Entretenimento

A história de Harry e Meghan, o casal que deixou a realeza britânica

0

Príncipe Harry e Meghan Markle formam um dos mais famosos casais reais. Na verdade, o casal optou por se desligar da realeza britânica em 2020, dois anos após o casamento. Para que tomassem essa decisão, muitas polêmicas estiveram envolvidas na relação familiar e conjugal. Inúmeras reviravoltas foram protagonizadas pelos dois, que por muitas vezes se sentiram perseguidos e incomodados pela mídia. 

Como Harry e Meghan se conheceram?

Na época em que se conheceram, a atriz Meghan Markle tinha 34 anos, já era divorciada e experimentava a fama como uma das protagonistas da série Suits. Já o membro da realeza britânica estava com 31 anos de idade, tinha acabado de concluir uma carreira militar de 10 anos, e possuía um histórico de diversos fracassos amorosos.

Para que pessoas de mundos tão distantes se conhecessem, uma amiga em comum foi o ponto-chave. Em julho de 2016, quando a atriz estava de passagem por Londres (Inglaterra), os dois se cruzaram por acaso, já que partilhavam da mesma amizade. Como em um amor à primeira vista, eles se deram muito bem no primeiro encontro. Isso os motivou a se encontrar já no dia seguinte. 

AFP

Desde então, as coisas aconteceram bastante rápido. Quatro semanas após o primeiro encontro, Harry e Meghan viajaram juntos para a África. Esse foi o ponto de partida para o “namoro às escondidas”. O filme intitulado “Harry & Meghan: Um Amor Real” retrata com detalhes o início do relacionamento do casal. 

O casamento

A atriz e o príncipe decidiram confirmar que estavam juntos em novembro de 2016, depois que diversos rumores começaram a circular na imprensa. O anúncio foi acompanhado de uma crítica bastante contundente do príncipe, que afirmava que a mídia estava sendo abusiva e perseguindo os dois. Esse foi um indicativo de que o relacionamento estava realmente sendo levado a sério por Harry, que foi enfático na crítica à imprensa.

Isso se confirmou quando ele divulgou seu noivado com Meghan em novembro de 2017. Na ocasião, a atriz celebrou seu primeiro Natal com a família do noivo. Na época, parte da imprensa manteve os comentários negativos. Já outros setores celebraram o fato de ela ser uma mulher independente, com carreira própria e menos presa às tradições. 

Harry e Meghan

Alexi Lubomirski

O casamento foi realizado em maio de 2018, no Castelo de Windsor, em Londres. Meghan se tornou a primeira integrante da realeza com uma mãe negra. O filme “Harry e Meghan: Primeiro Ano de Casados”, narra, com detalhes, a trajetória do casal como marido e mulher. 

Já no primeiro ano de casamento, Harry e Meghan tiveram seu primeiro filho. Ele nasceu em maio de 2019 e foi batizado de Archie Harrison Mountbatten-Windsor. Antes do nascimento, o casal real estava morando no Palácio de Kensington, em Londres. Depois, mudaram-se para Frogmore Cottage, um espaço muito maior próximo ao Castelo de Windsor. 

Cordon Press

Nessa época, novas críticas surgiram, com veículos da mídia afirmando que a mudança foi paga com dinheiro dos contribuintes. Além disso, a imprensa insinuava que Meghan estava demitindo muitos funcionários da Família Real e que sua defesa às causas ambientais era hipócrita, já que ela usava aviões particulares. 

As polêmicas que envolvem os gastos da realeza sempre foram acaloradas na Inglaterra, mas a história de Meghan e Harry fez com que a mídia explorasse ainda mais o assunto. No entanto, em meio às críticas, muitos tablóides começaram a adotar um tom racista. As coisas se tornaram ainda mais graves quando surgiu a suspeita de que isso ocorria na própria família.

Revelações sobre a Família Real

Como o casal real era alvo constante de críticas da mídia e como Meghan era atacada com frequência pelos jornais e pela própria família do marido (como ficou explícito recentemente), Harry e Meghan decidiram se mudar para os Estados Unidos. A mudança aconteceu em 2020 e, pouco tempo depois que se fixaram na Califórnia, o casal anunciou o rompimento com a monarquia britânica. 

Harry e Meghan

Getty Images

A partir daí, eles criaram a Fundação Archerwell e firmaram parcerias com grupos de mídia. O nome da instituição faz referência ao nome do primeiro filho de Harry e Meghan, o pequeno Archie, embora a nomenclatura tenha sido pensada antes mesmo da criança nascer. Na verdade, o nome da fundação, que já havia sido escolhido anos antes, foi o que inspirou a escolha do nome do primogênito.

Em 2021, Harry e Meghan quebraram o silêncio que estavam mantendo desde que se mudaram para os Estados Unidos. Em uma entrevista exclusiva com a apresentadora estadunidense Oprah Winfrey, o casal revelou porque decidiu se mudar e, posteriormente, deixar a realeza. 

Harry e Meghan

UOL

Entre as revelações que fizeram a Oprah, o casal ressaltou que optou por deixar a Família Real porque sentiam que os membros da família não se importavam com as perseguições que eles sofriam. Na entrevista, a atriz afirmou que pensou em tirar a própria vida diante de toda a agressividade e preconceito que a imprensa despejava sobre ela.

Além disso, a suspeita de que os próprios familiares tiveram posturas racistas com a esposa do príncipe foi confirmada. Eles disseram que uma pessoa próxima afirmou estar preocupada com a cor da pele dos filhos do casal, já que Meghan não é branca, diferente de todos os demais membros da realeza.

Recentemente, longe dos holofotes da mídia britânica, Harry e Meghan anunciaram, em 2021, mais uma gravidez. Agora, Archie é irmão mais velho de um novo herdeiro real, considerado o oitavo na linha de sucessão ao trono. Lilibet “Lilli” Diana Mountbatten-Windsor nasceu em junho de 2021 e tem o nome em homenagem à Rainha Elizabeth e à Princesa Diana, avó e mãe de Harry.

Fonte: UOL

Animal marinho parecido com “monstro” aparece em praia de SP

Matéria anterior

Gato-bravo-de-patas-negras: o felino mais mortífero do mundo

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos