No dia 27 de novembro de 1944, em plena segunda-feira, por volta das 11:11 da manhã, uma nuvem parecida com um cogumelo levantou-se em RAF Fauld, um depósito de munições no interior da Inglaterra. Montes de terra pesando até uma tonelada começaram a cair no chão depois de serem levantadas para o céu.

A explosão que aconteceu há 70 anos deixou uma cratera de 90 metros de profundidade e cerca de 400 metros de largura. O número de mortos, embora não tenha sido exatamente especificado, mas poderia ser entre 40 a 70 mortos, incluindo militares, prisioneiros italianos e civis. A explosão aconteceu no subsolo do armazém de munições da Real Força Aérea ao sul da aldeia de Fauld.

001

Investigações oficiais afirmaram que a explosão foi causada por incompetência, pois a maioria dos oficiais superiores não estavam por perto no dia, e um funcionário tentou remover o detonador de uma bomba ativa com um cinzel de latão, causando uma faísca que lançou um efeito dominó enorme em toda a instalação. Algumas fazendas próximas a explosão desapareceram completamente, e uma barragem foi rompida como consequência da explosão. Além disso, mais de 200 cabeças de gado foram mortos na tragédia.

Publicidade
continue a leitura

002

Bom, já se passaram mais de 70 anos da explosão, e um vídeo recente de Tom Scott para a série "Coisas que você talvez não saiba" do seu canal do Youtube, pode mostrar para vocês como essa cratera está. De acordo com Scott, o depósito subterrâneo estava cheio até a borda de bombas gigantes e munições durante a Segunda Guerra Mundial. O depósito foi construído em 1930 para abrigar explosivos menores, mas a guerra aumentou a demanda por armas maiores, fazendo com que o depósito ficasse acima da sua capacidade.

Esse acontecimento é muitas vezes considerado como uma das maiores explosões não-nucleares da história, e a maior de todas na Grã-Bretanha. A Cratera de Hanbury ainda é bastante notável na paisagem, mas vem sendo preenchida por terra ao longo do tempo. Pelo fato do governo afirmar que ainda existem bombas ativas no local. a entrada na cratera é proibida.

Publicidade
continue a leitura

Na imagem abaixo vocês podem ver o que a natureza está fazendo com a enorme cratera, provando que mesmo que o homem consiga destruir as coisas em pouco tempo, a natureza consegue reconstruir os lugares com um processo a longo prazo.

2

A área que costumava ser uma colina com terrenos agrícolas nas proximidades, está cada vez mais se recuperando, confiram no vídeo abaixo com legenda em português.

Publicidade
continue a leitura

E aí amigos, já conheciam a história da maior explosão não-nuclear da história? Comentem!

Publicado em: 12/03/18 16h34