• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

7 coisas que quem não assiste entende errado sobre animes

POR Raul Martins    EM Fatos Nerd      28/09/18 às 20h05

Os animes estão cada vez mais populares. Prova disso é o grande investimento de empresas ocidentais na indústria de animação japonesa. Tanto o Crunchyroll quanto a Netflix buscam, constantemente, novos títulos para seus catálogos ocidentais. Não por acaso, nomes como My Hero Academia e One Punch Man estão cada vez mais famosos por aqui.

Mesmo populares, os animes ainda são muito mal entendidos por parte das pessoas. Seja no esteriótipo de quem consome o conteúdo ou na própria produção das obras. Foi pensando nisso que fizemos uma lista de 7 coisas que quem não assiste entende errado sobre animes. Se liga aí:

1- São mais antigos do que você imagina

O público mais velho provavelmente teve o seu primeiro contato com animes através de títulos como Akira ou Astroboy. A galera mais jovem já deve ter entrado na era de Dragon Ball, ou através de Pokémon, visto que o anime serviu de promoção para os jogos da franquia. No entanto, o que consideramos animes no ocidente, são animações essencialmente japonesas. A verdade é que elas são muito mais antigas do que isso. De acordo com um especialista em anime, Frederick Litten, o anime pode ser rastreado até 1917. O filme Imokawa Muzoku The Doorman, de 1917, é considerado o primeiro anime criado no mundo. Antigo, hein?

2- Animes são animações e mangás são livros

O que muita gente confunde é a diferença entre animes e mangás. Os animes são basicamente produções animadas, e podem ser adaptadas de um mangá - ou não. Os mangás são revistas em quadrinhos semelhantes ao que conhecemos como gibis aqui no Brasil. Eles, normalmente, são adaptados para televisão ou cinema em forma de anime, e são vendidos em revistas semanais, capítulo por capítulo. As versões encadernadas que conhecemos aqui no Brasil só são vendidas depois de algum tempo, quando o mangá tem capítulos o suficiente para isso.

3- Não é barato ou de má qualidade

Se você acha que produzir animes é barato só porque é animação, você está enganado. Produzir um episódio de qualquer anime leva tempo. Se a qualidade visual for de alta qualidade, esse tempo é duplicado - além de custar uma pequena fortuna. Produzir um anime custa, em média, 2 milhões de dólares. Caso a obra exija mais qualidade visual esse valor pode subir ainda mais. A primeira temporada de Attack on Titan custou cerca de 4 milhões de dólares para ser produzida. É muito dinheiro. Esse valor, geralmente, é pago pela venda de DVDs, mangás, figures etc.

4- Não é só para crianças

Ao falar em animes, a primeira coisa que vem na mente das pessoas que não assistem é a palavra "desenho". Se é desenho, é para o público infantil. Apesar da lógica, esse raciocínio é incorreto. Existem sim animes voltados para um público mais infantil, no entanto, a maioria são voltados para jovens adultos. Vai me dizer que você deixaria uma criança ver Berserk? Não.

5- Não é só violência

Outra associação incorreta é que os animes são todos violentos. Pelo fato dos animes mais famosos terem um certo teor de violência, é compreensível pensar que todos são assim. Mas o fato é que, assim como os longa-metragens possuem diversos gêneros narrativos, os animes também têm. Você não encontra somente violência neles. Há romance, comédia, mistério, suspense e até terror. É só procurar que você irá encontrar.

6- Fãs de animes não são esquisitos ou derrotados

Infelizmente, os fãs dessas produções são, na maioria das vezes, associados a termos como "esquisitos" e "derrotados". O fato é que muitos artistas famosos já demonstraram seu amor por essa cultura. Seja Keanu Reeves, intérprete de John Wick, que já participou de um filme do Cowboy Bebop; seja Samuel L. Jackson, que deu sua voz para o Samurai no anime Afro Samurai (além de dizer em uma entrevista que adora animes) ou mesmo a lutadora Ronda Rousey, que demonstrou carinho pela série Dragon Ball, e disse que adoraria interpretar Androide 18 em um live-action. Além deles, o falecido Robin Willian revelou que adorava Neon Genesis Evangelion. Vai dizer que são esquisitos ou derrotados?

7- Não é mal escrito

Pelo fato de serem animações, acredita-se que os animes, necessariamente, devem ser mal escritos. Essa é outra ideia equivocada. Parte da popularidade dos animes não é nem o fato de alguns terem diversas lutas, personagens carismáticos ou simplesmente por terem um qualidade visual bacana. O essencial é a história. Ela é a parte mais importante. Se os animes fossem mal escritos, nenhum título ganharia reconhecimento do público. Afinal, por que você assistiria um anime se não para a conhecer sua história?

Quais outras ideia equivocadas as pessoas que não assistem animes têm? Conta pra gente nos comentários. Até a próxima.




Matérias selecionadas especialmente para você

Via   GG  
Imagens BGN MVT RCD YT HNT CTL JYE GRG
Raul Martins
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+