Ciência e Tecnologia

Batatas e berinjelas podem ser usadas no tratamento de câncer

0

Para quem ainda tem dúvidas se deve comer salada, a ciência chega com uma nova descoberta para mostrar o poder dos vegetais no combate ao câncer. Segundo uma pesquisa liderada na Polônia, batatas, berinjelas e tomates podem ajudar em alguns tipos de câncer.

O estudo aconteceu com cientistas da Universidade Adam Mickiewicz, que avaliou determinados compostos orgânicos presentes nesses alimentos. Os testes foram realizados a fim de conferir se eles podem inibir, ou ao menos retardar, o processo de multiplicação das células maliciosas ao organismo.

A análise foi feita em bioativos chamados de glicoalcalóides. Existe a possibilidade de combiná-los com medicamentos para aumentar a eficiência dos remédios em pessoas com câncer.

O incrível estudo foi publicado pela Frontiers, e descreve todo o processo, e possíveis teorias, que grupo de cientistas desenvolveram.

Como funciona?

Via Freepik

Na prática, a pesquisa utilizou cinco glicoalcaloides que se apresentam nos vegetais da família de plantas Solanaceae. São eles solanina, chaconina, solasonina, solamargina e tomatina.

Embora os nomes pareçam difíceis, o artigo explica, de maneira simples, qual foi o caminho tomado para determinar que é possível usar vegetais no combate ao câncer.

Segundo o estudo, a solanina, em especial, é capaz de impedir que alguns produtos químicos possam se transformar na doença, efetivamente, dentro do organismo.

A principal avaliação estudou materiais potencialmente cancerígenos do tipo agressivo de leucemia, ministrando doses desses componentes nos medicamentos. Os resultados mostraram que certa quantidade de solanina pode matar as células.

Enquanto isso, os outros grupos de glicoalcaloides também possuem propriedades medicinais. Por exemplo, a chaconine possui propriedades anti-inflamatórias, e consegue cuidar das infecções graves que acabam surgindo nesses quadros.

Além disso, a solamargina é capaz de impedir a reprodução das células no fígado. Ou seja, o uso de vegetais no combate ao câncer é possível.

Vegetais no combate ao câncer pode ser real

Os cientistas destacaram, claro, que é necessário aplicar diversos estudos em diferentes tipos de tratamentos médicos para atestar a sua veracidade. No entanto, eles estão confiantes de que o uso de vegetais no combate ao câncer é possível.

Os glicoalcaloides reagiram de maneira extraordinária nas primeiras pesquisas, e não apenas em uma etapa da doença, mas na sua prevenção, controle e até mesmo eliminação das células que se espalham no organismo.

Dessa forma, existe a chance de explorar essa alternativa na prática, já com medicamentos reais e casos de laboratório, para comprovar que o resultado é reagente na prática.

O poder da natureza

Via Freepik

Para Magdalena Winkiel, cientista que liderou os estudos na Polônia, este é o primeiro passo para unir o poder de cura da natureza com os avanços da ciência moderna.

Ela diz que especialistas do mundo inteiro se dedicam a procurar drogas fortes para matar células cancerígenas, mas sem afetar as células saudáveis. Até o momento, esse tem sido um dos grandes desafios da medicina.

E apesar de não ser fácil, a ciência está avançada o suficiente para que seja possível se unir com plantas medicinais de maneira verdadeiramente eficiente.

A cientista reforça que acredita nas técnicas de tratamento atuais, mas que vale a pena voltar para as origens de cura, de tantos anos atrás. Afinal, elas tinham alguma taxa de sucesso, e foram essenciais na luta contra diversas doenças.

Além disso, está positiva por conta das tecnologias que existem atualmente, permitindo explorar, com atenção, os componentes orgânicos que podem ser aliados na luta contra doenças agressivas.

Por isso, vale a pena reexaminar as propriedades médicas dos vegetais no combate ao câncer. Dessa forma, será possível descobrir um novo potencial para oferecer condições de cura mais saudáveis e eficientes, usando o poder de bioativos tão acessíveis quanto uma batata ou uma berinjela.

 

Fonte: Olhar Digital

Imagens: Freepik, Freepik

Metade dos brasileiros não sabe o que é a depressão, revela Ibope

Artigo anterior

Por que ainda não encontramos vida alienígena inteligente?

Próximo artigo