O Asilo Lunático Trans-Allegheny era, na verdade, o West Virginia Hospital For The Insane. O hospital foi construído em 1863, no estado de Virgínia, nos EUA, com tecnologia de ponta. O local foi construído para abrigar e tratar 250 pacientes com algum distúrbio mental.

Pessoas especializadas da Alemanha e da Irlanda foram contratadas para a construção do local. Havia quartos individuais para cada paciente, além disso, as janelas grandes e bem localizadas deixavam o local iluminado e fresco. Havia também uma fazenda, onde eram produzidos os alimentos necessários para os pacientes. Tudo muito bem planejado para atender da melhor forma possível aos pacientes doentes.

O início dos problemas no asilo

Publicidade
continue a leitura

O local foi criado para ser sustentável. Havia os quartos, a fazenda, um laticínio e até mesmo um cemitério. No entanto, 18 anos mais tarde, em 1881, o local começou a ruir. Houve um aumento significativo no número de diagnósticos de saúde mental. Não apenas os casos aumentaram, como o estigma e preconceito das pessoas também se elevaram significativamente.

O asilo, que foi planejado para receber 250 pacientes, estava com mais 500 pessoas em suas dependências. Muito acima do adequado. Isso interferiu em tudo, desde o tratamento dos pacientes até a manutenção do local. A fazenda não era mais capaz de produzir alimentos suficientes para os pacientes, os funcionários não conseguiam manter a ordem ou controlar os pacientes mais exaltados e a superlotação só crescia.

Publicidade
continue a leitura

O declínio do asilo

Devido às condições extremas dentro do local, a situação fugiu completamente de controle. A área de fazenda chegou a ser reduzida para que a do cemitério fosse expandida. Isso porque os pacientes faleciam rapidamente, devido às péssimas condições. Em 1938, o número de pacientes era seis vezes maior do que o adequado, havia cerca de 1500 pessoas internadas.

Publicidade
continue a leitura

A situação deplorável só se tornou pública anos mais tarde, em 1950, quando o local abrigava 2600 pacientes. Os quartos, que antes eram individuais, estavam abarrotados. Os pacientes que não conseguiam ser controlados ficavam trancados em locais abertos. Além disso, a estrutura do local era deplorável. Havia equipamentos abandonados por todas as partes e tudo estava sujo e abandonado.

Quando as pessoas se deram conta das péssimas condições do local, imediatamente se mobilizaram para fechar o asilo. No entanto, o descaso prosseguiu por vários anos. Foi apenas em 1994 que o asilo foi enfim fechado.

Publicado em: 13/11/18 17h57