Curiosidades

A internet do avião é segura?

0

Imaginar a vida hoje sem internet é uma coisa quase que impossível. Contudo, nem sempre todos os lugares têm uma conexão boa ou uma rede Wi-Fi grátis para as pessoas se conectarem. Um lugar onde, até um tempo atrás as pessoas ficavam incomunicáveis era dentro do avião. No entanto, essa realidade tem mudado com várias empresas oferecendo internet para seus passageiros durante o voo.

Claro que ter essa conexão enquanto a pessoa está indo para algum lugar é uma coisa boa, ainda mais se ela precisa trabalhar enquanto espera chegar no destino. Contudo, muitas pessoas se preocupam com a segurança ou falta dela nessas redes disponibilizadas. Por conta disso é importante saber o que fazer para evitar riscos com a internet do avião.

O primeiro ponto a ser esclarecido é que a internet do avião é sim segura, isso desde que o serviço seja oferecido pela companhia. Mesmo assim é recomendável que os dispositivos fiquem desligados ou no modo avião, especialmente na decolagem e no pouso. Isso é pedido por conta dos sinais de interferência que podem acontecer e acabar prejudicando o funcionamento do avião se vários aparelhos estiverem conectados ao mesmo tempo.

É segura?

Olhar digital

Hoje em dia é comum ver as companhias aéreas oferecendo Wi-Fi, tanto gratuita como paga. Com ela, as pessoas conseguem usar o WhatsApp e outros aplicativos de mensagem enquanto estão nos voos, sejam eles nacionais ou internacionais.

Mesmo com a internet disponível durante o voo, no momento do pouso e decolagem é pedido que os dispositivos sejam desligados ou colocados em modo avião. Até porque, como os aviões usam frequências específicas para comunicação com torres de controle e entre si, os dispositivos podem acabar interferindo nessa comunicação.

Com o modo avião ativado, esse risco de interferência eletromagnética é eliminado, não prejudicando a comunicação do piloto com os radares de navegação. Por isso que todos os equipamentos que emitem radiofrequência têm que estar em modo avião no pouso e decolagem, ou pelo menos até o avião chegar a 10 mil pés.

E como o modo avião só desabilita os dados móveis e ligações dos aparelhos, eles ainda conseguem se conectar na rede Wi-Fi oferecida pela companhia aérea. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), é de responsabilidade das companhias em promover a segurança para que os passageiros possam usar a internet no avião dentro das situações estabelecidas como legais.

Os passageiros podem ver se existe Wi-Fi disponível no voo procurando pelos ícone da Wi-Fi, normalmente, do lado do sinal de atar os cintos ou então vendo pelo próprio celular.

E muitas pessoas têm dúvidas sobre como a internet é disponibilizada no avião se é pedido para que os dispositivos fiquem em modo avião ou desligados. Isso acontece porque a conexão é feita por satélite, ou seja, não depende da conexão das torres de celular. Dessa forma, os passageiros conseguem navegar pelas redes sociais, ler e-mails, trocar mensagens por aplicativos, mesmo com o celular no modo avião.

Internet em voos nacionais

Olhar digital

A primeira empresa que ofereceu Wi-Fi nos voos nacionais no Brasil foi a Gol, em 2016. Depois dela veio a Latam e por último a Azul, em 2021. Quem quiser acessar a internet no celular durante os voos tem que se conectar às redes de Wi-Fi da empresa com a qual está viajando.

Feito isso, a pessoa irá ter acesso ao navegador que lhe apresenta as opções de pacotes, tendo os de graça e os pagos, e os valores. O pagamento é feito através do cartão de crédito. No caso da Azul, a Wi-Fi é grátis, mas a quantidade de aviões que tem o serviço ainda é pequena quando comparado ao tamanho da frota operante.

Um ponto bem importante a ser frisado é que a internet do avião é bem diferente da internet do aeroporto. Com relação às redes Wi-Fi públicas dos aeroportos existem vários riscos em se conectar a elas. Por exemplo, hackers podem interceptar informações pessoais, como senhas e números de cartão de crédito. Já na rede do avião existe uma segurança maior.

Fonte: Olhar digital

Imagens: Olhar digital

Tinder lança “Compartilhar meu date”, novo recurso de segurança

Artigo anterior

Por que a Antártica é considerada um deserto?

Próximo artigo