Cigarro vs álcool: qual faz mais mal para a saúde?
Tempo de leitura:3 Minutos, 11 Segundos

Cigarro vs álcool: qual faz mais mal para a saúde?

As pessoas sempre dizem que álcool e cigarro fazem mal à saúde. Mas como diz uma música “tem gente que não bebe e está morrendo”. E isso parece sempre ser o argumento usado pelas pessoas que bebem e fumam para desviar do fato que essas coisas prejudicam sim a saúde.

Mas partindo dessa indagação de qual faria mais mal para o ser humano uma pesquisa foi feita. Beber uma garrafa de vinho de 750mL, por semana, aumenta o risco de desenvolver câncer ao longo da vida. Isso é o equivalente a 10 cigarros por semana para as mulheres e cinco para os homens.

Segundo alguns pesquisadores do Reino Unido, essa forma de comunicar as pessoas tende a ser a melhor. Mas, segundo especialistas, fumar tem riscos muito maiores de uma pessoa vir a adquirir câncer do que o álcool. E para que os riscos sejam reduzidos, a maneira é parar de fumar completamente.

A saúde é uma questão com a qual o governo deve ser preocupar. E as diretrizes dadas pelo governo britânico é que, tanto homens quanto mulheres, bebam no máximo 14 unidades de álcool por semana. Isso equivale a seis litros de cerveja ou sete copos de vinho, que é aproximadamente uma garrafa e meia.

Mas uma outra orientação difundida diz que não existe um nível seguro para o consumo de álcool, quando o assunto é risco para a saúde. Segundo tal estudo, até mesmo beber moderadamente pode colocar as pessoas em risco de câncer. E o mais comum é o câncer de mama, que é o mais típico no Reino Unido.

Danos

Os pesquisadores fizeram as contas e mostraram que se mil homens e mil mulheres não fumantes bebessem uma garrafa de vinho por semana, aproximadamente 10 homens e 14 mulheres poderiam desenvolver câncer ao longo de suas vidas.

O tipo de câncer variaria entre os dois. Nas mulheres, estaria mais ligado ao câncer de mama e nos homens estaria ligada ao trato gastrointestinal e ao fígado.

Os pesquisadores da Universidade de Southampton e da Universidade de Bangor fizeram os cálculos se baseando nos dados sobre o risco de câncer oferecidos pelo Cancer Research UK e nos dados da população que poderia estar ligada ao tabagismo e ao álcool.

Segundo Minouk Schoemaker, cientista do Instituto de Pesquisas sobre o Câncer, em Londres, o estudo nos dá uma visão interessante, mas também de que esse quadro não é tão simples.

“O quadro geral do risco de câncer é extremamente complexo e com nuances, por isso é importante ter em mente que este novo estudo está sujeito a várias suposições. Por exemplo, é difícil separar completamente os efeitos do álcool e do cigarro, e o estudo não levou em conta a duração do tabagismo ou o tempo de parada”, explicou.

O estudo usou apenas o câncer como doença principal e pegou dados de 2004. Ale´m do que não levou em consideração outros fatores que podem também levar ao aparecimento de um câncer.
Além do que, o número de cigarros equivalente ao álcool é pequeno. Sendo que a maioria dos fumantes fumam mais do que essa quantidade por dia.

Fumar

John Britton, diretor do Centro para Estudos sobre Tabaco e Álcool da Universidade de Nottingham, também deu sua declaração. “Não tenho certeza se muitas pessoas decidem fumar ou beber… com base em quão comparáveis ​​são os riscos dos dois”.

“Este estudo demonstra que, em relação ao risco de câncer, o tabagismo é substancialmente mais perigoso do que o consumo de álcool. O tabagismo também é muito mais perigoso do que o álcool em relação a uma série de outras doenças. Se os fumantes estão preocupados com sua saúde, a melhor coisa que podem fazer é deixar de fumar”, disse.

“As pessoas que consomem álcool devem tentar seguir as diretrizes recomendadas de 14 unidades por semana”, acrescentou.