Curiosidades

Cometa gigante está vindo em direção à Terra e pode ser o maior já visto

0

Resumidamente, o sistema solar fica em um dos espaços da Via-Láctea, que tem sua formação pela estrela solar e por tantos outros corpos celestes ao seu redor. Mais especificamente, ele é formado pelo sol e mais 1.700 corpos celestes menores, entre cometas, asteroides e  planetas com seus satélites. O cometa pode ser um dos corpos mais interessantes e curiosos.

Dependendo do cometa, ele pode ser visto a olho nu, já outros acabam passando despercebidos até pelos olhos mais atentos. Contudo, hoje, com toda a tecnologia disponível, podemos identificá-los ainda distantes, quando estão em suas órbitas previsíveis. Para isso, basta saber onde e quando procurar por um cometa.

Por exemplo, no fim de junho de 2021, os astrônomos Pedro Bernardinelli e Gary Bernstein fizeram o anúncio da sua descoberta, o chamado cometa Bernardinelli-Bernstein (BB). Ele é um cometa gigante, tão grande que chegou até a ser confundido com um planeta anão.

Cometa

O Globo

No entanto, depois de meses sendo monitorado, os astrônomos conseguiram calcular o tamanho e a órbita do cometa. Como resultado, eles viram que o cometa está viajando a uma velocidade média de 35,5 mil quilômetros por hora, e seu núcleo tem cerca de 150 quilômetros de largura.

Esse cometa gigante, também conhecido como C/2014 UN271, é originário da borda do nosso sistema solar e vem se aproximando do nosso sol há milhões de anos. Tanto que ele terá sua maior aproximação do sol em 2031.

O cometa BB foi o mais distante a ser descoberto. Isso foi possível graças aos seis anos de dados coletados pela Dark Energy Camera, localizada no Telescópio Víctor M. Blanco de 4 metros no Observatório Interamericano Cerro Tololo, no Chile.

Essa câmera coleta dados para alimentar o The Dark Energy Survey, uma colaboração de mais de 400 cientistas em sete países e 25 instituições. E além de ajudar no mapeamento de galáxias no céu noturno, ela também vislumbra cometas e objetos transnetuinianos, ou corpos celestes gelados em volta do nosso sistema solar.

Identificação

Paper geek

Dessa forma, os astrônomos conseguiram identificar o BB. Eles acreditam que a jornada desse cometa começou a mais de seis trilhões de quilômetros de distância do sol.

Ele veio da nuvem de objetos de Oort, que é um grupo isolado de objetos gelados que estão mais distantes do que qualquer outra coisa em nosso sistema solar. É dessa região que os astrônomos acreditam que vêm os cometas. Contudo, eles nunca observaram dentro dessa nuvem.

Por mais que o cometa BB está aproximadamente a três bilhões de quilômetros de distância de nós, que é mais ou menos a distância entre Urano e o sol, ele terá seu ponto mais próximo da Terra em 2031. Nesse ano, a distância entre ele e nós será mais ou menos a mesma que há entre Saturno e o sol.

Observações

Pplware

“Temos o privilégio de ter descoberto talvez o maior cometa já visto, ou pelo menos maior do que qualquer outro bem estudado, e de capturá-lo cedo o suficiente para que as pessoas o observem evoluir à medida que se aproxima e aquece. Ele não visita os planetas há mais de 3 milhões de anos”, disse Bernstein.

“Concluímos que o BB é um ‘novo’ cometa no sentido de que não há evidências de uma aproximação anterior a mais de 18 unidades astronômicas do sol desde a ejeção na Nuvem de Oort. Na verdade, este pode ser o cometa mais primitivo já observado, visto que o detectamos antes de entrar na órbita de Urano, e pode nunca ter feito isso em qualquer órbita anterior”, pontuaram os astrônomos.

Portanto, essa será uma oportunidade para que os astrônomos estudem o cometa de entrada e permitirá que eles entendam melhor a origem e a composição dele.

Fonte: Science Alert

Imagens: O Globo, Paper geek, Pplware

Anvisa pediu recolhimento de chocolates fabricados pela Kinder

Matéria anterior

Saiba o que fazer quando o celular cai na água

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos