29 de outubro de 2017. “Os visitantes nunca devem cruzar barreiras de segurança, especialmente em torno das bordas perigosas e desestabilizadas do penhasco”. Isso foi dito por John Broward, chefe dos guardas florestais. “Atravessar barreiras de segurança e entrar em áreas fechadas pode resultar em ferimentos graves e morte”, finalizou.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Lembrando sempre que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento.

Pedra antiga confirma história escrita na Bíblia

Matéria anterior

Conheça os jovens brasileiros que ganharam prêmio de robótica da NASA

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos