Entretenimento

Atriz trans Laverne Cox é homenageada com uma boneca Barbie

0

A atriz Laverne Cox será homenageada com uma Barbie. A Mattel, fabricante do brinquedo, informou na última quarta-feira (25/05) que o lançamento da boneca será para comemorar o aniversário de 50 anos da artista, nascida em 29 de maio de 1972. Vale lembrar que essa será a primeira boneca trans da marca.

De acordo com o anúncio da marca, Laverne Cox “usa sua voz para amplificar a mensagem de ir além das expectativas da sociedade para viver mais autenticamente”.

A boneca da estrela de “Orange is the new black” e “Inventando Anna” vem com um vestido de tule drapeado em tom vermelho escuro junto a um body metálico.

A Mattel informou que também está fazendo uma campanha de doações para a ONG TransFamilySOS.

Foto: Divulgação

Anteriormente, em entrevista à revista “Marie Claire”, Laverne Cox contou que não “não tinha permissão para brincar com Barbies quando era criança”.

“Quando eu tinha trinta e poucos anos, meu terapeuta me lembrou que nunca é tarde demais para se ter uma infância, e que eu deveria sair e comprar Barbies e brincar com elas como uma forma de curar minha criança interior. E curar meu trauma de infância. Foi o que fiz.”

Ao falar sobre ser homenageada pela Barbie, a atriz afirmou que é algo “surreal” e “uma incrível honra”.

Essa não é a primeira vez que Laverne Cox quebra barreiras para pessoas trans. No ano de 2015, ela foi a primeira transexual a ganhar estátua no Madame Tussauds. Além disso, ela é a primeira trans a aparecer na capa da revista Time e a ser nomeada ao Emmy.

Quem é Laverne Cox, a atriz trans homenageada pela Barbie

Foto: Buckner/ Shutterstock

Nascida no Alabama, nos Estados Unidos, Laverne Cox tem um irmão gêmeo e notou no quarto ano escolar que havia uma diferença em relação ao que sentia e em como as pessoas a identificavam.

De acordo com o site The Towerlight, depois de imitar Scarlett O’Hara na sala de aula, sua mãe foi chamada na escola e Laverne foi levada à terapia. Ao ser questionada se sabia a diferença entre meninos e meninas, Laverne respondeu que não existia nenhuma. 

“Sabia, em meu coração, minha alma e meu espírito que eu era uma menina”, afirma. Durante a puberdade, a atriz rezava todos os dias para não se parecer com um homem.

A artista também já revelou que sobreviveu a uma tentativa de suicídio aos 11 anos, após o falecimento de sua avó, e viveu diversas situações de racismo e preconceito. Mas Laverne Cox afirma que sabia que desejava ser uma mulher e por isso celebrou cada pequena vitória, mesmo ainda convivendo com as marcas da transfobia.

No Instagram, a atriz ainda falou sobre um dos primeiros momentos que viveu depois da transição. “Fui até o Harlem para fazer minhas tranças em um daqueles locais geniais de tranças africanas. Eu estava usando um vestido e empolgada por usar aquele gloss preto que eu realmente não podia pagar, mas comprei mesmo assim com gorjetas do meu trabalho. Isso foi apenas com dois anos da minha transição”, disse ela na publicação. 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Laverne Cox (@lavernecox)

“Olho para esta foto e vejo uma jovem super fofa sentindo isso. Mas, por baixo, me sentia o oposto de fofa. Pessoas me confundindo, me chamando de homem e dizendo que eu parecia um homem me faziam sentir tão insegura. Isso me impediu de me ver claramente e amar o que via. Olho para essa jovem e quero dar a ela o amor que não sabia como naquela época. Não é tão tarde. #TransÉLindo”, concluiu na legenda da publicação. 

Vida profissional

Foto: Shutterstock

Se você assistiu “Inventando Ana”, da Netflix, já deve saber quem é Laverne Cox. A atriz faz o papel da personal trainer das estrelas na série. Mas a carreira de Cox na atuação começou bem antes.

Formada na Escola de Belas Artes de Alabama em Birmingham, o primeiro papel de destaque, na TV, de Laverne Cox foi na série “Orange is the New Black”. Mas não foi fácil conseguir dar vida à personagem Sophia Burset. Isso porque existem poucos papéis disponíveis para mulheres negras e trans em Hollywood.

“Preciso trabalhar duas, três, quatro vezes mais duro. Mas isso nunca me deu raiva. Eu aceitei que tenho que trabalhar mais”, contou Laverne em entrevista à “Forbes”.

O papel de destaque na série abriu a porta para ela conseguir outros papéis. Em 2014, Laverne se tornou a primeira mulher trans indicada ao Emmy, fazendo história mais uma vez. Após isso, recebeu mais três indicações e em 2020 criticou a academia pela ausência de outros atores trans na lista dos indicados.

Fonte: G1, Universa

‘Toma Toma Vapo Vapo’, hit de Zé Felipe, é alvo de processo por plágio

Matéria anterior

Auxiliar de serviços gerais viraliza depois de devolver PIX de R$95 mil

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos